Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

PGR envia ao STF pedidos de inquérito contra Aécio Neves e cúpula do PMDB

segunda-feira, 2 maio, 2016

Jornal do Brasil

A Procuradoria Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de aberturas de quatro novos inquéritos com base na delação do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). Entre as investigações estão uma contra o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e outra contra a cúpula do PMDB no Senado.

O ministro Teori Zavascki analisará a possível abertura dos inquéritos. O procurador Rodrigo Janot quer abertura de um inquérito para investigar o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG); outro para apurar denúncias contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); um terceiro para investigar o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva (PT-SP), que atuou como tesoureiro da campanha presidencial do PT em 2014; e um quarto inquérito para apurar suspeitas contra o ex-presidente da Câmara Marco Maia (PT-RS) e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo.

Aécio Neves seria suspeito de receber propina de Furnas, e também acusado de ter maquiado dados do Banco Rural para esconder o mensalão do PSDB. O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) também deve ser investigado, no caso do Banco Rural. Segundo Delcídio, ele sabia que os dados estavam sendo maquiados.

Além dos quatro pedidos de abertura de inquérito, Janot também pediu a inclusão de citações feitas a integrantes da cúpula do PMDB – Edison Lobão, Valdir Raupp e Renan Calheiros – em inquéritos da Lava Jato já abertos. Eles foram citados por desvios no Ministério de Minas e Energia e na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

Delcídio afirmou em sua delação que houve pagamento de ao menos R$ 30 milhões de propina pela construção de Belo Monte, “ao PT e ao PMDB”, e citou esses senadores.

O senador Aécio Neves seria suspeito de receber propina de Furnas, e também acusado de ter maquiado dados do Banco Rural para esconder o mensalão do PSDB
O senador Aécio Neves seria suspeito de receber propina de Furnas, e também acusado de ter maquiado dados do Banco Rural para esconder o mensalão do PSDB

Outra investigação tem como alvo o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo e o deputado Marco Maia (PT-RS) pela participação na CPI da Petrobras. Os dois foram acusados de participar de um esquema para achacar empresas investigadas pela CPI em troca de recursos para a campanha. Vital era o presidente da comissão e, Maia, o relator.

Ainda de acordo com a delação de Delcídio, o então senador Vital do Rêgo (PMDB), atual ministro do TCU, e os deputados Marco Maia e Fernando Francischini (SD-PR) cobravam “pedágios” para evitar investigações sobre os empresários Leo Pinheiro, Julio Camargo e Ricardo Pessoa.

O senador Aécio Neves divulgou nota a respeito do pedido de investigação:

Nota da assessoria do senador Aécio Neves

O senador Aécio Neves considera absolutamente natural e necessário que as investigações sejam feitas, pois elas irão demonstrar, como já ocorreu outras vezes, a correção da sua conduta.

Quando uma delação é homologada pelo Supremo Tribunal Federal, como ocorreu com a delação do senador Delcídio Amaral, é natural que seja feita a devida investigação sobre as declarações dadas.

Por isso, na época, o senador defendeu publicamente que fossem abertas investigações sobre as citações feitas ao seu nome.

Como o próprio senador Delcídio declarou recentemente, as citações que fez ao nome do senador Aécio foram todas por ouvir dizer, não existindo nenhuma prova ou indício de qualquer irregularidade que tivesse sido cometida por ele.

Trata-se de temas antigos, que já foram objetos de investigações anteriores, quando foram arquivados, ou de temas que não guardam nenhuma relação com o senador.

O senador Aécio Neves reitera o seu apoio à operação Lava Jato, página decisiva da história do país, e tem convicção de que as investigações deixarão clara a falsidade das citações feitas.

Assessoria do senador Aécio Neves

 

PM invade escola ocupada por estudantes em São Paulo

Alunos gritam palavras de ordem e se recusam a sair do local

A Polícia Militar invadiu, na manhã desta segunda-feira (2) o Centro Paula Souza, ocupado por estudantes desde a última quinta-feira (28), para permitir o acesso dos funcionários ao local. Na noite de domingo (1º), a Justiça de São Paulo concedeu liminar para a reintegração de posse do prédio, onde funciona o órgão responsável por administrar o ensino técnico em todo estado.

Os estudantes protestam contra a falta de merenda e denúncias de corrupção nos contratos da alimentação escolar. Os jovens se recusam a deixar o local. Vários se sentaram no chão e gritam palavras de ordem contra a operação policial, como “Sem violência!” e “Prisão para quem roubou merenda!”.

Image gallery could not load.

Os policiais passaram o prédio em revista e tiraram os jovens que estavam nos andares superiores do edifício. Os ocupantes permanecem, no entanto, no saguão do prédio fazendo frente a um pelotão armado com escudos e cassetetes.

A ação da PM está sendo acompanhada pelo secretário da Segurança Pública do Estado, Alexandre de Moraes.


Em discurso, presidente anunciou reajuste de 9% do Bolsa Família

domingo, 1 maio, 2016

Dilma: “Querem transformar a CLT em letra morta”

Jornal do Brasil

Em ato pelo Dia do Trabalhador, neste domingo (1º), no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff disse que os que querem destituí-la se preparam para flexibilizar as normas da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e fragilizar os direitos dos trabalhadores. Em discurso, Dilma afirmou que “querem transformar a CLT em letra morta”.

“Eles propõem que o negociado pode viger sobre a lei, eles propõem, na verdade, que o negociado pode ser menos que a lei. Nós acreditamos que o negociado pode prevalecer, desde que ele seja mais que a lei. Mas eles querem que seja menos. Nós queremos que seja mais”, disse Dilma, aos gritos de “Fica, querida!”.

