Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

Estudantes aprendem sobre preservação ambiental em passeio ao Parque das Dunas

quinta-feira, 27 julho, 2017

Os estudantes do 2° ano do Ensino Médio do Colégio Estadual do Stiep Carlos Marighella, localizado em Salvador, tiveram uma aula diferente nesta terça-feira (25). Eles visitaram o Museu das Dunas, situado na Praia do Flamengo, no qual puderam aprender mais sobre preservação ambiental e sustentabilidade. A iniciativa chamada de Caravana Científica é uma ação do Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, que oportuniza a participação de estudantes em ambientes não formais de educação. Tratam-se de aulas de campo para a realização de estudos exploratórios e experimentais.

No local, os alunos assistiram a uma palestra sobre a importância da preservação das dunas para o ecossistema litorâneo, conheceram plantas nativas da região e fizeram uma trilha pelas dunas. Além disso, contextualizaram os conteúdos trabalhados em sala de aula nas disciplinas de Biologia e Física. Após a atividade, eles irão elaborar relatórios para o desenvolvimento de projetos científicos.De acordo com uma das formadoras do programa, Marília Pinto Fontes, que acompanhou os estudantes, esta ação é muito importante para o aprendizado e estimula a iniciação científica. “Esta é uma forma de mostrar para os alunos que existem outras possibilidades de estudos para além da sala de aula. Através do contato com a natureza, eles visualizam e entendem a importância da preservação do meio ambiente”, explica.

Layne Esther Oliveira, 16, conta que aprendeu muito no passeio. “Gostei muito da visita de campo porque visualizamos, na prática, conteúdos relacionados à fauna, flora, biosfera e ecossistema. Fiquei surpresa ao saber que nos anos 50 Salvador possuía muitas áreas com dunas e na visita pudemos fazer uma viagem no tempo”, disse animada.

Para Daniel Patrício dos Santos, 16, a atividade foi enriquecedora. “Precisamos conhecer para preservar porque as dunas são muito importantes para a cidade, pois a vegetação absorve a salinidade que vem do mar através do vento e as areias ajudam a equilibrar a temperatura da cidade”, afirma o estudante.

As visitas ao Parque das Dunas continuam. A próxima será nesta quinta-feira (27), das 13 às 17h30, com estudantes do Colégio Estadual Antônio Sérgio Carneiro e do Colégio Estadual Professor Carlos Alberto Cerqueira, que também levará outra turma no dia 4 de agosto. Já no dia 15 de agosto, a visita será direcionada para professores do curso (Re)pensando a Prática do Ensino de Ciências no Ensino Médio, ofertado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/estudantes-aprendem-sobre-preservacao-ambiental-em-passeio-ao-parque-das-dunas


Eleição 2018: Passes de Carletto, Nilo e outros pode valer vaga na majoritária e o comando do PR

quarta-feira, 26 julho, 2017

Política

Iniciada com a movimentação do deputado federal João Carlos Bacelar (Jonga), o PR vive uma ebulição interna, podendo passar de um partido de pequeno a médio porte para uma legenda de médio a grande porte, pelo menos na Bahia.

Bacelar costura a entrada dos deputados federais Ronaldo Carletto (abaixo) e Roberto Britto, ambos do PP, e tem como principal objetivo dessa cartada fortalecer o partido para brigar por uma vaga na chapa majoritária na disputa de 2018.

Ainda dentro dessa investida de Jonga Bacelar, estaria também a chegada de quatro a cinco deputados estaduais, fortalecendo ainda mais o projeto. Na lista constam nomes como os dos deputados Aderbal Caldas, Robinho e Luiz Augusto, todos do PP, mas extensivo também a Manasses e Alan castro, atualmente no PSL, além de Reinaldo Braga e Nelson Leal.

Se o projeto vingar, a legenda vai se cacifar para brigar por uma vaga na majoritária do governador Rui Costa, mas, como entendido, se não conseguir, pode abrir conversa com o prefeito ACM Neto, principal nome da oposição para disputar o governo no próximo ano. O projeto passa também pela conjuntura nacional, já que os republicanos integram o bloco do centrão, formado pelo próprio PR, PTB, PP e PSD, que dão sustentação ao presidente Temer.

