Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

Marcha das Mulheres reúne milhares de pessoas contra Trump

sábado, 21 janeiro, 2017
Jornal do Brasil

Milhares de pessoas realizam neste sábado (21), no centro de Washington, a capital norte-americana, a Marcha das Mulheres em protesto contra as políticas de imigração e contra a retirada dos direitos à assistência médica para todos, anunciadas pelo novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em apoio à manifestação, outras marchas de mulheres já estão sendo realizadas em várias cidades do mundo. As líderes do movimento estão convidando não apenas as mulheres, mas pessoas de qualquer idade ou sexo para participar do movimento.

Apesar do nome Marcha das Mulheres, os protestos contra o presidente empossado dos Estados Unidos reúnem também homens e crianças e as pautas progressistas são variadas e contrárias ao que Trump vinha pregando durante a campanha presidencial. As manifestações contra o republicano acontecem neste sábado (21) em mais de 600 cidades de 58 países.

>> Manifestantes tomam as ruas da capital contra Trump

>> Hillary não recebe cumprimento de Trump em posse

>> Trump toma posse como 45º presidente dos Estados Unidos

Mulheres marcham pelas ruas de Washington no dia seguinte à posse de Trump como presidente
Mulheres marcham pelas ruas de Washington no dia seguinte à posse de Trump como presidente

O primeiro ato de Donald Trump, que tomou posse nessa sexta-feira (20), foi a retirada do “ônus econômico” do plano de assistência médica à população dos Estados Unidos, que tinha sido aprovado pelo ex-presidente Barack Obama.

O plano é conhecido como Obamacare. Além de protestar contra a retirada do e contra as barreiras à imigração, a marcha também pede proteção ao meio ambiente, melhores salários e igualdade de gênero.

Antes de marchar pela capital norte-americana, as líderes do movimento estão promovendo shows de artistas e discursos de personalidades artísticas ou políticas que se destacaram em defesa de causas sociais ou direitos civis. Esses discursos e shows estão ocorrendo em uma área próxima ao Capitólio, prédio do Congresso norte-americano, mesmo local onde Trump tomou posse. A marcha começa nesse local e prossegue até as imediações da Casa Branca.

Austrália e Nova Zelândia

Milhares de cidadãos de várias cidades da Nova Zelândia e da Austrália iniciaram o movimento mundial de apoio às mulheres norte-americanas, que realizam hoje em Washington uma marcha contra as políticas do presidente Donald Trump.

A maior demonstração está sendo realizada em Sidney, na Austrália, onde milhares de pessoas se reuniram neste sábado para marchar pela cidade. Os organizadores da Marcha das Mulheres em Sidney afirmam que a passeata não é apenas contra as políticas de Trump e sim contra qualquer violação dos direitos das mulheres e das minorias.

Com Agência Brasil

Em apoio à manifestação, outras marchas de mulheres já estão sendo realizadas em várias cidades do mundo
Em apoio à manifestação, outras marchas de mulheres já estão sendo realizadas em várias cidades do mundo

Minirreforma de Rui Costa tem Wagner, Olívia Santana, Torres e mais dois novos secretários

sábado, 21 janeiro, 2017

 

wagner-rui

wagner-ruiA minirreforma do secretariado do governador Rui Costa (PT) se confirmou no final da noite desta sexta-feira (20). Como previsto no meio político, o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner se tornou secretário, assumindo a pasta do Desenvolvimento Econômico (SDE). Houve mudanças em outras quatro secretarias.

Com a confirmação do nome do petista, o arquiteto Jorge Hereda, que era o secretário da SDE, passa a assumir a BahiaInveste. Após a queda da presidente Dilma Rousseff, Wagner passou a cooperar com o governo Rui Costa e, em novembro do ano passado, assumiu o comando do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Estado da Bahia (Codes).

