Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

‘Seria injusto não reconhecer papel de Lula e Dilma na Olimpíada’, diz Paes

terça-feira, 23 agosto, 2016

Jornal do Brasil

O prefeito Eduardo Paes acredita que é preciso reconhecer o papel do ex-presidente Lula e da presidente afastada Dilma Rousseff para a realização da Olimpíada no país. Em entrevista ao jornal El País, questionado se o governo interino teria se aproveitado do evento para se beneficiar politicamente, o peemedebista comentou que a “Olimpíada foi fruto de um trabalho de muitas mãos”.

“Seria injusto não reconhecer o papel da presidente Lula, da presidente Dilma, do Cabral, do Pezão… O Michel Temer foi super colaborativo, entendeu a importância do evento. Quanto mais gente quer aparecer, mais feliz vou ficar. O presidente Temer ajudou muito. Esse recurso de 3 bilhões que deu para o governo do Estado foi mais dinheiro do que já tinha sido colocado até então”, ressaltou Eduardo Paes ao jornal.

Eduardo Paes destacou que sempre foi “otimista” em relação à realização dos Jogos — “a gente sabia o que estava fazendo” –, e apontou para as “críticas malucas” e “absurdos” que falavam sobre a cidade-sede dos Jogos de 2016, que ele acompanhou “incrédulo.

0910
“Não tem jeitinho. Tudo foi muito planejado”
“As pessoas adoram falar do jeitinho brasileiro que resolve tudo. Não tem jeitinho. Tudo foi muito planejado. É óbvio que tudo pode ter uma necessidade e aí o jeitinho brasileiro ajuda muito. Agora, tudo foi muito planejado. Não me surpreendeu. A questão da mobilidade, que é o enorme desafio, a gente sabia o que tinha mudado. Para mim não foi surpresa. O que me surpreendeu foi o exagero das criticas no período anterior”, apontou o prefeito.

De acordo com ele, a cidade está com “tudo encaminhado” para realizar uma “bela” Paralimpíada. “Temos uma gestão fiscal bem feita. Agora, não estamos numa ilha, estamos dentro Brasil. Se o Brasil está nessa recessão, óbvio que vamos sentir. Mas acho que já sobrevivemos ao momento mais difícil. A gente reduziu nossa dívida, temos folha de pessoal sob controle, custeio sob controle. É uma questão de competência e capacidade de gestão. A situação é mais confortável do que a que eu encontrei.”

Paes criticou ainda o governo estadual do Rio. “Quero acreditar que o Governo do Estado vai continuar tocando um projeto de segurança pública sem enfrentar esses sobressaltos malucos como não pagar salários. Isso realmente não dá pra aceitar”, reforçou.

Sobre o sucesso do Boulevard Olímpico e o funcionamento pós-Jogos, Paes informou que a ideia é prosseguir com o que já vinha sendo feito, com “artista de rua, food truck, restaurante funcionando…”

Questionado sobre o projeto original de reforma da região portuária, que incluía um plano de habitação popular, o prefeito informou que este “exige muito ativismo estatal”, e que é preciso atrair o mercado imobiliário, que está parado devido à crise. “Então, o mercado retomando, metade dos Cepacs [títulos para financiar operações urbanas consorciadas que recuperam áreas degradadas nas cidades] obrigatoriamente vão para residência.”


Célia sugere superfaturamento de obras na orla; Neto promete processá-la

segunda-feira, 22 agosto, 2016

Célia sugere superfaturamento de obras na orla; Neto promete processá-la

Foto: Valter Pontes/ Agecom
A atual vice-prefeita e candidata à prefeitura de Salvador, Célia Sacramento (PPL), sugeriu superfaturamento nas obras de requalificação da Barra e do Rio Vermelho, durante entrevista ao A Tarde neste domingo (21). A ex-aliada do prefeito ACM Neto (DEM) disse que “teve uma série de obras que foram feitas na prefeitura com custo muito maior que deveria”. “Quem já construiu casa tem noção de preço dos materiais. Ver milhões aplicados em certas reformas estremece as pessoas”, disse. Em nota, o prefeito ACM Neto prometeu processar sua atual vice, sob justificativa de que as acusações são “levianas”. O democrata comparou a atitude de Célia com a fábula do escorpião, que tem por natureza envenenar qualquer um.
Bahia Noticias
Nosso comentário:
O que fica claro, de saída, é que a candidata Célia Sacramento vai brigar pra valer. Sem entrar no mérito das denúncias, pois cabe a ela apresentar as provas e ao MP apurar. O fato é que ela mostra determinação e quer polarizar com o atual prefeito. Quanto a fabula do escorpião, penso que foi trocada, falha da assessoria. Afinal, Ela é vice prefeita da cidade e, nenhum sapo lhe carregou nas costas.

