Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

 Quer um site só pra você ou sua empresa?

.


Datafolha: Dilma tem 37%, Marina, 30%, e Aécio, 17%

sexta-feira, 19 setembro, 2014

05290533

Jornal do Brasil

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (19) pelo jornal “Folha de S.Paulo” para a sucessão presidencial mostra que a candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, tem 37% das intenções de voto. Em segundo, aparece Marina Silva (PSDB), com 30%, seguida por Aécio Neves (PSDB), com 17%.

Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) têm 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Votos brancos e nulos são 6%; não sabem ou não responderam, 7%

No levantamento anterior do Datafolha, divulgado no dia 10, Dilma tinha 36%, Marina, 33%, e Aécio, 15%.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, as candidatas aparecem empatadas tecnicamente. A ex-senadora tem 46% e a petista, 44%. Na semana passada, Marina, com 47%, e Dilma, com 43%, também estavam tecnicamente empatadas.

Na simulação de segundo turno entre Dilma e Aécio, a petista vence por 49% a 39% (49% a 38% na semana anterior).

O instituto também fez uma simulação entre Marina e Aécio. O resultado foi 49% a 35% para a candidata do PSB (ante os 54% a 30% do último levantamento).

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

O Datafolha ouviu 5.340 eleitores em 265 municípios nos dias 17 e 18 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Rejeição

A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição: 33%. Marina Silva tem 22%; Aécio Neves, 21%; Pastor Everaldo, 21%; Zé Maria, 18%; Levy Fidelix, 18%; Eymael, 17%; Luciana Genro, 16%; Rui Pimenta, 15%; Eduardo Jorge, 15%; Mauro Iasi, 14%.

Avaliação da presidente

A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma tem a aprovação de 37% dos entrevistados, e que classificaram o governo como “ótimo” ou “bom”.

Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo” são 24%. Para 38%, o governo é “regular”. Os dois índices são os mesmos do levantamento anterior.


Cacauicultor pode ter incentivo para liquidação de débito com a União

quinta-feira, 18 setembro, 2014
Fonte: MCS – http://www.pdtnacamara.com.br

O deputado Félix Mendonça Júnior (PDT-BA) apresentou um Projeto de Lei  (PL 7955/14),  que visa estimular a liquidação ou a renegociação de dívidas inscritas ou não na Dívida Ativa da União provenientes de crédito rural de responsabilidade de cacauicultores.

De acordo com a proposta, que altera a Lei 12.844/1, o devedor terá até 31 de dezembro de 2017 para liquidar a dívida com desconto percentual sobre a soma dos saldos devedores por mutuário na data do pagamento. Esse prazo também será extensivo aos que tiverem permissão para renegociar o total dos saldos devedores das operações. Para tanto, o débito será mantido na dívida ativa e o mutuário terá um prazo de dez anos, com amortização de parcelas semestrais ou anuais, de acordo com seu fluxo de receitas. Será concedido também desconto percentual sobre as parcelas da dívida pagas até a data do vencimento renegociado. Ainda pelo projeto, o pagamento da primeira parcela será no ato da negociação.

A adesão à renegociação deverá ter autorização da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional ou da Procuradoria Geral da União, para suspender as ações e execuções judiciais para cobrança da dívida até o efetivo cumprimento do ajuste. Em caso de descumprimento do acordo, o mutuário perderá o benefício, retornando o valor do débito à situação anterior, deduzido o valor integral referente às parcelas pagas.

Segundo o deputado, o Programa de Recuperação da Lavoura Cacaueira Baiana, do Governo Federal, agravou  a situação  financeira do cacauicultor. “O programa ofertou financiamentos por meio de um pacote tecnológico baseado na poda e no rebaixamento da copa dos cacaueiros”. Para o deputado a medida não surtiu efeito.

Félix Mendonça Júnior defende em seu projeto a extensão aos cacauicultores dos benefícios dados aos produtores rurais de Prainha (PA) vinculados ao Projeto Agro-Industrial do Canavieiro Abraham Lincoln – PACAL. A Lei 12.844/14 concedeu aos produtores de Prainha descontos de 80%, no caso de liquidação, sobre o valor consolidado após desconto de juro de mora; ou de 60 ou 70%, nos casos de renegociação até 5 ou de 5 até 10 anos descontos.