Trocas do PCdoB

oliviaEntre as mudanças estão também uma troca de cadeiras nos cargos ligados ao PCdoB. A ex-diretora-geral da Bahiafarma, Julieta Palmeira, assume a Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres (SPM), até então comandada por Olívia Santana (foto). Olívia se torna titular da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), que estava sendo comandada pelo também comunista Álvaro Gomes, ex-deputado estadual.

Outras mudanças

Já o deputado federal Fernando Torres (PSD, na foto abaixo) vai assumir a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), e Vivaldo Mendonça assume a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). Quem saiu da Sedur foi Carlos Martins, que não teve nome indicado para outro cargo até o momento.  torresFicou para depois a nomeação do titular da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), em substituição a Eugênio Spengler. Em nota, o governo informou que o novo nome será divulgado nos próximos dias.

O governador baiano também anunciou, pelo Twitter, a nomeação de Abal Magalhães para a presidência da Conder. Às 22h37 ele postou na mesma rede social: “Estou saindo agora da Governadoria porque fiz questão de conversar pessoalmente com cada um antes de anunciar as mudanças no secretariado”.

Em nota, Rui justificou a reforma. “As mudanças vão acontecendo de forma muito natural. O objetivo principal é melhorar ainda mais a gestão pública oferecendo à população dinamismo nos serviços prestados pelo Estado”.(Informações do Correio).

Fonte: http://www.interiordabahia.com.br


Teori julgou prisão de André Esteves, do BTG Pactual, sócio de dono do avião

sexta-feira, 20 janeiro, 2017
Carlos Filgueiras tinha 90% de capital de um fundo de investimentos do banco

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), morto nesta quinta-feira (19), viajava a bordo do avião do empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, que também morreu na queda da aeronave e era sócio do BTG Pactual, banco cujo ex-presidente André Esteves está entre os investigados da Lava Jato. Em dezembro de 2015, Teori revogou a prisão de Esteves, enviando-o à prisão domiciliar. Em abril de 2016, o ministro revogou a domiciliar.

Segundo informações do jornalista Alceu Castilho, do blog Outras Palavras, a Forte Mar Empreendimentos e Participações, uma das empresas do empresário morto na queda do avião, tem 90% de seu capital social em nome do Development Fund Warehouse, um fundo de investimentos do BTG Pactual.

Com todo respeito à imagem do ministro Teori Zavascki, respeito que se estende a seus familiares e amigos, o Jornal do Brasil não pode deixar de observar que a companhia desse empresário sócio do BTG Pactual a um ministro da Suprema Corte não era a mais recomendada, sobretudo nesse momento em que o Brasil inteiro vive uma crise das mais sérias em seus 500 anos.

0008

O ministro e relator da Lava Jato, Teori Zavascki, não merecia a morte que teve, mas o Brasil não merecia que em sua morte a companhia que o levou a esse fim trágico fosse um empresário sócio de um dos criminosos envolvidos no esquema que dilapidou a Petrobras e jogou o país na lama em que vivemos.

Se não bastasse a amizade entre ambos, o ex-ministro e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-ministro da Justiça Nelson Jobim foi recentemente contratado pelo BTG Pactual. Jobim também tinha boas relações com Teori. Especula-se que, se se concretizasse a queda do presidente Michel Temer, Nelson Jobim seria um forte candidato em eleições indiretas a assumir a Presidência da República do Brasil.


Donald Trump toma posse como novo presidente dos Estados Unidos

sexta-feira, 20 janeiro, 2017
Jornal do Brasil

O novo mandatário dos Estados Unidos Donald Trump foi empossado como o 45º presidente junto com o vice-presidente eleito Mike Pence. Eles prestaram juramento ao juiz John Roberts, que preside a solenidade.

A cerimônia, que está sendo transmitida ao vivo para todo o mundo, ocorre no Capitólio, o prédio do Congresso norte-americano. Segundo os organizadores, entre 900 mil e 1 milhão de pessoas, vindas de todo o país e do exterior, estão em Washington para assistir à posse.