Dilma usa redes sociais para comemorar desempenho do país na Olimpíada

domingo, 21 agosto, 2016
por Francis Juliano
Dilma usa redes sociais para comemorar desempenho do país na Olimpíada

Foto: Roberto Stuckert Filho / PR
A presidente afastada Dilma Rousseff festejou a participação dos brasileiros nos jogos olímpicos, que se encerram neste domingo (21). Dilma frisou a conquista do ouro pela equipe de vôlei masculino, que venceu a Itália por 3 sets a zero, e destacou o recorde de medalhas em uma olimpíada. “Nossos atletas se superaram e o Brasil bateu o recorde de medalhas em Jogos Olímpicos, totalizando 19 nos Jogos Rio 2016. O número de medalhas de ouro do Time Brasil nestes Jogos também é o maior já conquistado em Olimpíadas: são 7”, escreveu. A presidente afastada ainda disse que é “motivo de orgulho” para o país o fato de ter saída da 22ª posição em Londres, em 2012, para a 13ª posição no quadro de medalhas na Rio 2016. “Fico feliz por ter participado, desde o início, da construção dessa festa, contribuindo para que o País e nossos atletas estivessem preparados”, pontou. “O apoio do ‪#‎BrasilMedalhas‬ foi fundamental para nossos atletas, assim como do Programa Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas. A rede de centros de treinamento de várias modalidades, espalhados por todo o País, com certeza auxiliará na formação de novas gerações campeãs”, concluiu.
Bahia Noticias

Graças a Lula, as Forças Armadas se beneficiam dos “atletas militares termporários”

domingo, 21 agosto, 2016
 Marcelo Auler e David Deccache

Mosaico dos mdedalhistas militaresNa postagem que editamos quarta-feira (17/08) – Vejam os medalhistas. E querem reduzir (acabar?) os programas sociais? – mostramos que os programas sociais, que os neoliberais do governo golpista Michel Temer propõem reduzir, ajudaram a, pelo menos, dez dos onze medalhistas brasileiros nestas Olimpíadas.

Nesta quinta-feira, com a conquista de uma nova medalha de bronze por Isaquías Queiróz dos Santos na canoagem, são 11 medalhas, das 13 que o Brasil ganhou, conquistas por atletas que se beneficiaram de programas sociais do governos.

Destacamos, inclusive, que as Forças Armadas apoiam 145 dos 465 atletas da delegação brasileira, através do Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento (PAAR). Trata-se de uma iniciativa do governo Lula, em 2008, com vistas a melhorar a participação das Forças Armadas nas Olimpíadas Militares.

Em uma parceria dos ministérios da Defesa e do Esporte, o PAAR  teve o objetivo de fortalecer a equipe militar brasileira em eventos esportivos de alto nível. Os esportistas têm à disposição todos os benefícios da carreira militar, como salários, plano de saúde, férias e assistência médica, incluindo nutricionista e fisioterapeuta, além de disporem de todas as instalações esportivas militares adequadas para treinamento.

Segundo informações da página do Ministério da Defesa, atualmente, 668 militares fazem parte do Programa Atletas de Alto Rendimento, sendo que 74 são militares de carreira e outros 594 temporários. Desse total, 251 são da Marinha, 230 do Exército e 187 da Força Aérea Brasileira. Dos treze medalhistas brasileiros nas Olimpíadas de 2016, nove estão entre estes “militares temporários), a saber:

Medalhas de Ouro: Thiago Braz da Silva (salto com vara); Robson Donato Conceição (boxe) e Rafaela Silva (judô).

Medalhas de Prata: Arthur Zanetti (atletismo nas argolas); e Felipe Almeida Wu (tiro esportivo).

Medalhas de Bronze: Arthur Mariano Nory (atletismo no solo); Rafel Baby Silva e Mayara Aguiar (ambos no judô); e Poliana Okimoto (natação).

A postagem recebeu críticas, compartilhamentos, mas, principalmente, um adendo bastante importante que foi a análise feita pelo ex-aluno da Escola Naval, David Deccache, que, para minha satisfação, permitiu compartilhar o seu trabalho apresentado na sua página do Face book. Ele, de forma bastante didática, mostra que na verdade as Forças Armadas estão se beneficiando mais destes atletas do que eles dela. Apesar de não se dever desmerecer o apoio.

