Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

 Quer um site só pra você ou sua empresa?

.


Sr. do Bonfim: Tijuaçu é reconhecido como território quilombola pelo Incra

terça-feira, 29 julho, 2014

 

0503

O território quilombola abriga 828 famílias em seis áreas de 8,4 hectares

O território quilombola de Tijuaçu foi reconhecido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). O local abriga 828 famílias em seis 8,4 hectares e fica entre os municípios de Senhor do Bonfim, Filadélfia e Antônio Gonçalves.

É a área com maior número de beneficiados incluídos no programa “Brasil Quilombola”. Segundo o Incra, é preciso que a Presidência da República considere a área de interesse social. Os quilombolas ganham direito à posse da área, que hoje tem 39 propriedades particulares e 37 posseiros.
O Incra informa que foi constatado, no relatório, que o povoamento do local foi iniciado após a chegada de uma mulher chamada Maria Rodrigues, chamada “Mariinha”, de origem nagô que teria fugido de uma senzala em Salvador. Ela se estabeleceu na localidade de Alto Bonito e fundou o quilombo ao se casar com um homem de origem Congo.
O relatório afirma ainda que é ponto forte das comunidades que compõem o território, por exemplo, o samba de lata, que surgiu enquanto as mulheres caminhavam longos trechos em busca de água. Aponta ainda que os moradores de Tijuaçu costumam se vestirem de forma particular, com trançados diferenciados e uso de torço.

http://www.interiordabahia.com.br


Evandro Almeida é empossado como o novo prefeito de São Fco do Conde

terça-feira, 29 julho, 2014

 

0502

A posse de Evandro Almeida aconteceu na Câmara Municipal

Na manhã desta segunda-feira (28), Evandro Almeida foi empossado prefeito de São Francisco do Conde, visto que o cargo de prefeito estava vago desde a última quinta-feira (24), quando a prefeita Rilza Valentim faleceu.

A morte da ex-prefeita Rilza se deu por “Embolia Pulmonar”, decorrente de Anemia Falciforme, doença que já acometia a gestora.

 

A posse de Evandro Almeida, que aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores, contou com a presença de todos os vereadores e todos os secretários municipais. Evandro, ainda muito emocionado com a morte de Rilza, de quem foi vice-prefeito por quase seis anos fez um breve pronunciamento. “Eu me comprometo em dar seguimento aos projetos da nossa eterna prefeita e farei o que for possível para honrar a palavra de Rilza. Vamos continuar cuidando das pessoas”.

 

O prefeito empossado fez o seguinte juramento: “Prometo cumprir a Constituição da República Federativa do Brasil, a Constituição do Estado da Bahia, a Lei Orgânica do município de São Francisco do Conde e as demais leis, desempenhar com lealdade o mandato que me foi outorgado e promover o bem geral do povo, exercendo com patriotismo as funções do meu cargo”.

 

Quem é o novo Prefeito

Evandro Almeida (PP) é engenheiro civil e foi vice-prefeito quando venceu as eleições ao lado da prefeita Rilza Valentim, entre 2009 e 2012. Desempenhou o papel de secretário municipal de Infraestrutura, de onde só se afastou quando foi concorrer a reeleição ao lado de Rilza.

http://www.interiordabahia.com.br

 


Dilma: “Há um pessimismo inadmissível em relação à economia”

terça-feira, 29 julho, 2014

 0025

Em sabatina conjunta promovida pela Folha de S.Paulo, UOL, Jovem Pan e SBT, a presidente Dilma Rousseff disse que existe no país um pessimismo inadmissível em relação à economia, a exemplo do que aconteceu na organização da Copa do Mundo. Os candidatos Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), já foram sabatinados na semana retrasada.

Dilma defendeu a condução da política econômica feita por seu governo, mas se recusou a responder se vai manter nos cargos o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, caso seja reeleita. “Estamos em plena campanha. Não é bem a hora de a gente discutir ministério. Eu definitivamente não discuto meu ministério, até porque sou supersticiosa”, enfatizou.

>>  Dilma diz que situação na Faixa de Gaza é um massacre

>> Dilma sobre mensalão: “dois pesos e umas 19 medidas”

>> Dilma nega ter sido chantageada pelo PR em troca ministerial

A presidente destacou que o desemprego está nas suas menores taxas históricas. “O setor em que fizemos mais emprego foi a indústria”, disse, ao defender as políticas do governo para a indústria e para o setor de infraestrutura, citando que o Programa de Sustentação de Investimento (PSI) resultou em aportes de R$ 200 bilhões.

Dilma ressaltou ainda que seu governo será, ao final deste ano, aquele que mais investiu em infraestrutura, e garantiu que o país terá um momento de retomada com um novo ciclo de produtividade.