Marcelo Nilo conversando

Não bastasse esse movimento admitido por Jonga Bacelar, o presidente do partido na Bahia, deputado federal José Carlos Araújo, também está conversando com outras lideranças politicas do Estado, a exemplo do ex-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, que deixou o PDT para assumir o controle do PSL, mas parece que o isolamento politico dentro da legenda após perder a eleição na ALBA tem lhe incomodado.

Como o tempo urge, Nilo tenta restabelecer a sua força politica e por isso também procurou o Partido Republicano, já que pretende deixar o PSL para se viabilizar no tabuleiro político das eleições de 2018.

Ontem (terça-feira, 25), o presidente do PR contou que se reuniu com Nilo em um almoço e tratou sobre a possibilidade de mudança partidária. A princípio, Marcelo Nilo estaria com a pretensão de disputar a Câmara dos Deputados, mas teria recebido a promessa de, uma vez o PR fortalecido, ele ser uma opção da sigla para brigar por vaga em uma chapa majoritária.

Araújo admite que, atualmente, o PR não tem musculatura para pleitear um posto em uma eventual chapa majoritária, mas admite que isso possa mudar. “Do jeito que está, é difícil, porque precisa crescer. Tem outros partidos maiores na frente. A gente tem que saber o tamanho que a gente tem. Se o partido crescer, vamos disputar vaga”, disse em entrevista ao site Bocão News.

Disputa pela legenda

Apesar de o movimento ser importante para o PR baiano, percebe-se que Jonga Bacelar e José Carlos Araújo fazem movimentos distintos, ficando claro que os dois brigam pelo controle da legenda. A conquista de novos quadros é importante para o partido, mas é também o trunfo que os dois estão usando para se fortalecer junto à cúpula nacional. Por isso, é importante tentar uma vaga numa majoritária, com Bacelar trazendo Carletto e Araújo buscando Nilo.

Nesse jogo, o atual presidente do partido na Bahia já reagiu ao movimento do ‘aliado’.  “A direção nacional do PR já disse que quem decide sou eu. Ele está fazendo voo solo. O partido na Bahia tem direção, tem rumo. Isso é precipitado”, disse Araújo, num recado a Jonga. (Da redação do Interior da Bahia, com informações).

http://www.interiordabahia.com.br


Estudantes visitam museu Afro-brasileiro em Salvador

quarta-feira, 26 julho, 2017

Foto: divulgação
 Com o objetivo de apresentar conteúdos que facilitam a compreensão histórica, artística e etnográfica que identificam as sociedades africanas, estudantes do 1º ano do Colégio Estadual Odorico Tavares, no Corredor da Vitória, visitaram, nesta terça-feira (25), o Museu Afro-Brasileiro, localizado no Terreiro de Jesus (Pelourinho). Na oportunidade os alunos puderam discutir a valorização e fortalecimento da cultura africana como aspectos fundamentais da sociedade brasileira.
A professora de Humanidades, Luciana Senna, conta que o trabalho busca inserir no currículo o conhecimento da cultura africana, presentes nas Leis 10.639/03 e 11.645/08, por meio de atividades que possam atrair o interesse dos alunos. “Estamos realizando diversas ações em que podemos debater a importância da cultura africana, assim como a indígena. Desenvolvemos atividades desde o início do ano, que culminam nestas visitas. Eles participaram do Cine Kurumin, Festival de Cinema Indígena, com apresentação de documentários, estão hoje no museu, e na próxima semana temos uma visita à Caixa Cultural para uma exposição sobre quilombola e indígena”, explica.
Para a estudante Maria Vitória Silva, 17 anos, essa oportunidade esclarece muitas incoerências na história. “A dominância da cultura europeia distorcia muito a cultura africana. A gente perceber, por exemplo, que imagens como a de Iemanjá e Cleópatra foram retratadas no decorrer da história com traços da raça branca, são com certeza um equívoco”, conta.
Segundo o seu colega Alexandre Gadelha, 16, esses projetos são importantes para promover o autoconhecimento. “Essas atividades nos motivam, cada vez mais, a procurar outras formas de conhecer sobre o nosso passado e como os fatos históricos tem ligação direta com a realidade atual. E estar inserido na Educação Integral que a escola oferece está dando a possibilidade aos alunos de estarem participando destas ações”, destaca.