Presidente discursou no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, na tarde deste domingo (1º)
Presidente discursou no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, na tarde deste domingo (1º)

A presidente lembrou das manchetes dos jornais nos últimos dias dando conta de que, em eventual governo de Michel Temer, a ordem é “privatizar tudo o que for possível”. Segundo Dilma, o primeiro alvo de um novo governo, no caso de o impeachment ir adiante no Senado, será o pré-sal. “Prometem e dizem explicitamente: privatizar tudo o que for possível. Esta fala ‘tudo o que for possível’ está escrita nos jornais. Qual é a primeira vítima dessa lista? É o pré-sal”.

A presidente aproveitou o ato para anunciar o reajuste em 9% do Bolsa Família. Ela rechaçou as informações de que o governo federal estaria propondo um “pacote de bondades” diante de eventual impedimento de mandato.

“Esta proposta não nasceu hoje, ela estava prevista desde agosto de 2015, quando enviamos o Orçamento para o Congresso Nacional. Ela foi aprovada e, diante do quadro atual, tomamos medidas que garantem aumento na receita desse ano e dos próximos anos para viabilizar esse aumento do Bolsa Família. Tudo isso sem comprometer o cenário fiscal, que eles gostam de dizer que nós comprometemos”.

Sem se referir a Michel Temer, Dilma voltou a afirmar que “eles” querem acabar com a obrigatoriedade dos gastos com saúde e educação. A presidente disse que a oposição e o PMDB no governo vão querer restringir o acesso ao Bolsa Família a apenas 5% dos mais pobres da população brasileira, que deixaria outros 36 milhões “entregues às livres forças do mercado para se virar”. Atualmente, 47 milhões são atendidos pelo programa social.

“Sempre que vocês o discurso do ‘vamos reolhar, vamos revisitar certas políticas sociais’, significa, na verdade, ‘vamos acabar com elas’. Eles falam em rever o Pronatec, o Minha CasaMinha Vida. Temos uma situação em que os programas sociais são vistos como responsáveis pelo desequilíbrio do país. Isso é mentira! O desequilíbrio é a necessária reforma tributária que transforma toda a nossa estrutura regressiva contra quem menos ganha”.

A presidente questionou a credibilidade de lideranças que comandam o processo de impeachment e que são acusadas por alguns crimes na operação Lava Jato. “Não tenho conta no exterior, jamais utilizei recursos públicos em causa própria, nunca embolsei dinheiro do povo brasileiro, não recebi propina e nunca fui acusada de corrupção. Então, eles tiveram que inventar um crime. Como estava difícil inventar, começaram dizendo que eram seis decretos. Eu, em 2015, fiz 6 decretos chamados de suplementação, o Fernando Henrique Carodos, em 2001, fez 101 decretos de suplementação. Pra ele não era golpe nas contas públicas, pra mim é golpe nas contas públicas. Vejam vocês, dois pesos e duas medidas, porque não têm do que me acusar”, disse a presidente, que classificou impeachment contra ela como “constrangedor”.

Imposto de Renda

Além do reajuste do Bolsa Família, Dilma também anunciou a correção em 5% da tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física a partir de 2017, a contratação de, no mínimo, 25 mil novas moradias no programa Minha Casa Minha Vida, a proposta de ampliação da licença-paternidade de 5 para 25 dias para funcionários públicos e a criação do Conselho Nacional do Trabalho (Conselho Tripartite) com trabalhadores, empresários e governo.

Por recomendação médica, o ex-presidente Lula, que discursaria antes de Dilma, não compareceu ao evento.


Dilma participa do 1º de Maio e deve anunciar reajuste do Bolsa Família

domingo, 1 maio, 2016

Presidente e Lula farão discurso no Vale da Anhangabaú, em São Paulo

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula confirmaram presença na celebração do 1º de Maio, neste domingo, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo. A expectativa é que Dilma anuncie reajuste do programa Bolsa Família. O tom do discurso deve ser pela defesa de direitos trabalhistas e do retrocesso dos benefícios para a população, caso Dilma seja afastada e Michel Temer assuma a Presidência da República.

De acordo com a Central Única do Trabalho (CUT), o ex-presidente Lula falará ao público às 13h e a previsão é que Dilma discurse a partir das 14h.

Dilma discursa a partir das 14h deste domingo (1º) e fará defesa de direitos trabalhistas
Dilma discursa a partir das 14h deste domingo (1º) e fará defesa de direitos trabalhistas

Juntos, CUT, CTB, Intersindical, MST, MTST, CMP, e todas as mais de 60 entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo vão denunciar o “golpe” em curso no Brasil, explicar para a sociedade que, se o golpe se consumar todos perderão, especialmente, a classe trabalhadora. “O retrocesso será enorme”, afirma o presidente da CUT, Vagner Freitas.

Segundo ele, nos últimos dias os jornais vêm divulgando amplamente a agenda conservadora do vice-presidente Michel Temer, que “lidera o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff junto com Eduardo Cunha”.

“O projeto do Temer e dos empresários que financiam o golpe é extinguir ou reduzir programas sociais e direitos conquistados com muita luta como carteira assinada. Eles já falaram em acabar com a política de valorização do salário mínimo e fazer reforma na previdência, como querem os patrões (…) Privatizar tudo que for possível”, diz Freitas.