Poucos minutos antes da posse, ativistas mascarados amassaram carros e quebraram vidraças de lojas em ruas da capital norte-americana, longe do Capitólio. Eles levaram bandeiras anarquistas pretas e cartazes com os dizeres: “Junte-se à resistência. Lute agora”. A polícia usou spray de pimenta para contê-los.

 

Rodeado por seus familiares, Donald Trump discursou pela primeira vez como presidente dos Estados Unidos, saudando todos os ex-presidentes que estão na cerimônia de posse e disse que os cidadãos “estão unidos para reconstruir nosso país”.

“Juntos vamos determinar o caminho dos EUA e do mundo. Vamos enfrentar desafios, mas vamos fazer o que precisarmos fazer”, acrescentou.

Trump agradeceu Barack Obama e Michelle por terem sido “magníficos” no processo de transição de poder. Ele afirmou ainda que seu governo vai “devolver o governo para o povo”.

“Enquanto Washington crescia, o povo perdia. Enquanto celebravam em Washington, o povo sofria. Mas, tudo muda a partir de agora. Este momento é de vocês e pertence a vocês”, disse Trump, acrescentando: “O que realmente importa não é que partido controla o governo, mas se o governo é controlado pelo povo. 20 de janeiro de 2017 será lembrada como a data que o povo voltou a ser o governo do país. Os homens e mulheres esquecidos, não serão mais esquecidos”.

Donald Trump também lembrou dos problemas econômicos e educacionais dos Estados Unidos, dizendo que eles causaram a violência e “uma carnificina” no país.

“Somos uma nação. Seus sonhos, são nossos sonhos. Seu sucesso, será nosso sucesso. Compartilhamos um lar, um país. E os votos que fiz hoje são para vocês, norte-americanos”, disse. E destacou: “Nós defendemos fronteiras de outras nações e nos recusamos a defender as nossas próprias. Gastamos trilhões em outros países, enquanto nossa indústria entrava em decadência. Ajudávamos os outros, enquanto nosso país se desfazia no horizonte”.

Por fim, o magnata afirmou que não decepcionará os norte-americanos.

“A proteção vai nos fazer forte. Eu vou lutar por vocês e jamais desapontar vocês. Os EUA vão voltar a vencer de novo, como nunca antes”, disse. Em outro recado, Trump pediu para que os “norte-americanos comprem de norte-americanos e que contratem norte-americanos”, completou.

O magnata teria se inspirado – e estudado – discursos dos ex-presidentes norte-americanos Ronald Reagan, John F. Kennedy e Richard Nixon para sua cerimônia de posse nesta sexta-feira (20), em Washington D.C. De acordo com a imprensa local, os discursos que mais foram analisados por Trump se referem aos de Nixon, em 1969, já que o republicano considerada parecidas as circunstâncias de hoje com as conjunturas políticas daquela época.

Nixon venceu as eleições presidenciais com um baixo percentual de votos (43%, enquanto Trump conquistou 46%) e assumiu um país marcado por tensões raciais e pelos efeitos da guerra do Vietnã. Ao tomar posse, Nixon pediu união entre os norte-americanos. O republicano foi o 37º presidente dos EUA, governou entre 1969 e 1974, foi o único a renunciar ao cargo, e o fez devido ao escândalo de Watergate, pouco antes do Congresso votar seu impeachment.

Trump discursa pela primeira vez como presidente dos Estados Unidos da América
Trump discursa pela primeira vez como presidente dos Estados Unidos da América

Barack Obama

Agora ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deixou o Salão Oval da Casa Branca – o local mais importante e famoso da sede da Presidência norte-americana – pela última vez como presidente ao seu lado de seu vice, Joe Biden, acompanho pela esposa.

Horas antes de encerrar o mandato, o casal Barack e Michelle Obama lançaram um novo site. Na página, que pode ser acessada em http://www.barackobama.com, o casal se despediu dos cidadãos norte-americanos, após oito anos de mandato do democrata.