Governo do Estado lança projeto Escolas Culturais em Escolas Culturais em Itabuna nesta quinta(27)

quarta-feira, 26 julho, 2017

O governador Rui Costa, acompanhado do secretário da Educação Walter Pinheiro, lança, às 16h desta quinta-feira (27), o projeto Escolas Culturais. O ato será realizado no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, na cidade de Itabuna, no sul do estado. O projeto integra o programa Educar para Transformar e tem como objetivo promover o protagonismo estudantil, além de reconhecer e requalificar a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida.
O lançamento terá a participação dos secretários de Cultura, Jorge Portugal e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins, além de alunos da rede estadual de ensino de Itabuna e de grupos culturais da região.

Inscrições Para o ENCCEJA 2017 serão abertas em 7 de agosto

terça-feira, 25 julho, 2017
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou no Diário Oficial da União desta terça-feira (25) o edital do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), a ser aplicado em 8 de outubro, em todas as unidades da federação. O exame se destina a residentes no Brasil interessados na certificação do ensino fundamental ou ensino médio. As inscrições, gratuitas, serão abertas às 10h de 7 de agosto, podendo ser feitas até as 23h59 (horário de Brasília) de 18 de agosto.
O Encceja afere competências, habilidades e saberes de jovens e adultos que não tiveram oportunidade de concluir seus estudos na idade apropriada para cada nível de ensino. O exame tem quatro provas objetivas, com 30 questões de múltipla escolha, além de uma redação. As provas, aplicadas em dois turnos, obedecem aos requisitos básicos da legislação em vigor para o ensino fundamental e ensino médio. Os resultados individuais podem ser usados para certificação ou obtenção da declaração parcial de proficiência.
“Muitas pessoas não conseguiam as notas mínimas para a certificação”, observa a presidente do Inep, Maria Inês Fini, fazendo um paralelo do Encceja com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Além disso, nós tínhamos, na cultura de avaliação do Brasil, um exame muito consolidado para essa finalidade, que era o Encceja. O Enem se caracteriza, desde 2009, muito mais como um exame para o acesso ao ensino superior. O Encceja olha para a escolaridade básica, no currículo da educação fundamental e média e, portanto, é mais adequado para fazer uma avaliação das pessoas que não puderam concluir a educação na idade certa. É mais amigável, não necessariamente mais fácil, e tem as mesmas referências”.
Inscrições
Para fazer inscrição, é preciso ter os números do CPF e do documento de identificação. O candidato também deve informar se precisa de algum atendimento; a certificação de conclusão do ensino que está buscando; as provas para as quais deseja a certificação (caso já tenha uma declaração de proficiência de alguma área) e a secretaria estadual de educação ou o instituto federal onde deseja solicitar o certificado de conclusão ou a declaração parcial de proficiência.
A participação no Encceja Nacional 2017 é voluntária e gratuita, destinada aos jovens e adultos com no mínimo 15 anos, completados até a data de realização do exame, para certificação do ensino fundamental. Para certificação do ensino médio, a prova é direcionada a jovens e adultos com no mínimo 18 anos completados até a data de realização do exame.
Atendimentos
A política de inclusão do Inep prevê atendimento especializado para participantes que comprovarem as condições de autismo, baixa visão, cegueira, déficit de atenção, deficiência auditiva, deficiência física, deficiência intelectual (mental), discalculia, dislexia, surdocegueira, surdez, e visão monocular. Os recursos de acessibilidade oferecidos pelo Inep são auxílio para leitura, auxílio para transcrição, guia-intérprete para pessoa com surdocegueira, leitura labial, mobiliário acessível, prova com letra ampliada, prova com letra superampliada, prova em braile, sala de fácil acesso, tempo adicional e tradutor-intérprete de língua brasileira de sinais (libras).
O participante que necessitar de atendimento especializado e/ou específico deverá informar, na inscrição, a condição que motiva a solicitação de atendimento e qual auxílio ou o recurso de acessibilidade necessita, se for o caso. O candidato deve fazer upload de laudo médico com nome completo, diagnóstico com a descrição da condição que motivou a solicitação e o código correspondente a Classificação Internacional de Doença (CID 10), assinatura, o carimbo e a identificação do médico com o respectivo registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). O laudo deve ser legível, estar salvo no formato PDF, PNG ou JPG e ter tamanho máximo de 2MB. Só serão aceitos documentos enviados durante o período de inscrições.
O candidato travesti ou transexual (pessoa que se identifica e quer ser reconhecida socialmente em consonância com sua identidade de gênero) que desejar atendimento pelo nome social poderá solicitá-lo somente entre 21 e 25 de agosto, na página do participante – onde também estarão disponíveis os resultados individuais.
Encceja PPL
O Inep publicará, posteriormente, outro edital do exame específico para adultos submetidos a penas privativas de liberdade e adolescentes sob medidas socioeducativas que incluam privação de liberdade (Encceja PPL).