Lista das cidades onde haverá atos:

Alagoas

Cidade: Maceió

7hs – Concentração no Posto 7 (Praia) caminhada até Alagoinha (2 KM)

Por volta das 12hs, termina com Ato Político e Cultura pela Democracia – Movimento Sindical e Movimentos Sociais.

Bahia

Cidade: Salvador

11h – Ato político, ecumênico e cultural em defesa da democracia, contra o golpe e por direitos, no Farol da Barra.

Outras 13 cidades terão atos na Bahia:

Itabuna, Eunápolis, Vitoria da Conquista, Paulo Afonso, Camaçari, Vale Jiquiriçá, Valença, Santo Antônio de Jesus e outras

Ceará

Cidade: Fortaleza

8h – Concentração  na Areninha do Pirambu. Logo após terá uma caminha pela Avenida Presidente Castelo Branco e encerramento com ato político no Cuca da Barra.

Cidade: Icó-CE

7h30 – Concentração no Balão de Padre Cícero

Distrito Federal

Brasilia inicia as comemorações no dia 30

A CUT Brasília realizará uma Virada Cultural (Eixo Monumental Setor Divulgação Cultural – estacionamento da Funarte – entre a Torre de TV e a Funarte) a partir das 16h do dia 30 de abril até o dia 1º de maio.

A virada terá apresentação teatral para as crianças e a partir das 19h shows com artistas da cidade.

No dia 1º será realizado um ato unificado com as frentes e logo após o ato, enceramento com uma roda de samba.

Espírito Santo

Cidade: Vitória também inicia as comemorações no dia 30

30/04 – 10hs – Feria da Agricultura Familiar e Economia Solidária no Espaço Vida Saudável

19hs – Luau com Preta Roots e Renato Casanova

01/04 – 07hs – Concentração e Caminhada da Praça dos Namorados até o Espaço Vida Saudável

10hs – Feria da Agricultura Familiar e Economia Solidária no Espaço Vida Saudável.

11hs – Ato Político e show com Mano Feijó, Gang Sem Frescura e Bloco Bleque

Goiás

Cidade: Goiânia também inicia no dia 30

10h – Tem virada do Dia 30/04 ao dia 1º/05. No sábado a atividade começa 10h, na Praça do Trabalhador. No domingo, a festa continuará com apresentações musicais e ato político.

Maranhão

Cidade: São Luis

9h – dia 1º – Caminhada do Trabalhador, na Praça João Lisboa

Mato Grosso

Cidade: Cuiabá

15h – dia 1º Caminhada saindo do INCRA-CPA até Praça Cultural CPA II, onde acontecerá a partir das 17 horas –  Ato Político pela Democracia com atividades Culturais

Minas Gerais

Cidade: Belo Horizonte

10h – dia 1º/05 – Ato em defesa da democracia e contra o golpe. Marcha da Praça Afonso Arinos até a Praça da Liberdade; Ato político-cultural na Praça da Liberdade; Lançamento do Acampamento da Democracia.

Pará

Cidade: Belém

8h – dia 1º – Ato cultural na Praça da República, com café da Acolhida, com participação dos Movimentos Sociais.

Paraíba

Cidade: João Pessoa

Ato “Democrassoca” uma alusão aos muriçocas do Miramar um bloco de carnaval. Sairá da praça das muriçocas até o busto de Tamandaré. Com manifestações culturais e políticas

Paraná

Cidade: Curitiba

29/04 – O ato lembrará um ano do massacre contra os professores. A concentração começa às 14h, na Praça Rui Barbosa.

Pernambuco

Cidade de Recife

Acampamento desde o dia 25 na Praça do Derby

No dia 1º, caminhada a partir das 9hs pelo centro de Recife, terminando na Rua da Moeda (Recife Velho). Ato Político a partir das 12hs e a partir das 14hs Ato Cultura (Junto com tradicional Festa da Lavadeira)

Piauí

Cidade: Teresina

Café da Manha na praça Rio Branco às 9 horas da manhã de sábado dia 30 nesse evento dialogaremos com a população.

Rio de Janeiro

Cidade: Rio de Janeiro

Dia 29 – Ato da Frente Brasil Popular a partir das 18hs na Lapa – Encerramento com Show Arlindo Cruz

Dia 30 – Viradão (de sábado para Domingo) a partir das 20hs na Lapa com a Juventude, Várias atrações culturais

Dia 01 – 1º de Maio da CUT – A partir das 14 horas na Lapa – Roda de Samba com diversas atrações Culturais .

Rio Grande do Norte

Cidade: Natal

9h – dia 1º – Grande ato de resistência ao Golpe, concentração na Praça das Flores, em Petrópolis. Em seguida, os trabalhadores e trabalhadoras, seguirão em caminhada até a Praia do Meio, onde um ato de rua encerrará o nosso grande ato.

Cidade: Mossoró

Dia 29/04 – 17h30 – Mulheres Abraçam Dilma – Memorial da Resistência

20h00 – Roda de Conversa sobre Conjuntura e as consequências para a Classe trabalhadora – Praça da Igreja Alto da Conceição.

Dia 30/04 – 17h30 –   Roda de Conversa sobre Conjuntura e as consequências para a Classe trabalhadora – Praça da Igreja Nossa Senhora de Fátima

Rio Grande do Sul

Cidade: Porto Alegre

10h – dia 1º – Ato junto ao Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção com movimentos sindical e sociais

Rondônia

Cidade: Porto Velho 

16h – Ato Político / Cultural – Praça Madeira Mamoré (Ponto Turístico da Cidade). Como é um local turístico, será feito panfletagem, falas e atividades culturais para conscientizar as pessoas Pela Democracia e contra Golpe.