O Programa já foi criado por Lula como uma forma de atender às Forças Armadas, que estavam para receber os Jogos Olímpicos Militares em 2011, mas tinham péssimas participações nos mesmos. Foi quando desenvolveram uma forma de atrair atletas que, como militares temporários, participariam das Olimpíadas Militares e ajudaram a melhorar os resultados do Brasil nas mesmas. Isto fica claro no trabalho de Deccache, que reproduzo abaixo, a partir da tabela por ele montada:

As Forças Armadas fazem sucesso nos esportes graças aos atletas “militares”

David Deccache

Quadro das Olimpíadas Militares

Quadro das Olimpíadas Militares

 “Tenho visto muita gente associar o sucesso dos atletas militares, nas olimpíadas do Rio, à disciplina e organização que caracterizam as forças armadas. Além disso, muitos justificam as saudações militares (continência) nos pódios como um gesto de gratidão desses atletas em relação às Forças Armadas.

Bem, eu pensei um pouco e cheguei na seguinte conclusão : quem faz esse tipo de análise está invertendo completamente a relação de causa envolvida no raciocínio. Não são os atletas que estão fazendo sucesso no esporte graças às Forças Armadas. É justamente o oposto! São as Forças Armadas que estão fazendo sucesso nos esportes graças a esses atletas.

Analisando rapidamente o histórico das Forças Armadas Brasileiras nos Esportes de Alto rendimento fica claro o que estou falando. Explico: Em 2008 , o Governo Lula, através da criação do Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) das Forças Armadas Brasileiras, visava incorporar atletas de altíssimo nível e com reconhecidas conquistas a nível mundial nas equipes militares. Dentre os objetivos do programa estava, como questão central, a realização dos Jogos Militares Mundiais no Rio de Janeiro em 2011. O Governo Lula se preocupou em evitar que as nossas Forças Armadas – dado o fraquíssimo retrospecto nos jogos militares anteriores – fossem envergonhadas em solo nacional.

Em 29 de julho de 2011, a presidente Dilma Rousseff recebeu os atletas militares medalhistas nos 5º Jogos Olímpicos Militares, realizado no Brasil. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Em 29 de julho de 2011, a presidente Dilma Rousseff recebeu os atletas militares medalhistas nos 5º Jogos Olímpicos Militares, realizado no Brasil. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Esse raciocínio pode ser demonstrado com base nos dados de desempenho das Forças Armadas nos jogos militares que se iniciaram em 1995:

I Jogos Mundiais Militares ( Itália -1995) : O Brasil não ganhou NENHUMA medalha de Ouro , levando apenas uma prata e 2 bronzes. Só para termos algum critério comparativo para medir o tamanho do fracasso, a Rússia , a primeira colocada nos jogos , levou 127 medalhas para casa. O Brasil terminou em 36° lugar.

II Jogos Mundiais Militares (1999) : O Brasil ganhou apenas 1 Ouro e somou um total de 8 medalhas.

III Jogos Mundiais Militares (2003) : O Brasil ganhou, novamente, apenas 1 Ouro e somou ainda menos medalhas: 6.

IV Jogos Mundiais Militares (2007) : Novo Fracasso! Nenhum Ouro e apenas 3 medalhas

Diante dos sucessivos fracassos, o Governo Lula decidiu que não era conveniente usar atletas com formação militar de carreira para representar o Brasil nos Jogos Militares de 2011. Decidiu-se incorporar atletas civis, com ótimos antecedentes e conquistas já cristalizadas a nível mundial, nas Forças Armadas. Esses atletas mudaram o retrospecto de fracassos. Nos Jogos de 2011, o desempenho dos Atletas, recém incorporados nas Forças Armadas – “Militares Fakes” – foi o seguinte:

V Jogos Mundiais Militares ( Rio – 2011) Os atletas de alto rendimento incorporados pelo Governo Lula nas Forças Armadas brilharam e reverteram o velho histórico de fracassos do Brasil nos Jogos Militares: foram nada mais nada menos que 45 Ouros, 114 medalhas no toral e um incrível primeiro lugar no quadro geral de medalhas.

Enfim, esses atletas foram incorporados nas Forças Armadas por terem um histórico de rendimento de altíssimo nível e visavam contribuir para evitar novo fracasso nos Jogos Militares do Rio em 2011. As Forças Armadas, se realmente valorizam o esporte, devem enorme gratidão ao projeto do Governo Lula e a esses atletas- militares fakes – que reverteram o histórico de fracassos do Brasil nos jogos militares.

