Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

Eleições: Em último ato de campanha, Dilma faz caminhada em Porto Alegre

sábado, 25 outubro, 2014

Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13

Dilma cumprimentou eleitores e desfilou ao lado do candidato petista ao governo do RS, Tarso Genro

Em seu último ato de campanha, a candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, participou no início tarde de hoje (25) de caminhada com militantes pelo centro de Porto Alegre. Ela desfilou em carro aberto acompanhada do candidato à reeleição ao governo estadual, Tarso Genro. Em entrevista coletiva antes da caminhada, Dilma conclamou os brasileiros a compareceram às urnas amanhã (26). “Há uma característica democrática fundamental numa eleição, que é um homem, um voto, uma mulher, um voto. Isso significa que as pessoas, diante da eleição e diante da urna, têm o mesmo poder. Faço um apelo às pessoas mais simples, compareçam para votar. Você tem o mesmo poder igual ao resto da população brasileira. Do mais pobre ao mais rico, todos têm o mesmo poder.” Leia mais naAgência Brasil.


Na véspera da eleição, Dilma tem 53% e Aécio, 47%, diz Ibope

sábado, 25 outubro, 2014

JOSÉ ROBERTO DE TOLEDO – COORDENADOR DO ESTADÃO DADOS

25 Outubro 2014 | 18h 30

Diferença está fora da margem de erro, mas petista parou de crescer

A presidente Dilma Rousseff (PT) chegou à véspera da eleição com 53% das intenções de votos válidos, contra 47% de Aécio Neves (PSDB), segundo o Ibope. A diferença está fora da margem de erro, de 2 pontos, para mais ou para menos. No levantamento anterior, concluído na quarta-feira, Dilma tinha 54% e Aécio, 46%. A última pesquisa antes da votação do 2.º turno, neste domingo, 26, foi feita na sexta-feira e no sábado.

Em votos totais, Dilma continuou com 49% das intenções, enquanto Aécio passou de 41% para 43%. Esses dois pontos a mais vieram dos brancos e nulos, que oscilaram negativamente de 7% para 5%. Os indecisos permanecem em 3%. Eles só vão se decidir praticamente no momento de votar.

A pesquisa mostra uma interrupção da tendência de crescimento que as intenções de voto em Dilma apresentaram entre a semana passada e quarta-feira. Como é um ponto isolado na curva, não é possível saber se a diminuição da diferença entre a petista e o tucano indica uma reversão da tendência em favor de Aécio ou se é apenas uma oscilação estatística. Mas pode ser que parte dos eleitores descontentes que antes pretendiam anular tenham decidido pelo voto útil em Aécio.

Entre uma pesquisa e outra houve o debate presidencial na TV Globo, na noite de sexta-feira, que alcançou 30 pontos de audiência – média alta para o horário. Durante o debate, o tucano questionou a presidente sobre denúncia publicada na revista Veja, segundo a qual o doleiro Alberto Youssef teria dito em depoimento à Justiça que Dilma sabia da corrupção na Petrobrás. A presidente refutou a acusação e disse que processaria a publicação por injúria e calúnia.

A repercussão do caso cresceu após um grupo da União da Juventude Socialista (UJS) jogar lixo na calçada em frente da Editora Abril, na zona oeste de São Paulo, e pichar sua fachada em protesto contra a revista.

Pelo Brasil. Por região, Dilma lidera com folga no Nordeste (68% a 27% dos votos totais), e Aécio, no Sudeste (50% a 39%). Há empate técnico no Norte/Centro-Oeste (Dilma 48%, Aécio 45%) e no Sul (Dilma 43%, Aécio 47%).

A avaliação do governo Dilma não mudou. A taxa dos que acham o governo ótimo ou bom continuou em 45%. Já os que o qualificam de ruim ou péssimo continuam em 23%. Outros 30% acham regular.

A pesquisa Ibope foi contratada pelo Estado e pela TV Globo. Foram ouvidos 3.010 eleitores, em 206 municípios de todas as regiões do Brasil, entre sexta-feira e sábado. A margem de erro máxima estimada é dois pontos porcentuais, para mais ou para menos, em um intervalo de confiança de 95% (se a mesma pesquisa fosse realizada ao mesmo tempo 100 vezes, em 95 delas o resultado esperado estaria dentro da margem de erro). A pesquisa foi registrada no TSE com o protocolo 01195/2014.