Roraima

Cidade: Boa Vista

Dia 01 – Encontro na sede da FETRAFERR Com trabalhadores rurais e Urbanos

Das 08 às 18 horas – Ato pela Democracia

São Paulo

Cidade: São Paulo

01/05 – Assembleia Popular da Classe Trabalhadora contra o Golpe, na Defesa da Democracia e Por Nossos Direitos, no Vale do Anhangabaú a partir das 10h.

Cidade: Sâo Sebastião (Praia do Camburi)

01/05 – Caminhada dos Trabalhadores às 7h, na Praça dos Namorados

Cidade: Campinas

01/05 – As 9hs missa dos Trabalhadores – Catedral Metropolitana de Campinas

A  Partir das 14 horas – Ato Político e Cultural – Praça de Esportes Amil Rached

Cidade: Bauru

01/05 – A partir das 18 horas – Local: Vitória Regia – Ato político, shows e roda de samba

Cidade: São Bernardo

A Partir das 10 horas – Local Espaço de Eventos Poliesportivos (Av. Kennedy)

Santa Catarina

Cidade Florianópolis:

Dia de Luta dos Trabalhadores e Trabalhadoras – 15h – Largo da Alfandega

Cidade Chapecó:

Mateada dos trabalhadores contra o Golpe e em Defesa da Democracia – 16h – Em frente a Igreja Católica do Bairro Colatto

Cidade Joinville:

Encontro pela Democracia – 9h30 – Parque da Cidade

Cidade Laguna:

Ato em Defesa da Democracia e dos nossos Direitos – 15h – Próximo Ponte Anita Garibaldi em Cabeçudas.

Cidade Blumenau:

Classe Trabalhadora em Defesa da Democracia – 15h – Praça Dr. Blumenau

Sergipe

Cidade: Aracajú

A partir das 14h deste domingo, a Praça da Juventude no Conjunto Augusto Franco será o palco da Assembleia dos Trabalhadores contra o golpe.


falácias mais comum utilizadas em debates e discussões

sexta-feira, 29 abril, 2016

 0153
Quando li esse post do Blog Papo de Homem, não tive dúvidas: eu precisava trazê-lo para o Ah Duvido. Há tempos eu procurava um post assim, mesmo porque acho que, chutando baixo, 2/3 dos internautas desconhecem as “regras” invisíveis de um debate. Eu vejo muito isso nos fóruns, comunidades, grupos, sites e especialmente, nos comentários aqui do Blog (geralmente feito por algum “paraquedista”).Então, se você não quer mais fazer o papel de “idiota” frente uma discussão, seja ela na Internet e no mundo real, tenha em mente o que está escrito nesse post. Ele mostra o que é falácia e os tipos de falácia mais comum. Confira:

O QUE É UMA FALÁCIA?

Na lógica e na retórica, uma falácia é um argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na capacidade de provar eficazmente o que alega. Argumentos que se destinam à persuasão podem parecer convincentes para grande parte do público apesar de conterem falácias, mas não deixam de ser falsos por causa disso.

Reconhecer as falácias é por vezes difícil. Os argumentos falaciosos podem ter validade emocional, íntima, psicológica, mas não validade lógica. É importante conhecer os tipos de falácia para evitar armadilhas lógicas na própria argumentação e para analisar a argumentação alheia.

É importante observar que o simples fato de alguém cometer uma falácia não invalida toda a sua argumentação. Ninguém pode dizer: “Li um livro de Rousseau, mas ele cometeu uma falácia, então todo o seu pensamento deve estar errado”. A falácia invalida imediatamente o argumento no qual ela ocorre, o que significa que só esse argumento específico será descartado da argumentação, mas pode haver outros argumentos que tenham sucesso. Por exemplo, se alguém diz:

“O fogo é quente e sei disso por dois motivos: 1. ele é vermelho; e 2. medi sua temperatura com um termômetro”.

Nesse exemplo, foi de fato comprovado que o fogo é quente por meio da premissa 2. A premissa 1 deve ser descartada como falaciosa, mas a argumentação não está de todo destruída.

 TIPOS PRINCIPAIS DE FALÁCIA

Abaixo temos as mais comuns falácias lógicas argumentativas. A numeração não indica nenhum tipo de hierarquia entre elas, é apenas para facilitar futuras referencias a exemplos específicos.

1. Espantalho

Você desvirtuou um argumento para torná-lo mais fácil de atacar.

Ao exagerar, desvirtuar ou simplesmente inventar um argumento de alguém, fica bem mais fácil apresentar a sua posição como razoável ou válida. Este tipo de desonestidade não apenas prejudica o discurso racional, como também prejudica a própria posição de alguém que o usa, por colocar em questão a sua credibilidade – se você está disposto a desvirtuar negativamente o argumento do seu oponente, será que você também não desvirtuaria os seus positivamente?

Exemplo: Depois de Felipe dizer que o governo deveria investir mais em saúde e educação, Jader respondeu dizendo estar surpreso que Felipe odeie tanto o Brasil, a ponto de querer deixar o nosso país completamente indefeso, sem verba militar.

***

2. Causa Falsa

Você supôs que uma relação real ou percebida entre duas coisas significa que uma é a causa da outra.

Uma variação dessa falácia é a “cum hoc ergo propter hoc” (com isto, logo por causa disto), na qual alguém supõe que, pelo fato de duas coisas estarem acontecendo juntas, uma é a causa da outra. Este erro consiste em ignorar a possibilidade de que possa haver uma causa em comum para ambas, ou, como mostrado no exemplo abaixo, que as duas coisas em questão não tenham absolutamente nenhuma relação de causa, e a sua aparente conexão é só uma coincidência.