Os atletas não estão fazendo sucesso por conta do apoio das forças armadas , é justamente o contrário: são as forças armadas estão fazendo sucesso graças a esses atletas.

Fonte: Facebook


O campeão voltou! Brasil conquista o ouro inédito no futebol sobre a Alemanha

sábado, 20 agosto, 2016



Neymar, que havia marcado no tempo normal, cobrou a penalidade que pôs fim ao tabu
Jornal do Brasil
0907

Quando Neymar deu o chute inicial na partida que definiria, neste sábado (20), a medalha de ouro no futebol masculino, na Olimpíada do Rio, haviam se passado exatos dois anos, um mês e 12 dias dos traumáticos 7 a 1 na semifinal da Copa de 2014. Em campo, novamente Brasil e Alemanha numa partida decisiva. Tudo bem, não eram as seleções principais e não estávamos numa copa do mundo, mas não havia argumento que fizesse cair por terra, para os 70 mil que lotaram o Maracanã, que aquele jogo não seria encarado como a chance de revanche. E coube exatamente a Neymar dar o chute final para trazer a inédita medalha de ouro olímpica para o Brasil, na última cobrança de pênalti após o tempo normal em 1 a 1 e a prorrogação sem gols.

Antes do jogo, os históricos eram preocupantes. O Brasil vinha de uma fase inicial desastrosa, com empates em 0 a 0 com a África do Sul e o Iraque, e custou a recuperar a confiança da torcida. Alemanha também vinha de uma primeira etapa irregular, mas ganhou força ao longo do torneio. Mostrou se poderio emplacando suas seleções masculina e feminina nas finais do futebol olímpico, e as meninas já haviam cumprido sua missão.

Como se não bastasse, as duas seleções buscavam o ouro inédito no futebol (era a primeira vez que a Alemanha disputava uma final olímpica desde a reunificação, em 1990). Faltava algum ingrediente? Não, só faltava o resultado.

O título vem como uma homenagem ao grande João Havelange, ex-presidente da Fifa que faleceu durante essa semana. Se o futebol faz parte do calendário olímpico, é graças a Havelange, que lutou para que isso fosse possível.

O jogo

A Alemanha começou levando mais perigo ao gol do Brasil. Logo aos 3 minutos, arriscou um perigoso chute pela direita. Aos 5 minutos, o goleiro Everton teve de sair com o pé para afastar a bola. E aos 10 minutos, os alemãs acertaram a trave brasileira.

O Brasil respondeu aos 13. Num bom ataque, Luan chutou e a zaga tirou de cabeça. Aos 15, Neymar cobrou falta pela esquerda e a zaga novamente tirou. O Brasil seguia pressionando em boas arrancadas de Neymar, Luan e Gabriel Jesus. Renato Augusto, seguro, dava consistência ao meio campo. Aos 22, após um escanteio, coube a ele quase marcar o gol num chute fraco que saiu raspando a trave.

0908

Aos 25, Neymar arrancou em jogada individual e levou a falta. Enquanto ele mesmo se preparava para cobrar, a torcida gritava seu nome. Empurrado pelas arquibancadas, Neymar colocou no ângulo direito e abriu o placar. A torcida fazia a arquibancada tremer, e o clima esquentou dentro de campo, com alemães e brasileiros se estranhando. Mas o juiz tratou de acalmar os ânimos.

A Alemanha tentava a reação com um futebol aplicado. Aos 30, o goleiro Weverton salvou após escanteio. Aos 34, após uma cobrança de falta, a Alemanha acertou a trave numa cabeçada.

0909

Segundo tempo

O jogo recomeçou com as duas seleções mantendo o ritmo forte, entrando firme nas jogadas e na disputa de bola. A torcida brasileira mantinha a sintonia com o time, empurrando os jogadores, que correspondiam em campo

Mas a Alemanha seguia em ritmo cadenciado e, aos 13, numa boa trama do ataque,  marcou com Meyer chutando no canto esquerdo do goleiro.

Brasil respondeu aos 13 com chute de Renato Augusto para fora. Aos 15, num ataque em velocidade, Renato Augusto cruzou e Gabriel Jesus chutou rente à trave.