Fonte: http://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,na-vespera-da-eleicao-dilma-tem-53-e-aecio-47-diz-ibope,1582656


Aécio volta a falar em Demissão

sábado, 25 outubro, 2014

Aécio promete demitir diretoria da Petrobras caso seja eleito

Aécio promete demitir diretoria da Petrobras caso seja eleito

Foto: Reprodução
O candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, prometeu, caso vença a eleição deste domingo (26), demitir toda a diretoria da Petrobras, apontada como cúmplice em esquema de desvio de dinheiro que envolve empresas fornecedoras e partidos políticos, entre eles, PMDB, PP e PT. “A remoção da diretoria da Petrobrás é imediata (em caso de vitória). Vamos privilegiar funcionários de carreira e profissionalizá-la. Isso serve para os bancos públicos e as grandes empresas nacionais. Os brasileiros vão encontrar no meu governo o resgate da meritocracia”, declarou o tucano. Como era de esperar, Aécio voltou a mencionar reportagem da revista Veja. Segundo a publicação, o doleiro Alberto Youssef, um dos acusados de participação no esquema, declarou em depoimento que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinham conhecimento dos casos de corrupção na maior estatal do País. Procurado pelo O Globo, o advogado do doleiroafirmou que não tem conhecimento das declarações veiculadas pela Veja. Informações do Estadão.
Nosso comentário: demitir, se puder, se a legislação permitir. Deveria dizer antes, se eleito, como conviverá com um monstrengo midiático que ele alenta chamado VEJA.

Para Lula, acusação de revista é “insana” e de “má fé”

sábado, 25 outubro, 2014
0499
Ex-presidente critica fortemente publicação da Veja, que cita acusações contra Dilma e Lula
Portal Terra

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou da tradicional caminhada às vésperas da eleição em São Bernardo do Campo na manhã deste sábado e criticou a reportagem da revista Veja, que cita o depoimento do doleiro Alberto Yousseff. De acordo com a publicação, na delação premiada, ele diz que Lula e a presidente Dilma Rousseff sabiam do esquema de desvios de dinheiro na Petrobras. Porém, para o líder petista, a atitude da revista em publicar uma matéria “insana” e mentirosa às vésperas do segundo turno foi uma tentativa “grotesca” de influenciar nos votos dos eleitores.

“Acho que o que a Veja fez foi uma demonstração de insanidade da imprensa marrom neste País. De um segmento da imprensa que nós já conhecemos muito bem, que tenta interferir no processo eleitoral. A Veja ontem chegou ao limite dos limites. Conseguiu fazer o impossível que ninguém acreditava que fosse possível ser feito. Ela conseguiu inventar uma mentira. É apenas a tentativa grotesca, inclusive de antecipar a tiragem para ver se influía no restante da imprensa brasileira. É uma atitude de má fé, leviana, mesquinha”, criticou o líder petista.

Lula disse irá processar a revista por conta do teor da reportagem. Para ele, os autores da matéria não devem “deitar a cabeça no travesseiro e ter um sono tranquilo”.

“Da minha parte, a partir do processo eleitoral, vai ter que explicar na justiça. Não tem mais limite. Sempre ouvimos que não adianta processar, para deixar pra lá. É sempre assim. Você vai conversar com advogado e eles falam isso. Mas acho que o que a Veja fez não pode ficar pra lá. Ela exagerou. Não podemos chamar nem de imprensa marrom. Eu não sei se algum diretor ou editor da Veja fez a matéria. Não sei se ele deita a cabeça no travesseiro e consegue dormir um sono tranquilo”, disse.

O ex-presidente da República afirmou que, daqui para frente, os políticos terão que rever a maneira que fazem as campanhas. “Acho que o jogo está jogado. Eu acho que é preciso, daqui para frente a gente repensar o papel das campanhas, porque as campanhas precisam acontecer pra tentar politizar a sociedade”, completou.

Questionado sobre as dificuldades que o presidente eleito terá de enfrentar com a divisão do país entre PT e PSDB, Lula acredita que Dilma ou Aécio Neves (PSDB) terão que construir uma “base” e levar em conta o resultado do primeiro turno, quando a população escolheu deputados e senadores.