O projeto, que tramita de forma conclusiva, será analisado pelas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Banco Mundial elogia Brasil por garantir emprego e salário

quinta-feira, 18 setembro, 2014

A página de campanha de Dilma Rousseff divulgou entrevista com o Ministro do Trabalho, Manoel Dias, falando sobre o elogio que o Brasil recebeu do Banco mundial por aumentar as oportunidades de emprego no país e, também, melhorar os salários.  Segundo estudo do Banco Mundial no início de setembro,  o Brasil e a China foram os únicos países que conseguiram reverter a situação generalizada de desemprego que aflige o mundo inteiro, obtendo desempenho melhor do que o dos países desenvolvidos do G-20.

A divulgação do estudo foi feita em encontro de ministros do Trabalho do G-20, na Austrália, onde Manoel Dias disse que o Brasil tem experimentado, nos últimos 12 anos, um modelo de desenvolvimento sustentável na geração de empregos e na valorização do salário mínimo.

“Nós tivemos a criação de mais de 20 milhões de novos empregos, mais o aumento real do salário mínimo, que hoje está 82% acima da inflação. E isso tem sido o grande balizador do modelo que o Brasil adotou”, exaltou o ministro, já que esse fato impacta no poder de compra e, assim, reflete na economia do país.

O documento do Banco Mundial adverte que o mundo enfrenta uma crise de emprego generalizada que ameaça as perspectivas de uma retomada do crescimento econômico. “O relatório do Banco Mundial diz que antes de 2018 os países ricos afetados pela crise de 2008 não vão se recuperar”, explicou Dias.

Segundo o banco, será preciso criar 600 milhões de novos postos de trabalho em todo o mundo até 2030 apenas para lidar com o aumento da população. Ainda de acordo com o documento, que também foi assinado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mais de 100 milhões de pessoas estão desempregadas nos países do G-20, sendo  447 milhões de pessoas são consideradas ‘trabalhadores pobres’, vivendo com menos de US$ 2 dólares por dia.

Maneca acrescentou:

“A crise vem continuando e a presidenta Dilma deu ênfase a essa política, e temos mantido a maioria absoluta dos brasileiros empregados. Pleno emprego nós estamos vivendo”.

Na sua opinião, gerar emprego para a população é a função primeira do Estado, o que a presidenta Dilma garanti, em seu governo, segundo ele, gerando ao todo  5,6 milhões de novos empregos no Brasil.

Para o ministro, tão importante quanto gerar emprego é o aumento real de salário. Segundo ele, no ano de 2013 e no primeiro semestre de 2014 – todos os acordos salariais promovidos entre trabalhadores e empregadores alcançaram sempre aumento acima da inflação.

“Então, o país que gera tantos novos empregos está em recessão? Pelo contrário”, garantiu Manoel Dias na entrevista.

Jovem Aprendiz

Manoel Dias acrescentou ainda que o Governo federal está se empenhando também para gerar oportunidades de trabalho para os jovens brasileiros. A partir de agora as micro e pequenas empresas poderão contratar jovens aprendizes por meio do Programa Nacional de Acesso Técnico e Emprego (Pronatec), com recursos federais. A ampliação é resultado de uma parceria entre os ministérios do Trabalho e Emprego, da Educação e da Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República, e foi anunciado no último dia 10/9.

“Esse estágio é fundamental porque é a primeira experiência de trabalho. O jovem vai se qualificar para o primeiro emprego”, disse Manoel Dias.

Segundo o ministro, levantamentos realizados pelo ministério apontam que 82% dos jovens, depois de fazerem estágio ou aprendizado, permanecem no mercado de trabalho.

“A juventude vai se preparando para os momentos importantes que o Brasil vai empreendendo.  Eles têm papel fundamental no processo de crescimento e na construção de um país justo, igual e democrático”, disse.

O ministro Manoel Dias também ressaltou que as políticas nacionais na área do trabalho decente são vanguarda no mundo inteiro. Segundo o ministro, as políticas do governo federal no combate ao trabalho similar ao escravo e ao trabalho infantil têm avançado muito no país e têm tido reconhecimento global.

Ouça a entrevista


FHC diz que políticos devem ser ‘menos corruptos’ e é criticado pela oposição

quinta-feira, 18 setembro, 2014

Jornal do Brasil /Louise Rodrigues*

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) concedeu uma entrevista ao Jornal O Globo afirmando que os partidos políticos precisam ser “menos corruptos”. Essa não a primeira vez que o tucano discursa condenando a corrupção. Para partidos de esquerda, a declaração de FHC é “hipócrita” e a admissão da corrupção em menor escala, como pareceu propor, é “inadmissível”.