As duas seleções se lançavam ao ataque, mas a Alemanha se fechava bem na defesa, marcando com aplicação

Neymar e Renato Augusto chamavam a torcida, que correspondia. O Brasil seguia pressionando e, aos 27, Luan foi tocado na área e caiu. A torcida pediu pênalti que o juiz não marcou.

O Brasil pressionou até o final, com a Alemanha se limitando a tocar a bola à espera da prorrogação.

Prorrogação

Logo aos 4 minutos, o Brasil teve um contra-ataque perigoso, com Luan chutando em cima da zaga. O Brasil dominava, mas com poucas chances concretas de gol.

Logo no início do segundo tempo da prorrogação, a seleção perdeu chance com Renato Augusto chutando e o goleiro fazendo grande defesa. O Brasil pressionava e a Alemanha tocava a bola, mais uma vez esperando o juiz apitar fim de jogo e a decisão ir para os pênaltis.

Nos pênaltis, a Alemanha perdeu a sua última cobrança e coube a Neymar sacramentar a vitória com 5 a 4, para enlouquecer o Maracanã.

A conquista inédita reconciliou a seleção com sua torcida. Afinal, toda a relação apaixonada merece uma segunda chance.

O Brasil é o país do futebol. Respeitem, pois o CAMPEÃO VOLTOU!


Isaquias valoriza parceria de Erlon Silva na inédita conquista de três medalhas

sábado, 20 agosto, 2016

Ao cruzar a linha de chegada da final da canoa dupla 1000m, Isaquias Queiroz levantou-se da canoa já como o maior medalhista brasileiro em uma edição dos Jogos Olímpicos e apontou para o companheiro Erlon Silva, que caiu no choro. Apesar de todos os holofotes estarem voltados para Isaquias, o baiano de Ubaitaba mostrou que Erlon era bem mais que um mero coadjuvante de um dia histórico.

Juntos, Isaquias e Erlon foram campeões mundiais em Milão, no ano passado, e não chegaram ao título olímpico por menos de um segundo. Fenômeno da canoagem nacional, Isaquias enxerga muito do parceiro de seis anos em seus feitos.

“Ele merecia essa medalha, porque vi o quanto ele se dedicou e se esforçou ao longo da carreira. Ele me ajudou muito nas minhas duas primeiras medalhas”, reconhece Isaquias. “O sentimento é de dever cumprido. A gente sabe o que passou e o que ainda passa dentro de um centro de treinamento. Não é fácil ganhar uma medalha dessas. Você dorme e acorda pensando em treino. Os últimos quatro anos foram voltados para essa medalha”, lembra Erlon, que se junta a Isaquias no rol de medalhistas brasileiros da canoagem.

0905

>> Brasil é medalha de prata na canoa dupla de 1000m com Isaquias e Erlon

Isaquias Queiroz e Erlon Silva conquistaram a medalha de prata na Canoa Dupla 1000m
Isaquias Queiroz e Erlon Silva conquistaram a medalha de prata na Canoa Dupla 1000m
Isaquias se propôs a fazer no Rio de Janeiro o que poucos canoístas conseguem: competir em três provas diferentes, acumulando uma rotina de treinos em que precisava se adaptar às exigências de cada uma.

Na canoa individual 200m, por exemplo, o foco foi trabalhar a saída. Nas provas de 1000m, tanto individual quanto em dupla, o importante é dosar o ritmo. E a resposta para tanta dedicação veio em forma de medalhas – duas pratas e um bronze.

“Era o meu objetivo competir em três provas e fazer história. A primeira medalha já foi histórica, mas eu queria mais. Não por ganância, mas sim porque eu tinha força de vontade para fazer isso. Foram seis dias de competição muito pesados, mas o cronograma das provas ficou muito legal. Cheguei para o C2 sem sentir cansaço.”

Erlon exalta a façanha do conterrâneo. “Cada prova é diferenciada. Uma prova nunca é igual a outra, e ele teve que fazer um trabalho estratégico. A gente deve muito ao nosso técnico [o espanhol Jesús Morlán], que soube diferenciar e separar as coisas. O que o Isaquias fez aqui hoje, poucas pessoas conseguem fazer. Ser tão veloz e conseguir medalha em três provas. Na canoagem, você está todo o tempo testando seus limites e brigando com o seu corpo. Às vezes você fica muito cansado, mas está arrancando mais dele.”

A terceira e última medalha do fenômeno brasileiro na canoagem esteve perto de ser dourada, a única cor que ele não alcançou em sua estreia olímpica. A dupla brasileira apareceu em primeiro lugar durante a maior parte da prova, mas não resistiu ao sprint engatado pelos alemães nos metros finais.