Outra variação comum é a falácia “post hoc ergo propter hoc” (depois disto, logo por causa disto), na qual uma relação causal é presumida porque uma coisa acontece antes de outra coisa, logo, a segunda coisa só pode ter sido causada pela primeira.

Exemplo: Apontando para um gráfico metido a besta, Rogério mostra como as temperaturas têm aumentado nos últimos séculos, ao mesmo tempo em que o número de piratas têm caído; sendo assim, obviamente, os piratas é que ajudavam a resfriar as águas, e o aquecimento global é uma farsa.

***

3. Apelo à emoção

Você tentou manipular uma resposta emocional no lugar de um argumento válido ou convincente.

Apelos à emoção são relacionados a medo, inveja, ódio, pena, orgulho, entre outros.

É importante dizer que às vezes um argumento logicamente coerente pode inspirar emoção, ou ter um aspecto emocional, mas o problema e a falácia acontecem quando a emoção é usada no lugar de um argumento lógico. Ou, para tornar menos claro o fato de que não existe nenhuma relação racional e convincente para justificar a posição de alguém.

Exceto os sociopatas, todos são afetados pela emoção, por isso apelos à emoção são uma tática de argumentação muito comum e eficiente. Mas eles são falhos e desonestos, com tendência a deixar o oponente de alguém justificadamente emocional.

Exemplo: Lucas não queria comer o seu prato de cérebro de ovelha com fígado picado, mas seu pai o lembrou de todas as crianças famintas de algum país de terceiro mundo que não tinham a sorte de ter qualquer tipo de comida.

***

4. A falácia da falácia

Supor que uma afirmação está necessariamente errada só porque ela não foi bem construída ou porque uma falácia foi cometida.

Há poucas coisas mais frustrantes do que ver alguém argumentar de maneira fraca alguma posição. Na maioria dos casos um debate é vencido pelo melhor debatedor, e não necessariamente pela pessoa com a posição mais correta. Se formos ser honestos e racionais, temos que ter em mente que só porque alguém cometeu um erro na sua defesa do argumento, isso não necessariamente significa que o argumento em si esteja errado.

Exemplo: Percebendo que Amanda cometeu uma falácia ao defender que devemos comer alimentos saudáveis porque eles são populares, Alice resolveu ignorar a posição de Amanda por completo e comer Whopper Duplo com Queijo no Burger King todos os dias.

***

5. Ladeira Escorregadia

Você faz parecer que o fato de permitirmos que aconteça A fará com que aconteça Z, e por isso não podemos permitir A.

O problema com essa linha de raciocínio é que ela evita que se lide com a questão real, jogando a atenção em hipóteses extremas. Como não se apresenta nenhuma prova de que tais hipóteses extremas realmente ocorrerão, esta falácia toma a forma de um apelo à emoção do medo.

Exemplo: Armando afirma que, se permitirmos casamentos entre pessoas do mesmo sexo, logo veremos pessoas se casando com seus pais, seus carros e seus macacos Bonobo de estimação.

Exemplo 2: a explicação feita após o terceiro subtítulo – “O voto divergente do ministro Ricardo Lewandowski e a ladeira escorregadia” – deste texto sobre aborto. Vale a leitura.

***

6. Ad hominem

Você ataca o caráter ou traços pessoais do seu oponente em vez de refutar o argumento dele.

Ataques ad hominem podem assumir a forma de golpes pessoais e diretos contra alguém, ou mais sutilmente jogar dúvida no seu caráter ou atributos pessoais. O resultado desejado de um ataquead hominem é prejudicar o oponente de alguém sem precisar de fato se engajar no argumento dele ou apresentar um próprio.

Exemplo: Depois de Salma apresentar de maneira eloquente e convincente uma possível reforma do sistema de cobrança do condomínio, Samuel pergunta aos presentes se eles deveriam mesmo acreditar em qualquer coisa dita por uma mulher que não é casada, já foi presa e, pra ser sincero, tem um cheiro meio estranho.

***

7. Tu quoque (você também)

Você evitar ter que se engajar em críticas virando as próprias críticas contra o acusador – você responde críticas com críticas.

Esta falácia, cuja tradução do latim é literalmente “você também”, é geralmente empregada como um mecanismo de defesa, por tirar a atenção do acusado ter que se defender e mudar o foco para o acusador.

A implicação é que, se o oponente de alguém também faz aquilo de que acusa o outro, ele é um hipócrita. Independente da veracidade da contra-acusação, o fato é que esta é efetivamente uma tática para evitar ter que reconhecer e responder a uma acusação contida em um argumento – ao devolver ao acusador, o acusado não precisa responder à acusação.

Exemplo: Nicole identificou que Ana cometeu uma falácia lógica, mas, em vez de retificar o seu argumento, Ana acusou Nicole de ter cometido uma falácia anteriormente no debate.

Exemplo 2: O político Aníbal Zé das Couves foi acusado pelo seu oponente de ter desviado dinheiro público na construção de um hospital. Aníbal não responde a acusação diretamente e devolve insinuando que seu oponente também já aprovou licitações irregulares em seu mandato.

***

8. Incredulidade pessoal

Você considera algo difícil de entender, ou não sabe como funciona, por isso você dá a entender que não seja verdade.

Assuntos complexos como evolução biológica através de seleção natural exigem alguma medida de entendimento sobre como elas funcionam antes que alguém possa entendê-los adequadamente; esta falácia é geralmente usada no lugar desse entendimento.