“O eleito vai ter que governar. Obviamente que quem for eleito vai ter que construir sua base, levar em conta o resultado eleitoral do dia 6 de outubro, no primeiro turno. Vai ter que governar. Às vezes me assusta o discurso, eu diria lacerdista, que só falta dizer que não pode ganhar e se ganhar não pode governar. Só falta dizer isso. E a verdade é o seguinte: quem ganhar governa este País e governa os quatro anos porque temos 200 milhões de habitantes que não são imbecis. Sabemos fazer democracia e respeitar democracia”, disse Lula.

Em relação à possibilidade de concorrer à presidência da República nas eleições de 2018, Lula voltou a desconversar e diz que não sabe nem se estará vivo. “Não vou saber mais do que Deus e dizer o que vai acontecer comigo em 2018. Na minha idade se tiver vivo já está de bom tamanho. Não podemos prever. Muita coisa vai acontecer até lá. A Dilma vai fazer um governo infinitamente melhor porque já conhece toda máquina, tem projetos prontos e isso que vai acontecer no Brasil”.


TSE proíbe Veja de fazer propaganda de capa

sábado, 25 outubro, 2014

por Ricardo Brito / Estadão Conteúdo

TSE proíbe Veja de fazer propaganda de capa

Foto: Reprodução
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar na noite desta sexta-feira (24) que proíbe a editora Abril, responsável por publicar a revista Veja, de fazer propaganda em qualquer meio de comunicação da reportagem de capa segundo a qual a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras. A reportagem diz se basear em depoimento prestado na última terça-feira (21) pelo doleiro Alberto Youssef no processo de delação premiada a que ele se submete para ter direito à redução de pena. O pedido para impedir a publicidade da matéria foi apresentado pela campanha de Dilma na tarde desta sexta-feira (26). A defesa da petista requereu ao tribunal que a revista se abstivesse de fazer propaganda de sua capa, que tem, na opinião dos advogados de Dilma, conteúdo ofensivo à candidata à reeleição. Para a campanha petista, uma eventual publicidade do caso tem por objetivo único beneficiar a candidatura do tucano Aécio Neves. A ação da defesa de Dilma se ampara no artigo da Lei das Eleições que prevê que a propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito, sendo proibida a veiculação de propaganda paga. Essa mesma vedação, segundo campanha da petista, é estendida à divulgação de propaganda na internet e por meio de outdoors. Em caso de descumprimento da liminar, os advogados de Dilma cobram a aplicação de multa de R$ 1 milhão por veiculação proibida. A campanha da presidente argumentou ainda que a revista Veja antecipou sua edição em dois dias com a “nítida intenção de tumultuar a lisura do pleito eleitoral do próximo domingo (26)”. Citam ainda que a revista teria postado no Facebook dela, com 5,4 milhões de seguidores, notícia com o título “Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobras: Dilma e Lula sabiam”. Essa propaganda teria sido reproduzida na página oficial do PSDB, partido do adversário na disputa ao Palácio do Planalto, também na mesma rede social. Em sua defesa, a Editora Abril sustentou que as liberdades de comunicação e de atividade econômica são direitos previstos na Constituição. Esses direitos, disse a editora, “não podem ser sufocados por medidas de cunho censor sob a alegação de imaginária propaganda eleitoral”. Para Abril, o que se pretende é “impedir a imprensa de divulgar assunto que a sociedade tem o direito de tomar conhecimento”. “Não houve ilícito algum na matéria publicada na edição e tampouco nas propagandas de divulgação da revista, de modo que a representada (Editora Abril) agiu no seu estrito direito constitucional”, afirmou. Em parecer, o procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot, manifestou-se a favor da campanha de Dilma. Para Janot, diante da iminência da realização de uma propaganda eleitoral irregular, é necessário proibir a divulgação das publicidades sob pena de acarretar “prejuízo irreparável ao equilíbrio e (à) lisura do pleito”. Em sua decisão, o ministro Admar Gonzaga, relator do processo, afirmou que há elementos para acatar o pedido liminar, suspendendo, até o julgamento do mérito, qualquer publicidade da editora sobre o assunto. Segundo ele, cabe ao TSE “velar pela preservação da isonomia entre os candidatos que disputam o pleito”. “Desse modo, ainda que a divulgação da revista Veja apresente nítidos propósitos comerciais, os contornos de propaganda eleitoral, a meu ver, atraem a incidência da legislação eleitoral, por consubstanciar interferência indevida e grave em detrimento de uma das candidaturas”, afirmou o ministro.
Bahia Noticias