A foto de abertura do site mostra Michelle e Obama se abrançando em Washington D.C. “The Office of Barack and Michelle Obama” é o título principal da homepage. “A mudança que buscamos levará mais de um mandato ou de uma Presidência. A verdadeira mudança tomará mais anos e pede para cada geração abraçar as obrigações e oportunidades que vêm com o título de cidadão”, disse Obama.

 

Hillary Clinton e George W. Bush

O ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush e sua esposa, Laura, estiveram em Washington para a cerimônia de posse do novo mandatário, Donald Trump. Durante a campanha presidencial, Bush e seu pai, George W.H. Bush, criticaram o magnata por diversas vezes.

O ex-presidente Bill Clinton e sua esposa, Hillary, derrotada nas eleições presidenciais, também estiveram presentes na cerimônia de posse no Capitólio.

A ex-secretária de Estado foi aplaudida ao chegar no Congresso, porém não recebeu cumprimentos do novo presidente, Donald Trump.

“Estou aqui hoje para honrar a democracia”, afirmou a democrata.

Manifestações nas redes sociais revelam lamentações pela presença da democrata na posse de Trump. Correspondente da Casa Branca, Maggie Haberman, comentou surpresa na cobertura ao vivo do jornal New York Times.

“É realmente surreal assistir Hillary Clinton chegando. E será expressivo assistir como Trump vai lidar com a presença dela, o que eu suspeito que o deixará desconfortável”, escreveu Maggie.

O ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush e sua esposa, Laura, também chegaram a Washington para a cerimônia de posse do novo mandatário. Durante a campanha presidencial, Bush e seu pai, George W.H. Bush, criticaram o magnata por diversas vezes.

A polícia de Washington está em nível de vigilância elevado para a cerimônia, e está intervindo em manifestações contra o Trump. Ao menos duas pessoas foram presas por confrontos.

Redes sociais

A algumas horas de seu início, a posse do republicano Donald Trump como presidente dos Estados Unidos começa a figurar entre os temas mais discutidos em redes sociais. No Twitter, os termos #InaugurationDay (relativo à cerimônia) e Melania (que se refere à mulher do novo presidente dos EUA, Melania Trump) estão entre os mais comentados em todo o mundo.

Entre os internautas, o clima de dúvida sobre o futuro dos EUA impera. Alguns desejavam sorte ao novo presidente norte-americano. “Hoje é o dia em que o presidente eleito Donald Trump será empossado como presidente dos Estados Unidos! Boa sorte senhor”, dizia uma das mensagens. Outras não eram tão otimistas assim: “Bem, eu acho que “está tudo bem”! Vamos retroceder 50 anos hoje!”.

Internautas também aproveitam as redes sociais para, novamente, se despedirem de Barack Obama. “Obama está saindo, mas o que ele representava, não. Seu legado deve ter continuidade”, apontava um internauta.

A troca de comando não ocorre apenas na Casa Branca. Hoje, a conta do Twitter @Potus (sigla para The Presidente of United States) vai passar de Obama para Donald Trump. Na manhã desta sexta-feira (20), Obama fez as últimas postagens na conta em clima de despedida. Depois que Trump for empossado, as postagens de Obama passarão para o perfil @POTUS44. Ele escreveu o seguinte, em uma série de quatro tuítes:

“Foi a maior honra da minha servir a vocês. Vocês fizeram de mim um líder melhor e um homem melhor. Eu não vou parar; estarei com vocês como um cidadão, inspirado pelo clamor de justiça, bom humor e amor. Para o futuro, eu quero refletir sobre o que importa para vocês. Compartilhem seus pensamentos em Obama.org. Eu continuo pedindo para vocês acreditarem – não na minha capacidade de provocar uma mudança, mas na de vocês. Eu acredito na mudança porque acredito em vocês”.