“O atleta sonha com ouro. Não viemos para as Olimpíadas pensando em bronze ou prata, mas sim em conseguir o ouro. Infelizmente a gente não conseguiu, mas o maior ouro que poderia receber foi o carinho da torcida brasileira. Foi essencial para mim”, afirma Isaquias.

Para Erlon, a prova dos brasileiros foi perfeita: até mesmo o vento, que costuma ser um adversário de peso para os dois, pegou leve com os brasileiros para que eles permanecessem nas primeiras posições do começo ao fim. “Fizemos o que a gente vinha treinando. Administramos bem a prova e brigamos muito pelo primeiro lugar. Não deu, mas sei que fizemos tudo que podíamos. Quando você sai da água satisfeito, é sinal de que você fez o seu papel”.

Além de passar a figurar na história olímpica do Brasil, Isaquias Queiroz despede-se do Rio de Janeiro como o nono maior medalhista das provas cariocas da canoagem velocidade. “As três medalhas não são só minhas. São da canoagem, da Bahia e do Brasil. Eu já combinei com o meu técnico que terei férias até janeiro. Ele me disse que, com duas medalhas, só poderia descansar até novembro. Então eu tinha que conseguir mais uma para ir até janeiro”, brinca.


ELEÇÕES 2016: Campanha se intensifica em Salvador; confira a agenda de candidatos no fim de semana

sábado, 20 agosto, 2016
por Bruno Luiz
Campanha se intensifica em Salvador; confira a agenda de candidatos no fim de semana

Foto: Montagem / Bahia Notícias
A campanha para prefeitura de Salvador chega ao primeiro fim de semana com agendas intensificadas por parte dos candidatos ao comando do Palácio Thomé de Souza. Neste sábado (19), Fábio Nogueira (PSOL) faz pela manhã uma reunião com a assessoria de campanha e, pela tarde, participa de um encontro no Comitê da Juventude e do Sarau Lilás. À noite, participa do movimento “Favela contra o golpe”, no Nordeste de Amaralina. No domingo, o socialista visita pela tarde a Feira do Nordeste de Amaralina e participa da gravação do clipe de um candidato a vereador. Nogueira ainda participa de um protesto contra empreendimentos que devem ser construídos às margens do Rio Pituaçu, faz reunião em Jardim Cajazeiras e vai até uma confraternização no bairro de Sete de Abril com um candidato a vereador. O candidato Cláudio Silva (PP) grava no sábado pela manhã programa eleitoral. À tarde, participa de almoço beneficente com moradores de Itapuã e, depois, de um encontro com lideranças. No domingo, passa o dia em reunião com a equipe de marketing. A deputada federal Alice Portugal (PCdoB) faz no sábado, durante a manhã, uma atividade em uma escola e participa, ainda, do lançamento da candidatura de três postulantes a vereador. À tarde, participa da caminhada “Favela Contra o Golpe”. Pela noite, vai ao lançamento da candidatura para vereador. A candidata não divulgou antecipadamente a agenda para domingo. Na manhã de sábado, a candidata Célia Sacramento (PPL) faz um café da manhã no bairro de Águas Claras, em apoio a uma candidatura a vereador, além de um almoço com lideranças religiosas. À tarde, reúne-se com apoiadores da campanha e, pela noite, participa da festa no Ilê Axé Omi Nã. No domingo, toma café da manhã em Cajazeiras XI, em apoio a uma candidata a vereadora. Ainda pela manhã, participa da feijoada de lançamento de uma candidata a vereada. À tarde, vai a um encontro na Estrada das Barreiras com um candidato a vereador. O atual prefeito de Salvador e candidato à reeleição, ACM Neto (DEM), inaugura na manhã deste sábado seu comitê de campanha, na Avenida Juracy Magalhães Júnior. Ainda pela manhã, participa da candidatura de um vereador. Já o candidato Rogério Tadeu Da Luz (PRTB) faz atividades de campanha nos bairros de Plataforma e Lobato, na manhã de sábdo. Pela tarde, estará no bairro da Ribeira. A noite será dedicada aos familiares. No domingo pela manhã, participa de um culto evangélico e, pela tarde, vai para os bairros de Itapuã, Praia do Flamengo e Stella Maris. À noite, dedica-se à família. O candidato Pastor Sargento Isidório (PDT) não divulgou a agenda de campanha para do fim de semana antecipadamente.
Do Bahia Noticias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.