Dilma destaca criação de empregos e defende debate

sexta-feira, 24 outubro, 2014

Agência Brasil

A candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff destacou o crescimento do nível de empregos nos últimos 12 anos no país e disse que esta é uma prioridade de seu governo, como foi no governo Lula.”Saiu hoje a Pesquisa Metropolitana do Emprego, do IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística], que aponta aumento o emprego. O desemprego foi reduzido para 4,9% – é o menor da série histórica para setembro”, disse a candidata. Ela acrescentou que o Brasil é o pais com a menor taxa de desemprego, “o que é muito importante, porque não é isso que ocorre no mundo”.

De acordo com Dilma, o Brasil é um dos países com menor taxa de desemprego do mundo, com acumulado nos últimos quatro anos de 5,78 milhões de postos de trabalho criados e aumento de 1,5% no rendimento médio real do trabalho, conforme dados da Pesquisa Metropolitana do Emprego.

“O aumento do salário e a redução do desemprego são as duas principais conquistas do meu governo e do [governo do] presidente Lula. Nesse período [2003-2014], enquanto o mundo desempregou 60 milhões de trabalhadores, criamos 20 milhões de postos de trabalho. Na crise, fala-se da perda de 100 milhões de postos de trabalho; nesse período, criamos 12 milhões de postos”, disse a candidata.

Segundo Dilma, os direitos trabalhistas também foram ampliados no período, com iniciativas como a PEC (proposta de emenda à Constituição) das Domésticas, a que garantiu a herança para famílias de taxistas e a que garante o pagamento do adicional de periculosidade para mototaxistas e motofrentistas e o aumento do aviso prévio de 30 para 90 dias.

Sobre os ânimos acirrados entre os militantes do PT e do PSDB na reta final da campanha eleitoral, Dilma pediu tranqüilidade e que o debate seja feito apenas no campo das ideias. “É uma eleição bastante disputada. Gostaria que isso [confronto] não ocorresse. No final, o clima fica mais quente, mas, desde que fique no campo das idéias, isso é democracia”, enfatizou a candidata, que disse não ter visto, nas manifestações de que participou atitudes de agressão. “Eu vi muito mais uma atitude de festa, de comemoração.”

Sobre denúncias de que beneficiários do Bolsa Família receberam mensagens de celular informando que, caso seu adversário Aécio Neves, do PSDB, vença as eleições, o benefício seria cortado, Dilma disse que não sabia. Ela afirmou, porém, que se isso tiver sido feito por alguém de dentro do governo, o responsável será identificado.”Estamos em um momento pré-eleitoral, em uma situação extremamente conflituada”, acrescentou Dilma, dizendo que tem escutado coisas “estarrecedoras” sobre ela e pessoas de sua família. “Então, vamos ver direitinho de onde vem [o boato], quem fez e como é que fez, porque boato é o que não está faltando por aí”, concluiu.


Dilma dispara na frente de Aécio, segundo Ibope e Datafolha

quinta-feira, 23 outubro, 2014

Pesquisas mostram trajetória ascendente de Dilma, que abre 8 pontos de vantagem, segundo Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (23) na corrida para a Presidência da República mostra Dilma Rousseff (PT) com 54% dos votos válidos. Aécio Neves (PSDB) aparece com 46%. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

- Dilma Rousseff: 49%

- Aécio Neves: 41%

- Branco/nulo: 7%

- Não sabe/não respondeu: 3%

No levantamento anterior, divulgado no dia 15, Aécio tinha 51% e Dilma, 49%.

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios entre os dias 20 e 22 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01168/2014.

Datafolha dá Dilma com seis pontos de vantagem

Já a pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (23) mostra Dilma com 53% e Aécio Neves, com 47% A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

A presidente tem uma vantagem inédita sobre Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial, que mostra a trajetória ascendente da candidata.

No levantamento anterior, divulgado no dia 22, Dilma tinha 52%, e Aécio, 48% dos votos válidos.

Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

- Dilma Rousseff: 48%

- Aécio Neves: 42%

- Em branco/nulo/nenhum: 5%

- Não sabe: 5%

O Datafolha ouviu 9.910 eleitores em 399 municípios nos dia 22 e 23 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01162/2014.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.