Trump publicou pouco em redes sociais no dia da sua posse. Ele fez apenas um chamado para o evento: “Tudo começa hoje! Vejo vocês às 11h (horário da posse) para o juramento. O movimento continua. O trabalho começa”. Melania Trump e Michele Obama (esposas de Trump e Obama) não fizeram manifestações por redes sociais neste 20 de janeiro.

O presidente eleito, que usa muito a rede social para se posicionar politicamente, afirmou que a reforma do sistema de saúde promovida pelo presidente Barack Obama “em breve ficará na história”. Novamente no Twitter, Trump disse que o “Obamacare”, como ficou conhecido o programa de subsídios do governo para ajudar famílias a pagar um plano de saúde, é “insustentável”.

Acabar com o programa de saúde foi uma das principais promessas da campanha eleitoral do republicano, que tem a maioria de integrantes de seu partido no Congresso.

Trajetória

“A eleição de Donald Trump à presidência dos EUA após uma campanha fomentando ódio e intolerância, e o crescimento da influência de partidos políticos na Europa que rejeitam direitos universais, colocaram em risco o sistema de direitos humanos do pós-guerra”, afirmou a Human Rights Watch em seu Relatório Mundial de 2017, classificando o presidente eleito e vários outros líderes mundiais como ameaças aos direitos humanos.

Durante a coletiva de imprensa em Washington, Donald Trump, bateu boca com um repórter da emissora “CNN” e se recusou a ouvir a pergunta. “Vá adiante, você não. Sua empresa é horrorosa. Vocês publicam notícias falsas”, disse ao repórter. A “CNN” foi uma das empresas jornalísticas do país que divulgaram dossiê sobre supostas informações obtidas pelos russos sobre o republicano.

Relembrando um episódio durante as campanhas eleitorais no qual Trump ridicularizou um jornalista deficiente, a atriz Meryl Streep em um discurso na entrega do prêmio Globo de Ouro, no domingo (8), afirmou que “esse exemplo dado por uma pessoa tão poderosa dá permissão a outras pessoas para desrespeitar”.

“A violência incita a violência. O desrespeito incita o desrespeito. Se alguém usa sua posição para fazer bullying, todos nós perdemos”, ressaltou. Streep aumentou o tom e teceu críticas à política norte-americana, principalmente ao magnata e suas promessas durante sua campanha eleitoral, mas sem citar o nome do presidente eleito. Seguindo a atriz, o astro Robert De Niro também foi enfático ao reprovar Trump.

Diferentemente de outras estrelas de Hollywood, a atriz Nicole Kidman demonstrou apoio ao republicano, e pediu reforço aos norte-americanos. Durante entrevista à BBC, a atriz, que promovia seu novo filme “Lion”, disse que a população devia apoiar o magnata, uma vez que ele foi eleito pelo país para governar a casa Branca.

Outras estrelas como Emma Stone, Natalie Portman, Matthew McConaughey, Andrew Garfield, Felicity Jones, Dakota Fanning, Amy Adams, Chris Pine, Hailee Steinfeld, Taraji P. Henson, Michelle Williams, Greta Gerwig e Mahershala Ali também demonstraram apoio ao magnata.

*com Agência ANSA

>> Conheça os desafios de Donald Trump na Presidência dos EUA

>> Obama deixa legado importante depois de 8 anos de governo


Em junho, Teori confirmou que ele e sua família sofreram ameaças

sexta-feira, 20 janeiro, 2017
Na época, ele minimizou o ocorrido: “Nada sério”

Seu filho, Francisco Prehn Zavascki, havia publicado no Facebook, em maio: “É obvio que há movimentos dos mais variados tipos para frear a Lava Jato. Penso que é até infantil imaginar que não há, isto é que criminosos do pior tipo, (conforme o MPF afirma), simplesmente resolveram se submeter à lei. Acredito que a lei e as instituições vão vencer, porém, alerto: se algo acontecer com alguém da minha família, você já sabem onde procurar…! Fica o recado!”.