Secretaria da Educação lança edital para professores do MedioTec

segunda-feira, 24 julho, 2017

A Secretaria da Educação do Estado irá realizar processo seletivo destinado a profissionais pertencentes ao quadro de servidores efetivos do magistério público estadual e contratados sob o Regime Especial de Direito Administrativo (REDA), bem como ocupantes efetivos de cargos técnicos no âmbito do Estado da Bahia. Estes profissionais irão atuar nos cursos técnicos de nível médio nos Centros de Educação Profissional e unidades da rede estadual da Bahia, na ação Bolsa Formação do Mediotec. O edital foi lançado, neste sábado (22), no Diário Oficial do Estado.

As inscrições serão gratuitas e serão realizadas de 26 de julho a 03 de agosto de 2017. Os interessados devem preencher e imprimir a ficha de inscrição  e a declaração de disponibilidade anexos ao edital e que serão disponibilizados, no período de inscrição, no Portal da Educação (educação.ba.gov.br). Os respectivos documentos deverão ser enviados, via SEDEX, juntamente com o curriculum vitae (no modelo da Plataforma Lattes/CNPQ) e demais  documentos solicitados para a Superintendência de Desenvolvimento da Educação Profissional e Tecnológica (Suprot), na Avenida Luiz Viana Filho, 5ª Avenida, 550, CAB – CEP 41.745-000, Salvador, sala nº 218.
A seleção será feita pela Suprot e levará em consideração, dentre outras coisas, a análise curricular dos candidatos. O resultado será divulgado no dia 18 de agosto. A seleção terá validade de 24 meses, prorrogável por igual período, contada da homologação e divulgação do resultado final.

“Anisio Teixeira foi morto pela ditadura”, diz pesquisador da Ufba durante seminário no IAT

sexta-feira, 21 julho, 2017

 

A morte do educador baiano Anísio Teixeira até bem pouco tempo atrás era um mistério para a maioria dos brasileiros, especialmente aqueles que militam no campo da educação. Era, porque a partir do ano de 1988, um convite do ex-governador Luiz Viana Filho ao professor João Augusto Rocha, da Universidade Federal da Bahia – Ufba, deu novos contornos ao caso.

De acordo com o professor, um dos debatedores da mesa sobre Anísio Teixeira durante o II Seminário de Educação em Direitos Humanos: Politicas Públicas Educacionais e Sociais, realizado entre a quarta-feira (12) e quinta (13) da semana passada -, naquele ano o ex-governador da Bahia o chamou em sua residência e fez uma revelação surpreendente. Já debruçado numa pesquisa sobre a morte do educador baiano, o professor da Ufba recebeu talvez a informação que mais precisava para dar cabo ao seu trabalho.

“Ele me chamou em sua residência e, numa conversa particular, revelou que o Professor Anísio Teixeira havia sido morto pela ditadura. Eu fiquei surpreso com aquela revelação porque ele havia sido governador da Bahia no tempo do regime militar e foi chefe da Casa Civil do presidente Castelo Branco. Depois, eu imaginei que ele tinha a informação, mas não queria morrer com aquilo preso”, contou Rocha durante o Seminário realizado no IAT- Instituo Anísio Teixeira, em parceira com o Ministério Público, na discussão sobre a morte do educador.

O professor João Augusto Rocha revelou também detalhes da sua pesquisa, que, segundo ele, lhe trouxe mais convicção de que Anísio Teixeira não morreu por ter caído no fosso do elevador, como conta a história.