Para a candidata à presidência da República pelo PSOL, Luciana Genro, “o capitalismo é feito para pensar no lucro e não nas pessoas. O dinheiro vem acima de tudo. Então a corrupção é inerente. Por isso ele [Fernando Henrique] nem imagina que possa haver política sem corrupção”. A presidenciável disse ainda que “ele está falando do partido dele e dos partidos que participam de um sistema corrupto que ele ajudou a construir. É uma demonstração que ele sabe que os partidos reproduzem o próprio sistema”.

Fernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique Cardoso

O candidato ao governo do estado do Rio de Janeiro Tarcísio Motta (PSOL) condenou a postura do PSDB de querer “colocar como se a corrupção estivesse em todos os partidos”. Para ele, “isso não é verdade. Os partidos que estiveram no poder nos últimos anos cederam aos interesses das grandes empresas e se tornaram corruptos”. Tarcísio disse ainda que “a corrupção é fruto de um sistema corruptor, de um estado a serviço das grandes empresas, dos bancos, das empreiteiras. É fruto da velha política baseada na troca de favores. O PSDB não tem moral para falar de combate à corrupção”.

O candidato lembrou de escândalos, como o esquema de compra de votos para aprovar a reeleição e a construção de um aeroporto em Minas Gerais, em um terreno que pertence a um tio de Aécio Neves. Ambos aconteceram em mandatos de tucanos, o primeiro durante o governo FHC e o segundo durante o mandato do atual candidato do partido a presidente, Aécio Neves.

Para o deputado federal e ex-presidente nacional do PSOL, Ivan Valente, “é estranho que Fernando Henrique fale uma coisa dessas porque os tucanos estão envolvidos em vários escândalos e não têm uma CPI investigando o PSDB. É uma grande hipocrisia o Fernando Henrique falar em corrupção.”, disse lembrando também da participação do partido no Mensalão. “É preciso acabar com o poder dos bancos, das empreiteiras, do agronegócio, das multinacionais. Temos que lutar pela ética na política. Ser ético, para nós que estamos na vida pública, não é uma virtude. É uma obrigação. Dizem que a corrupção é a raiz de todos os problemas, mas ninguém quer combater na sua origem, que é o financiamento privado de campanha e de governos”, criticou.

* Do Programa de Estágio do Jornal do Brasil


TRE condena agressão de Paulo Souto contra Rui Costa

quarta-feira, 17 setembro, 2014

Após receber ataques do candidato Paulo Souto (DEM), no horário de propaganda eleitoral, Rui Costa entrou na Justiça Eleitoral e venceu. O candidato a governador pela coligação ‘Pra Bahia Mudar Mais’ foi considerado injustamente agredido pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE/BA). O programa do candidato do DEM havia acusado Rui de ser o deputado federal mais faltoso do Congresso Nacional. O resultado foi divulgado nesta quarta (17), totalmente desfavorável a Souto. O advogado Adriano Soares da Costa, coordenador da assessoria jurídica da Coligação “Pra Bahia Mudar Mais”, garante que a decisão da Justiça Eleitoral é um divisor de águas. “A Justiça Eleitoral da Bahia deixa claro que não admitirá ataques pessoais baseados em fatos inverídicos, que atinjam a honra dos candidatos”, exalta o advogado, reconhecido como um dos maiores especialistas em Direito Eleitoral no país.

fonte: Política Livre


Governador inaugura recuperação da BA-411, trecho entre Ichu e Tanquinho

quarta-feira, 17 setembro, 2014

0535

Wagner esteve em Candeal para entregar trecho recuperado

A recuperação de dois trechos da BA-411, de Candeal a Tanquinho, e de Candeal a Ichu, foram inaugurados pelo governador Jaques Wagner nesta quarta-feira (17), com restauração e pavimentação da rodovia, com investimentos de cerca de R$ 10 milhões.

O governador destacou a continuidade da recuperação da rodovia que corta a região interligando as BR’s 324 e 116. “Estrada é transporte, mas também é educação, com a locomoção dos estudantes, e desenvolvimento econômico, com o escoamento dos produtos, e por isso é uma alegria para mim entregar mais um trecho importante como esse” afirmou.

 

A intervenção compreende os 19 quilômetros entre Tanquinho e Candeal, além dos dez quilômetros de Candeal até Ichu, facilitando o acesso e o escoamento da produção da economia da região, baseada na agricultura e na pecuária.

 

Morador da zona rural de Candeal, o vigilante Ubirajara Ferreira, 48, percorre o trajeto diariamente para trabalhar, e conta como ficou mais rápido e seguro chegar ao destino em menos de dez minutos. “Melhorou 100% para nós que precisamos nos locomover na região porque a estrada estava uma buraqueira e a gente atrasava de meia hora a 40 minutos para chegar”, comparou.