>> Ministro Teori Zavascki confirma ameaças a sua família

Filho de Teori Zavascki relatou ameaças pelo Facebook, em maio
Filho de Teori Zavascki relatou ameaças pelo Facebook, em maio

 

Teori Zavaski é o ministro relator da Operação Lava Jato no STF. Os investigadores da Operação Lava Jato já estavam trabalhando com a possibilidade de que uma parte considerável do conteúdo das delações da Odebrecht seja revelada ao público na primeira quinzena de fevereiro.

Relatos de 77 delatores ligados à empresa causa apreensão na classe política, já que eles devem ser diretamente atingidos pelas investigações. Os investigadores esperavam que o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, retirasse o sigilo da maioria dos cerca de 900 depoimentos quando as delações forem homologadas.


Teori Zavascki morre em queda de avião em Paraty

quinta-feira, 19 janeiro, 2017
Jornal do Brasil

O Corpo de Bombeiros também confirmou a morte de Teori Zavascki. Ele deve ser velado no STF e será enterrado em Santa Catarina.

Teori Zavaski era o ministro relator da Operação Lava Jato no STF. Os investigadores da Operação Lava Jato já estavam trabalhando com a possibilidade de que uma parte considerável do conteúdo das delações da Odebrecht seja revelada ao público na primeira quinzena de fevereiro.

Teori Zavascki morre em queda de avião em Paraty
Teori Zavascki morre em queda de avião em Paraty

Relatos de 77 delatores ligados à empresa causa apreensão na classe política, já que eles devem ser diretamente atingidos pelas investigações. Os investigadores esperavam que o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, retirasse o sigilo da maioria dos cerca de 900 depoimentos quando as delações forem homologadas.

Trajetória

Teori Zavascki já era viúvo e deixa três filhos. Membro do STF desde 2012, Teori foi o ministro responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na Corte, tratando dos processos dos investigados com foro privilegiado.

Teori foi nomeado para o Supremo pela então presidenta Dilma Rousseff para ocupar a vaga de Cezar Peluso, que se aposentou após atingir a idade limite para o cargo, de 70 anos. Ontem, ele tinha interrompido o recesso para determinar as primeiras diligências nas petições que tratam da homologação dos acordos de delação de executivos da empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato.

Teori Zavascki nasceu em 1948 na cidade de Faxinal dos Guedes (SC), e é descendente de poloneses e italianos. Aprovado em concurso de juiz federal para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em 1979, ele foi nomeado, mas não tomou posse. Advogado do Banco Central de 1976 até 1989, chegou à magistratura quando foi indicado para a vaga destinada à advocacia no TRF4, onde trabalhou entre 2001 e 2003. De 2003 a 2012, Zavascki foi ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Respeitado nas áreas administrativa e tributária, Zavascki também era considerado minucioso em questões processuais. “Espero que todos os bons momentos apaguem minha fama de apontador ou cobrador das pequenas coisas”, brincou, ao se despedir da Primeira Turma do STJ, antes de ir para o STF. O ministro declarou em diversas ocasiões ser favorável ao ativismo do Judiciário quando o Legislativo deixa lacunas.

Atuação na Lava Jato

Ao longo de sua atuação como relator da Lava jato no STF, Zavascki classificou como “lamentável” os vazamentos de termos das delações de executivos da Odebrecht antes do envio ao Supremo pela Procuradoria Geral da República (PGR).

Entre suas decisões relativas à operação estão a determinação do arquivamento de um inquérito contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) , a transferência da investigação contra o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para Sérgio Moro e a anulação da gravação de uma conversa telefônica entre Lula e a ex-presidenta Dilma Rousseff.  Além disso, Teori negou um pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que investigações contra ele, que estão nas mãos do juiz Sérgio Moro, fossem suspensas e remetidas ao Supremo.