Exemplo: Henrique desenhou um peixe e um humano em um papel e, com desdém efusivo, perguntou a Ricardo se ele realmente pensava que nós somos babacas o bastante para acreditar que um peixe acabou evoluindo até a forma humana através de, sei lá, um monte de coisas aleatórias acontecendo com o passar dos tempos.

***

9. Alegação especial

Você altera as regras ou abre uma exceção quando sua afirmação é exposta como falsa.

Humanos são criaturas engraçadas, com uma aversão boba a estarem errados.

Em vez de aproveitar os benefícios de poder mudar de ideia graças a um novo entendimento, muitos inventarão modos de se agarrar a velhas crenças. Uma das maneiras mais comuns que as pessoas fazem isso é pós-racionalizar um motivo explicando o porque aquilo no qual elas acreditavam ser verdade deve continuar sendo verdade.

É geralmente bem fácil encontrar um motivo para acreditar em algo que nos favorece, e é necessária uma boa dose de integridade e honestidade genuína consigo mesmo para examinar nossas próprias crenças e motivações sem cair na armadilha da auto-justificação.

Exemplo: Eduardo afirma ser vidente, mas quando as suas “habilidades” foram testadas em condições científicas apropriadas, elas magicamente desapareceram. Ele explicou, então, que elas só funcionam para quem tem fé nelas.

***

10. Pergunta carregada

Você faz uma pergunta que tem uma afirmação embutida, de modo que ela não pode ser respondida sem uma certa admissão de culpa.

Falácias desse tipo são particularmente eficientes em descarrilar discussões racionais, graças à sua natureza inflamatória – o receptor da pergunta carregada é compelido a se justificar e pode parecer abalado ou na defensiva. Esta falácia não apenas é um apelo à emoção, mas também reformata a discussão de forma enganosa.

Exemplo: Graça e Helena estavam interessadas no mesmo homem. Um dia, enquanto ele estava sentado próximo suficiente a elas para ouvir, Graça pergunta em tom de acusação: “como anda a sua rehabilitação das drogas, Helena?”

***

11. Ônus da prova

Você espera que outra pessoa prove que você está errado, em vez de você mesmo provar que está certo.

O ônus (obrigação) da prova está sempre com quem faz uma afirmação, nunca com quem refuta a afirmação. A impossibilidade, ou falta de intenção, de provar errada uma afirmação não a torna válida, nem dá a ela nenhuma credibilidade.

No entanto, é importante estabelecer que nunca podemos ter certeza de qualquer coisa, portanto devemos valorizar cada afirmação de acordo com as provas disponíveis. Tirar a importância de um argumento só porque ele apresenta um fato que não foi provado sem sombra de dúvidas também é um argumento falacioso.

Exemplo: Beltrano declara que uma chaleira está, nesse exato momento, orbitando o Sol entre a Terra e Marte e que, como ninguém pode provar que ele está errado, a sua afirmação é verdadeira.

***

12. Ambiguidade

Você usa duplo sentido ou linguagem ambígua para apresentar a sua verdade de modo enganoso.

Políticos frequentemente são culpados de usar ambiguidade em seus discursos, para depois, se forem questionados, poderem dizer que não estavam tecnicamente mentindo. Isso é qualificado como uma falácia, pois é intrinsecamente enganoso.

Exemplo: Em um julgamento, o advogado concorda que o crime foi desumano. Logo, tenta convencer o júri de que o seu cliente não é humano por ter cometido tal crime, e não deve ser julgado como um humano normal.

***

13. Falácia do apostador

Você diz que “sequências” acontecem em fenômenos estatisticamente independentes, como rolagem de dados ou números que caem em uma roleta.

Esta falácia de aceitação comum é provavelmente o motivo da criação da grande e luminosa cidade no meio de um deserto americano chamada Las Vegas.

Apesar da probabilidade geral de uma grande sequência do resultado desejado ser realmente baixa, cada lance do dado é, em si mesmo, inteiramente independente do anterior. Apesar de haver uma chance baixíssima de um cara-ou-coroa dar cara 20 vezes seguidas, a chance de dar cara em cada uma das vezes é e sempre será de 50%, independente de todos os lances anteriores ou futuros.

Exemplo: Uma roleta deu número vermelho seis vezes em sequência, então Gregório teve quase certeza que o próximo número seria preto. Sofrendo uma forma econômica de seleção natural, ele logo foi separado de suas economias.

***

14. Ad populum

Você apela para a popularidade de um fato, no sentido de que muitas pessoas fazem/concordam com aquilo, como uma tentativa de validação dele.

A falha nesse argumento é que a popularidade de uma ideia não tem absolutamente nenhuma relação com a sua validade. Se houvesse, a Terra teria se feito plana por muitos séculos, pelo simples fato de que todos acreditavam que ela era assim.

Exemplo: Luciano, bêbado, apontou um dedo para Jão e perguntou como é que tantas pessoas acreditam em duendes se eles são só uma superstição antiga e boba. Jão, por sua vez, já havia tomado mais Guinness do que deveria e afirmou que já que tantas pessoas acreditam, a probabilidade de duendes de fato existirem é grande.

***

15. Apelo à autoridade

Você usa a sua posição como figura ou instituição de autoridade no lugar de um argumento válido. (A popular “carteirada”.)

É importante mencionar que, no que diz respeito a esta falácia, as autoridades de cada campo podem muito bem ter argumentos válidos, e que não se deve desconsiderar a experiência e expertise do outro.