 

Em 2013, já havia sido entregue o trecho de 23 quilômetros entre Ichu e Serrinha. Ao todo, o Governo do Estado já construiu e recuperou, desde 2007, oito mil quilômetros de rodovias, com investimentos de mais de R$ 2 bilhões na malha rodoviária em toda a Bahia. (Foto: Manu Dias/GOVBA).

http://www.interiordabahia.com.br

 


Paulo Rubem pede quebra de sigilos de empresas pernambucanas envolvidas na compra do avião

quarta-feira, 17 setembro, 2014

O deputado federal Paulo Rubem Santiago (PDT), candidato a vice governador de Pernambuco na chapa do senador Armando Monteiro Neto (PTB), pediu a quebra de sigilo bancário e fiscal de todas as empresas pernambucanas envolvidas na compra e manutenção do avião usado na campanha presidencial do ex-governador Eduardo Campos (PSB). 

O parlamentar, que é membro da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção da Câmara Federal, cobra explicações sobre o adversário na disputa ao governo do estado, Paulo Câmara (PSB), entre outors pontos, por ele ter dado isenção fiscal a uma empresa envolvida na chamada Operação Lava Jato, quando era secretário de Finanças do estado.

Segundo Paulo Rubem, o pedido de quebra de sigilo será apresentado nesta quarta-feira (17) durante a sessão plenária da Câmara. “Não estamos fazendo nenhuma acusação leviana, as referências são oficiais. Esta rede de negócios com as empresas do doleiro Yousseff é muito maior do que se achava no início da CPI. Há muito a ser esclarecido”, comentou Paulo Rubem. Os questionamentos foram feitos em 10 pontos. Confira abaixo: 

1. Este grupo político do qual o nosso adversário, Paulo Câmara, se “auto-intitula” novo líder, perdeu as condições éticas de tentar governar Pernambuco por mais quatro anos. Reportagem do Jornal o Globo do último domingo afirma que o Tribunal de Contas da União (TCU) detectou uma operação entre o Governo de Pernambuco e a Refinaria Abreu e Lima, no valor de R$ 839 milhões, revelando sonegação fiscal e evasão de divisas. 

2. O povo de Pernambuco sabe que o nosso adversário também foi secretário da Fazenda. Portanto, este é mais um assunto sobre o qual ele deve explicações à população. É evidente que, como secretário da Fazenda, ele tinha conhecimento deste processo que está tramitando no TCU. 

3. Reportagem do Jornal da Globo do último dia 09 de setembro de 2014, diz que o senhor Paulo Roberto Costa movimentou em sua conta pessoal pelo menos R$ 36 milhões, nos últimos nove anos. Ele também recebeu mais de R$ 900 mil via Costa Global, empresa de Consultoria de sua propriedade. Além disso, extratos obtidos pela CPI da Petrobrás, comprovam que empresas de fachada, que receberam dinheiro de contratos da Petrobrás, também tiveram movimentação milionária entre 2009 e 2013, mais de R$ 92 milhões, sendo que R$ 2 milhões vieram do Consórcio da Refinaria Abreu e Lima, que fica localizada no Porto de Suape;

4. Uma empresa de Nazaré da Mata, Câmara & Vasconcelos, que foi uma das que pagou R$ 160 mil pelo avião, fez negócios no valor de R$ 100 mil com o doleiro Alberto Youssef, pivô da operação lava jato;

5. A Bandeirantes Pneus solicitou junto à ANAC registro para a compra do avião;

6. O candidato Paulo Câmara concedeu benefícios fiscais e comerciais à Bandeirantes Pneus;

7. Uma peixaria localizada na Imbiribeira, no Recife, denominada Geovane Pescados, e outras empresas fantasmas aparecem como pagadoras do avião, como a Lopes & Galvão, de São Lourenço da Mata;

8. O candidato Paulo Câmara utilizou o avião e não colocou na sua prestação de contas, o que, também, ainda não ocorreu na prestação contas da campanha nacional do PSB até agora;

9. O povo de Pernambuco precisa saber a origem do dinheiro utilizado pelas empresas que pagaram o avião usado por Paulo Câmara;

10. Como o nosso adversário Paulo Câmara insiste em não dar as devidas explicações, comunico ao povo de Pernambuco que estou encaminhando requerimento à CPMI da Petrobrás, pedindo a quebra dos sigilos bancário e fiscal de todas as empresas pernambucanas envolvidas na compra e manutenção do avião. Precisamos conhecer a origem do dinheiro utilizado por essas empresas que pagaram o avião. O povo de Pernambuco merece respeito.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.