Sobre as críticas recorrentes de demora da Corte em analisar processos penais, Teori disse que “seu trabalho estava em dia”. No fim do ano passado, Zavascki disse que trabalharia durante o recesso da Corte para analisar os 77 depoimentos de delação premiada de executivos da empreiteira Odebrecht que chegaram em dezembro ao tribunal.

Durante seu trabalho na Lava Jato, chegou a criticar a imprensa. Ele disse que decisões sem o glamour da Lava Jato, operação na qual ele foi relator dos processos na Corte, muitas vezes mereceram pouca atenção da mídia. Ele também relativizou os benefícios do foro privilegiado, norma pela qual políticos e agentes públicos só podem ser julgados por determina Corte.

“A vantagem de ser julgado pelo Supremo é relativa. Ser julgado pelo Supremo significa ser julgado por instância única”, afirmou o ministro, acrescentando que processos em primeira instância permitem recursos à segunda instância e ao STJ, além do próprio Supremo. “Não acho que essa prerrogativa tenha todos esses benefícios ou malefícios que dizem ter”, comentou Zavascki.

Certa vez, ao participar de uma palestra na Associação dos Advogados de São Paulo (AASP) ele disse que achava “lamentável” que as pessoas que obedecem as leis são, algumas vezes, taxadas pejorativamente no Brasil. “Em muitos casos, as pessoas têm vergonha em aplicar a lei. Acho isso uma coisa um pouco lamentável, para não dizer muito lamentável”, afirmou o ministro.

O acidente

Um avião caiu na tarde de quinta-feira (19) no mar de Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente foi próximo à Ilha Rasa. O avião saiu de São Paulo (SP) e caiu a 2 km de distância da cabeceira da pista. De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), outras três pessoas estavam a bordo. Na hora do acidente, chovia forte em Paraty e a região estava em estágio de atenção.

Com Agência Brasil


UNIME de Lauro de Freitas está acéfala

quinta-feira, 19 janeiro, 2017

0007

 

A Unime de Lauro de Freitas está sem comando. Pelo menos esta é opinião de alguns formandos que tentam resolver pendencias acadêmicas com a Universidade e não conseguem.

Curso de Direito

Os gestores acadêmicos, diretor e coordenador, da Faculdade de Ciências Jurídicas estão de férias restando apenas para contato o Diretor geral de prenome Adriano está sempre em reunião.

Colação de grau

A turma de direito cola grau no próximo dia 24/01, de onde pode se notar que alguns alunos estão tensos pois com as pendencias não podem retirar os convites para a formatura. Outra questão é que alguns deles farão a segunda fase do exame da Ordem (prova prática) neste domingo (22), o que aumenta a pressão. Mas, nada disso parece preocupar a universidade.

Tentamos contato com o diretor, pelo número 33788900, mas, fomos informados que ele estava em reunião. Estivemos lá pessoalmente e os funcionários da recepção deram a mesma informação.

MEC

Ligamos para um número que seria da Coordenação do Ministério da Educação ( 3115 9190) e um funcionário nos informou, humoradamente, que o MEC é em Brasília. Como pode se perceber a Educação está sendo tratada de forma transparente no Brasil.

OAB

Sem solução com a Unime e O MEC informamos a situação ao presidente do Conselho de Diretos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção da Bahia, Dr. Eduardo Rodrigues para que possa acompanhar e dar suporte, no que couber, aos estudantes. Estamos tentando também contato com o Diretório Central dos estudantes, DCE, da Universidade.

Nosso comentário: educação não é mercadoria, estudantes são sujeitos de direitos, e estes devem sempre ser respeitados por todos e garantidos pelo Estado Democrático de Direito. É inconcebível que dois gestores acadêmicos tirem férias no mesmo período, sendo também no mínimo deselegante um diretor geral se recusar a receber um aluno da Instituição de ensino. Mas, escandaloso mesmo é perceber que as autoridades responsáveis pela educação no país sucumbiram ao poder econômico.

Prof. Desiderio

Email: Desiderio.melo@bol.com.br