Para formar um argumento, no entanto, deve-se defender seus próprios méritos, ou seja, deve-se saber por que a pessoa em posição de autoridade tem aquela posição. No entanto, é claro, é perfeitamente possível que a opinião de uma pessoa ou instituição de autoridade esteja errada; assim sendo, a autoridade de que tal pessoa ou instituição goza não tem nenhuma relação intrínseca com a veracidade e validade das suas colocações.

Exemplo: Impossibilitado de defender a sua posição de que a teoria evolutiva “não é real”, Roberto diz que ele conhece pessoalmente um cientista que também questiona a Evolução e cita uma de suas famosas falas.

Exemplo 2: Um professor de matemática se vê questionado de maneira insistente por um aluno especialmente chato. Lá pelas tantas, irritado após cometer um deslize em sua fala, o professor argumenta que tem mestrado pós-doutorado e isso é mais do que suficiente para o aluno confiar nele.

Fonte: http://ahduvido.com.br/30-falacias-mais-comum-utilizadas-em-debates-e-discussoes


Nobel da Paz diz que impeachment de Dilma é golpe de estado

quinta-feira, 28 abril, 2016

Jornal do Brasil

A presidenta Dilma Rousseff recebeu hoje (28) o apoio doganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1980, o argentino Adolfo Pérez Esquivel, contra o processo de impeachment que tramita no Senado.

“Está muito claro que o que se está preparando aqui é um golpe de estado encoberto, o que nós chamamos de um golpe brando”, afirmou Esquivel, após o encontro no Palácio do Planalto.

Ele comparou o processo de impeachment de Dilma ao que ocorreu em Honduras e no Paraguai com as destituições dos presidentes Manuel Zelaya, em 2009, e Fernando Lugo, em 2012. “Agora, a mesma metodologia, que não necessita das Forças Armadas, está sendo utilizada aqui no Brasil. A metodologia é a mesma, não há variação com o golpe de estado nesses países. Países que querem mudar as coisas com políticas sociais são alvo dessa política de tratar de interromper o processo democrático.”

Dilma Rousseff recebeu, no Palácio do Planalto, a solidariedade do Nobel da Paz 
Dilma Rousseff recebeu, no Palácio do Planalto, a solidariedade do Nobel da Paz 

Solidário com Dilma

O Nobel da Paz disse que veio prestar “solidariedade e apoio para que não se interrompa o processo constitucional de Brasil porque isso seria um dano não apenas para o povo brasileiro como para toda a América Latina.” “Seria um retrocesso muito grave para o continente. Sou um sobrevivente da época da ditadura [militar na Argentina]. Nos custou muito fortalecer as instituições democráticas. Aqui se está atacando as instituições democráticas”, afirmou Esquivel.

Segundo o argentino, um eventual governo de Michel Temer poderia ser questionado no Mercosul e na União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que poderiam não reconhecer uma administração que surja de um “golpe de estado.”

Polêmica

A visita do vencedor do Prêmio Nobel da Paz ao Plenário do Senado causou polêmica. Oposicionistas protestaram contra a rápida mensagem do visitante aos senadores, que ocupou a mesa com a permissão do senador Paulo Paim (PT-RS), que presidia a sessão.

O argentino, que pouco antes havia demonstrado apoio à presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, falou por menos de três minutos. Tempo suficiente para causar polêmica.

Escultor e ativista de direitos humanos, Esquivel pediu respeito à Constituição e ao direito do povo de viver a democracia. Antes de ressaltar que os interesses do povo estão acima dos partidários, ele disse que há um possível “golpe de estado” no Brasil e citou Honduras e Paraguai, os quais, segundo ele, sofreram com a mesma metodologia usada no país para afastar seus presidentes.

O  senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) foi o primeiro a protestar, assim que o visitante deixou a mesa do Plenário.

“Essa fala concedida foi inadequada. Inaceitável. Este Parlamento jamais poderia ter deixado esse senhor vir aqui dizer que o Brasil está perto de um golpe. Estou indignado. Não aceito e o senhor não poderia ter deixado”, disse Ataídes a Paulo Paim.

Ataídes chegou a pedir a retirada das notas taquigráficas da reunião a participação do argentino, mas foi convencido de que não seria necessário.

Os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Cristovam Buarque (PPS-DF) isentaram Paim de culpa e disseram que o argentino foi enganado pelos aliados do governo que o levaram ao Plenário.

“Lamento não ter tido a chance de explicar para ele que impeachment [de Dilma] não é golpe. Lamento a comparação com Honduras e Paraguai. Tenho a sensação que deram um golpe no Esquivel, que virou porta-voz de uma mensagem falsa”, afirmou Cristovam.

Defesa

Paim informou que apenas autorizou que Adolfo Esquivel fizesse uma saudação aos parlamentares e o advertiu para não entrar no mérito do impeachment por se tratar de uma questão delicada. O presidente da sessão se comprometeu a retirar todas as palavras que fizessem menção a “golpe”.

O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), negou má-fé por parte dos senadores que apoiam Dilma Rousseff.

“Não houve intenção de aqui haver qualquer posicionamento político de quem quer que seja. Isso não corresponde à realidade, nem seria a nossa intenção. Até porque ele já se expressou muito claramente pelos meios de comunicação, pela visita que fez à presidenta Dilma. Não se criaria aqui uma situação como essa apenas para o registro de uma posição que é pública e que não é somente dele”, afirmou.