Ao avaliar a condução da economia brasileira no seu governo, Dilma comparou o Brasil a outros países e disse que dentro do grupo dos 20 mais ricos, o G20, o país está no rol dos que mais crescem, assim como um dos únicos que fazem superávit primário. “Nenhum país se recuperou. Dizia-se que a recuperação era dos países desenvolvidos. É uma modesta, modestíssima recuperação”, avaliou a presidente. Dilma destacou que na cena internacional, as economias estão decrescendo ou desacelerando. “No mesmo período (de 2008 até hoje), o Brasil sempre esteve com taxa de crescimento acima da média internacional”, alegou.

Dilma negou que o combate à inflação esteja fora de controle. Ela minimizou o fato de o país já ter ultrapassado o teto da meta de inflação (hoje em 6,5%, segundo o IPCA) alegando que o estouro foi de 0,02 ponto percentual. Ao ser indagada sobre erros na condução econômica brasileira, Dilma afirmou que a crise está em curso porque “o mundo errou”.

“O mundo errou porque saiu completamente do controle a crise do sistema financeiro internacional. No Brasil, tentamos impedir que o tradicional efeito da crise, como a geração de desemprego, acontecesse. Minimizamos os efeitos da crise na economia brasileira”, afirmou.

Caso Santander

Dilma Rousseff considerou lamentável a carta do banco Santander aos clientes ricos, de que um eventual sucesso eleitoral da presidente iria piorar a economia do Brasil. “Lamento que o que aconteceu. É inadmissível. Um país não deve aceitar uma interferência de qualquer instituição financeira de qualquer nível”, defendeu a presidente.

>> Analista fez texto contra Dilma, diz presidente do Santander

>> TSE e BC têm obrigação de intervir no Santander

>> Banqueiro espanhol incentiva fuga de capitais do Brasil 

>> “El País”: carta do Santander ‘caiu como bomba’ no Planalto

>> Cinismo

Para ela, o pedido de desculpas foi “protocolar”. Dilma afirmou que irá tomar medidas sobre a carta, mas não explicou o que será feito. “Sobre o Santander, eu acho inadmissível. Eu não sei o que farei, eu não vou especular”, declarou. Dilma disse que deve conversar com o presidente da instituição. “Eu vou conversar primeiro, eu vou ter uma medida bastante séria. Eu sou presidente da República, eu tenho de ter uma atitude mais prudente”, declarou.

Com Portal Terra


Faxina no Fazendão: depois de técnico, diretor e gerente saem do Bahia

segunda-feira, 28 julho, 2014

Por: Redação Galáticos Online (Twitter: @galaticosonline)

Os dez jogos sem vencer derrubaram o técnico Marquinhos Santos do Bahia e atingiram também o departamento de futebol do clube. No início da tarde desta segunda-feira (28), os dirigentes do Esquadrão anunciaram que o diretor de futebol Ocimar Bolicenho e o gerente de futebol Cícero Souza não fazem mais parte dos planos da agremiação.

De acordo com o clube, Ocimar já deixou o cargo, enquanto Cícero concluirá período de aviso prévio, a seu pedido, até quinta-feira (31), quando deixará a gerência de futebol. Ainda segundo o comunicado emitido pelo Bahia, os substitutos serão apresentados na quarta-feira (30) e já estão participando da escolha do novo treinador.

“Resolvemos promover essa reestruturação aproveitando a chegada do treinador e o momento vivido pela equipe. Temos potencial para uma campanha bem superior à qual estamos fazendo”, disse o presidente do Bahia, Fernando Schmidt, ao comentar a reformulação no clube.

Bocão News

Nova tragédia no Rio São Francisco. Seis jovens morrem afogados em Serra do Ramalho, no oeste da Bahia

segunda-feira, 28 julho, 2014

0501

 

Os seis jovens morreram afogados quando nadavam no rio

Seis jovens morreram afogados na manhã deste domingo (27), quando nadavam no rio São Francisco, nas proximidades das comunidades dos povoados de Palmas e Passos, zona rural de Serra do Ramalho, Oeste da Bahia.

Dos seis jovens, cinco moravam na Agrovila 20 e um na Agrovila 21, e pertenciam a um grupo de evangélicos da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

 

De acordo com informações extra-oficiais, na tentativa de salvar a primeira pessoa que estava se afogando os demais também acabaram morrendo. Dois corpos já foram encontrados. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), familiares e populares estão no local tentando encontrar os outros corpos.