“Anísio não caiu no fosso do elevador. Se fosse assim, na queda, os óculos dele teriam se quebrado, mas eles foram encontrados intactos sobre uma viga de sustentação do elevador. O corpo dele foi encontrado com um forte hematoma na cabeça e algumas costelas quebradas. Eu não tenho certeza, mas tenho convicção que Dr. Anísio foi empurrado do elevador e se esqueceram de quebrar os óculos dele”, disse, em tom de ironia.

Aprofundando a pesquisa

Disposto a levar o caso adiante, o professor João Augusto Rocha saiu do encontro com o ex-governador da Bahia com mais fôlego ainda para o seu trabalho. “A partir dessa informação do Dr. Luiz Viana, passei a ter mais curiosidade sobre o caso. E aí procurei me aprofundar, colhendo mais detalhes. Uma coisa que me deixou intrigado, e que serviu para reforçar a minha pesquisa, como disse antes, foi a forma como foram encontrados os óculos e o corpo de Dr. Anísio. Os óculos dele estavam intactos, sobre uma viga do elevador. Mas é muito curioso uma pessoa cair no fosso de um elevador, sofrer fraturas e não quebrar os óculos”, questionou.

Por conta desses dados, ele reforça: “Tudo leva a crer que ele não caiu no fosso do elevador. Eu não tenho certeza, mas tenho minhas convicções. Dr. Anísio foi morto pela ditadura”.

Nome trocado e morte intelectual

Durante a sua fala, o professor João Augusto Rocha revelou também que o escritor mineiro Abgar Renault informou à família que Anísio Teixeira esteve detido na Aeronáutica e depois foi assassinado. “Ele revelou que Dr. Anísio foi levado para a Aeronáutica antes de desaparecer”, destacou.

Mesmo de posse dessa informação, Rocha disse que a família nunca quis investigar a morte do educador, mas que ele, o ex-deputado federal Haroldo Lima e Afrânio Peixoto levaram a ‘coisa’ adiante.  “Acho que eles tinham medo ou achavam que não iria resolver”, avaliou, sobre a posição da família.

Botando mais polêmica no assunto, o professor segue a palestra com suas ricas informações, mas sempre com um olhar de desconfiança sobre os fatos colocados pela história. “Ele não morreu em consequência de uma queda, independentemente de ter sido empurrado ou não. Por que razão o maior educador do Brasil seria assassinado?”, questionou.

Rocha deixa claro, a partir dessa indagação, que havia muitos interesses por traz do desaparecimento do educador baiano. “Tanto foi assim que Dr. Anísio não foi só assassinado fisicamente. Ele foi assassinado culturalmente e intelectualmente também. Na época, todos os seus livros foram retirados das livrarias e sua obra foi proibida de leitura pelo Vaticano”, revelou.

Ainda de acordo com o pesquisador, no Laudo do IML o endereço do educador baiano foi trocado e o corpo confundido pelo o de um oficial da Aeronáutica: “O corpo de Dr. Anísio foi levado para o IML e identificado com o nome e o endereço de um oficial militar”.

Comissão da Verdade e fundação

Antes do professor João Augusto Rocha, o historiador e professor adjunto do Departamento de História da Universidade de Brasília, José Otávio Nogueira Guimarães, fez um importante relato sobre os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade (CNV), que investigou mortes e torturas durante o regime militar. As informações também ajudaram a compreender a morte de Anísio Teixeira.

Membro do Conselho Curador da Fundação Anísio Teixeira, a educadora Iracy Silva Picanço também discorreu sobe a vida do baiano, com quem conviveu em estudos no Chile em 1967. Picanço focou na Escola Base, segundo ela ‘a experiência maior de Anísio’. Para sintetizar, ela disse: “Anísio é um farol”, numa alusão à sua importância para a educação do país.

O rico Seminário, realizado na sede do IAT no dia em que Anísio Teixeira completaria 117 anos de nascimento, foi aberto pelo Diretor Geral do Instituto, Professor Desidério Bispo de Melo, e teve a coordenação da professora Ana Elizabeth Gomes. O segundo dia do evento, com foco nos Diretos Humanos, aconteceu na sede do Ministério Publico, no CAB. (Por Evandro Matos).

http://www.interiordabahia.com.br