Com agências Brasil e Senado


Sob protestos, Câmara aprova criação das comissões da Mulher e do Idoso

quinta-feira, 28 abril, 2016

Deputadas ocuparam a mesa do plenário, e chamaram Eduardo Cunha de “golpista”

Depois de muita obstrução, polêmicas e negociações envolvendo o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e líderes partidários, o plenário da Câmara aprovou no final da noite de quarta-feira (27), por 221 votos a favor, 167 contra e uma abstenção, a criação de duas novas comissões técnicas permanentes na Casa: Defesa dos Direitos da Mulher e de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa. A sessão chegou a ser suspensa, após protesto de deputados contra decisão de Cunha, que declarou rejeitado o requerimento de retirada de pauta do projeto que criava os novos colegiados, contrariando a maioria do plenário. Deputados insatisfeitos, com o que apontaram como uma manobra do presidente, chamaram-no de “golpista”.

Um grupo de deputadas ocupou a mesa do plenário e criticou a atitude de Cunha. “Quem sabe das necessidades e dos interesses das mulheres somos nós mulheres. Não aceitamos que nenhum homem nos substitua para dizer quais são os nossos direitos”, disse a deputada Luiza Erundina (PSOL-SP). “Nós somos mais de 50% da população brasileira e somos menos de 10% nessa casa. Essa desvantagem na representação é um déficit na democracia brasileira e essa proposta vem comprometer as conquistas das mulheres brasileiras”.

Deputadas ocupam a mesa do plenário e protestam contra Eduardo Cunha
Deputadas ocupam a mesa do plenário e protestam contra Eduardo Cunha

Aprovação

Os deputados aprovaram um texto substitutivo apresentado pelo relator João Campos (PRB-GO). Ainda faltam votar os destaques. Uma das comissões será incumbida de cuidar das políticas relativas às mulheres e a outra às políticas do idoso. Com a aprovação da resolução, o número de comissões permanentes na Câmara passa das atuais 23 para 25.

Entre os questionamentos da bancada feminina estão assuntos de interesse das mulheres que, em vez de serem tratados na nova comissão, como a questão dos nascituros, que passaria a ser responsabilidade da Comissão de Seguridade Social, e da remuneração das mulheres, que será tratada pela Comissão de Trabalho e Serviço Público, incluídas no texto pelo relator da proposta, deputado João Campos (PRB-GO).

Segundo a deputada Moema Gramacho (PT-BA), o texto apresentado por Campos (PRB-GO) quebrou um acordo relativo a abrangência da nova comissão e encaminhado o texto sem ter discutido os termos com a bancada feminina, o que colocaria em risco conquistas históricas das mulheres. “Não somos contrárias a criação das comissões da mulher ou do idoso, mas sim a forma como esta comissão foi trazida aqui, somente para contemplar os aliados [de Cunha] com cargos nas novas estruturas”, disse.

A deputada Jandira Feghali (PcdoB-RJ) também criticou o texto apresentado. “Estamos criando um meio instrumento, estamos fazendo de conta que estamos debatendo a questão da mulher e rompendo um acordo. [Estamos] mexendo com uma questão da seguridade que em nenhum momento entrou nessa discussão”, disse.

Para Jandira, em vez de ampliar, o texto retira das competências da comissão a possibilidade de discussão de temas fundamentais. “Ele [o relator] excluiu do escopo da comissão assuntos fundamentais da mulher, os direitos sexuais e reprodutivos estão excluídos, além de enfraquecer outras estruturas da Câmara voltadas para debater os direitos de mulheres, como a Secretaria da Mulher e a Procuradoria da Mulher. É um retrocesso”, disse.

Quem também criticou o projeto foi a deputada Erika Kokay (PT-DF), para quem o desenho da nova comissão não terá muita atribuição legislativa. “É uma comissão executiva: para incentivar, para receber denúncia, para fiscalizar, para oferecer prêmios, mas não para discutir o mérito das matérias no que diz respeito às mulheres. Queremos discutir a violência contra a mulher, a desigualdade salarial que atinge as mulheres e tantas outras questões”, disse.

Relator do projeto

O relator do projeto, deputado João Campos (PRB-GO), rebateu as críticas. “Não concebo a ideia de que a política relacionada à remuneração das mulheres seja discutida fora do contexto da política dos trabalhadores em conjunto na Comissão de Trabalho e Serviço Público”, disse. Campos também entende que o debate dos nascituros não deveria ficar restrito à Comissão das Mulheres e levou essa atribuição para a Comissão de Seguridade Social e Família.

Com Agência Brasil


Copom mantém taxa de juros em 14,25% ao ano

quarta-feira, 27 abril, 2016

 Taxa Selic não é alterada desde setembro do ano passado

Em decisão unânime, tomada em reunião nesta quarta-feira (27), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central optou por manter novamente os juros básicos da economia estáveis em 14,25% ao ano, que já é o maior patamar em quase dez anos.

Essa foi a sexta manutenção consecutiva dos juros pelo BC, que parou de elevar a taxa Selic em setembro do ano passado. A decisão confirmou a expectativa dos economistas do mercado financeiro, para quem a manutenção dos juros básicos era tida como praticamente certa.

Ao subir os juros ou mantê-los elevados, o BC encarece o crédito e reduz o consumo no país, freando assim a inflação. Por outro lado, os juros altos prejudicam o nível de atividade da economia brasileira e, principalmente, a geração de empregos.

O BC tem informado que buscará “circunscrever” o IPCA aos limites estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 2016 (ou seja, trazer a taxa para um patamar abaixo de 6,5%) e, também, fazer convergir a inflação para a meta central de 4,5%, em 2017.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.