 

Até o momento as informações são de que se tratam de Rogério Pereira Machado, Derilto Lima, Dieison Andrade, César Augusto, Ramon, José Eures, com idade entre 14 e 16 anos.

 

É de conhecimento público que o Rio São Francisco está em processo de assoreamento e todos os anos, nesta mesma época, em que seu volume de água está baixo, vem à mostra várias crôas onde muitas pessoas vão no intuído de se divertirem. Infelizmente todos os anos uma ou mais pessoas perecem nas águas do “Velho Chico”. Essas crôas são traiçoeiras, principalmente pelo fato de estarem em constante deslocação. Onde hoje é raso amanhã pode ser um lugar muito profundo.

 

Tragédia semelhante ocorreu em outra cidade ribeirinha ao Rio São Francisco. No dia 29 de junho, seis amigos que tomavam banho morreram afogados em Morpará. Eles eram naturais de  Ibipetum, zona rural de Ipupiara, distante 603 Km de Salvador. Os jovens tomavam banho no rio quando seis deles resolveram adentrar o rio para tirar uma foto. Nesse momento um dos jovens caiu numa vala e começou a se afogar. As outras cinco vítimas tentaram socorrer o amigo e acabaram se afogando juntos.

 

Morreram Vinícius Vale, 16 anos, Gilmar Vale, 25 anos, Vinícius Oliveira Miranda, 15 anos, Breno Rodrigues Silva, 13 anos, Davidson Miranda, 16 anos e Anderson Almeida, 19 anos. A jovem Keyla Miranda, irmã de Devdson, que tirava a foto, sobreviveu e acabou assistindo toda a tragédia. (Com informações do blog Serradoramalhofolia.com).

http://www.interiordabahia.com.br

 


‘As eleições foram prostituídas’, diz Pinheiro ao criticar o sistema eleitoral brasileiro

segunda-feira, 28 julho, 2014

por Marcos Russo

'As eleições foram prostituídas', diz Pinheiro ao criticar o sistema eleitoral brasileiro

Foto: Evilásio Júnior / Bahia Notícias
Em entrevista ao programa Acorda Pra Vida, da Rede Tudo FM, nesta segunda-feira (28) o senador Walter Pinheiro (PT) criticou duramente o sistema eleitoral brasileiro. “As eleições foram prostituídas. O sujeito da eleição de 2016 já está fazendo campanha desde agora”. O petista comentou sobre a proposta de reforma política. “Um dos pontos da reforma política é a reforma do conteúdo programático. Dia sete de outubro apresento [a proposta de] eleições gerais, em 2019, com o fim da reeleição”. Pinheiro disse também discordar de duas casas que tem o funcionamento parecido. “O Senado é outra Câmara. Nós temos quatro casas legislativas. Volto a dizer, o Senado hoje faz o mesmo papel da Câmara. Tem temas que eu acho que a Câmara não deveria discutir. Idem o Senado. Tem temas que não precisariam transitar nas duas casas. No geral, a gente termina fazendo tudo. E a gente não vai contribuindo para colocar o dedo na ferida. Legislar a partir do que se precisa”, ponderou. Com tantas emendas, o senador baiano disse que já se tem uma nova Constituição. “Já fizemos uma nova Constituição. A Constituição é para ter diretrizes. Nós mudamos a Constituição”, criticou. Sobre o processo de reeleição, o senador se mostrou contrário ao Executivo e possibilitou apenas mais uma mandato para o legislativo. “Reeleição para Executivo é um mandato e acabou. Para o Legislativo pode se reeleger uma vez só. Tem um deputado federal que tem onze mandatos. Esse negócio é complicado. No quinto mandato, por mais que eu mantenha o pique, a tendência natural é de acomodação”, disse. Ele aproveitou para responder às críticas ao trabalho dos parlamentares. “Lá dentro é o extrato do que tem aqui fora. É obvio que o que vai para lá tem um peso maior que é o fator econômico. Eu acho que é importante a gente dosar”, balanceou. Sobre apoio de pai político a eleição de filho e/ou esposa, Pinheiro disse ser contra. “Eu acho que o Tribunal deveria proibir esse tipo de coisa. Essa coisa de filho vira uma capitania hereditária. Porque que para disputa eleitoral a gente pode botar parente? É bom que a gente tivesse regras porque isso é um uso e abuso para se manter”, disse.
Bahia Noticias

Tragédia palestina e a vitória dos “anões diplomáticos” sobre Israel na ONU

segunda-feira, 28 julho, 2014

Mauro Santayana

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel,Yigal Palmor, deve estar achando o máximo ter sido repentinamente elevado, pela rançosa e entreguista direita latino-americana – como o Sr. Andrés Oppenheimer – à condição de “superstar”, depois de ter chamado o Brasil de “anão diplomático” e de ter nos lembrado, com a autoridade moral de um lagarto, que “desproporcional é perder de 7 x 1”, referindo-se à Copa do Mundo, e não, matar e ferir mais de 3.000 pessoas e desalojar quase 200.000, para “vingar” um número de vítimas civis que não chegam a cinco.

Com acesso a drones e a sofisticados satélites de vigilância norte-americanos, e a compra de espiões em território “controlado” pelo Hamas – traidores e mercenários existem em todos os lugares – Israel poderia, se quisesse, capturar ou eliminar, com facilidade, em poucos meses, os responsáveis pelo lançamento de foguetes contra seu território, assim como alega contar com eficaz escudo que o protege da maioria deles.

O governo de Telaviv – e o Mossad – não o faz porque não quer. Prefere transformar sua resposta em expedições punitivas não contra os responsáveis pelos projéteis, mas contra todo o povo palestino, matando e mutilando – como fizeram os nazistas com os próprios judeus na Segunda Guerra Mundial- milhares de pessoas, apenas pelo fato de serem palestinos.

Essa atitude, no entanto, não impediria que surgissem novos militantes dispostos a encarar a morte, para continuar afirmando – pelo único meio que bélico lhes restou – que a resistência palestina continua viva.

Do meu ponto de vista, nesse contexto de cruel surrealismo e interminável violência do confronto, para chamar a atenção do mundo, os palestinos, principalmente os que não estão ligados a grupos de inspiração islâmica, deveriam não comprar mais pólvora, mas tecido.

Milhares e milhares de metros de pano listrado, como aqueles que eram fabricados por ordem do KonzentrationslagerInspetorate, e das SS, na Alemanha Nazista, para vestir entre outros, os prisioneiros judeus dos campos de extermínio.

Os milhões de palestinos que vivem na Cisjordânia e na Faixa de Gaza poderiam – como fez Ghandi na Índia – adotar a não violência, raspar as suas cabeças, as de suas mulheres e filhos, como raspadas foram as cabeças dos milhões de judeus que pereceram na Segunda Guerra Mundial, tatuar em seus braços, com números e caracteres hebraicos, a sua condição de prisioneiros do Estado de Israel, costurar, no peito de seus uniformes,o triângulo vermelho e as três faixas da bandeira palestina, para ser bombardeados ou morrer envoltos na mesma indumentária das milhões de vítimas que pereceram em lugares como Auschwitz, Treblinka e Birkenau.

Quem sabe, assim, eles poderiam assumir sua real condição de prisioneiros, que vivem cercados dentro de campos e de guetos, por tropas de um governo que não é o seu, e que, em última instância, controla totalmente o seu destino.

Quem sabe, despindo-se de suas vestimentas árabes, das barbas e bigodes de seus homens, dos véus e longos cabelos de suas mulheres, despersonalizando-se, como os nazistas faziam com seus prisioneiros, anulando os últimos resquícios de sua individualidade, os palestinos não poderiam se aproximar mais dos judeus, mostrando-lhes, aos que estão do outro lado do muro e aos povos do resto do mundo – com imagens semelhantes às do holocausto – que pertencem à mesma humanidade, que são, da mesma forma, tão vulneráveis à doença, aos cassetetes, às balas, ao desespero, à tristeza e à fome, quanto aqueles que agora os estão bombardeando.

As razões da repentina e grosseira resposta israelense contra o Brasil – que ressaltou, desde o início, o direito de Israel a defender-se – devem ser buscadas não no “nanismo” diplomático brasileiro, mas no do próprio governo sionista.

É óbvio, como disse Yigal Palmor, que no esporte bretão 7 a 1 é um número desproporcional e acachapante.

Já no seu campo de trabalho – a diplomacia –como mostrou o resultado da votação do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que aprovou, há três dias, a investigação das ações israelenses em Gaza, os “anões” diplomáticos -entre eles o Brasil,que também votou contra a posição israelense – ganharam por 29 a 1, com maioria de países do BRICS e latino-americanos. Só houve um voto a favor de Telaviv, justamente o dos EUA.

Concluindo, se Palmor – que parece falar em nome do governo israelense, já que até agora sequer foi admoestado – quiser exemplo matemático ainda mais contundente, bastaria lembrar-lhe que, no covarde “esporte” de matar seres humanos indefesos – entre eles velhos, mulheres e crianças –  disputado pelo Hamas e a direita sionista israelense, seu governo está ganhando de goleada, desde o início da crise, pelo brutal – e desproporcional placar – de quase 300 vítimas palestinas para cada civil israelense.

http://www.jb.com.br


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.