Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

11/01/2011

Como Dizia Meu Pai – Crônica de Fernando Sabino

14/08/2022

Foto de arquivo: professor Desiderio e o filho Augusto(2005).

JÁ SE TORNOU HÁBITO MEU, em meio a uma conversa, preceder algum comentário por uma introdução:

— Como dizia meu pai…

Nem sempre me reporto a algo que ele realmente dizia, sendo apenas uma maneira coloquial de dar ênfase a alguma opinião.

De uns tempos para cá, porém, comecei a perceber que a opinião, sem ser de caso pensado, parece de fato corresponder a alguma coisa que Seu Domingos costumava dizer. Isso significará talvez — Deus queira — insensivelmente vou me tornando com o correr dos anos cada vez mais parecido com ele. Ou, pelo menos, me identificando com a herança espiritual que dele recebi.

Não raro me surpreendo, antes de agir, tentando descobrir como ele agiria em semelhantes circunstâncias, repetindo uma atitude sua, até mesmo esboçando um gesto seu. Ao formular uma idéia, percebo que estou concebendo, para nortear meu pensamento, um princípio que se não foi enunciado por ele, só pode ter sido inspirado por sua presença dentro de mim.

— No fim tudo dá certo…

Ainda ontem eu tranqüilizava um de meus filhos com esta frase, sem reparar que repetia literalmente o que ele costumava dizer, sempre concluindo com olhar travesso:

— Se não deu certo, é porque ainda não chegou no fim.

Gosto de evocar a figura mansa de Seu Domingos, a quem chamávamos paizinho, a subir pausadamente a escada da varanda de nossa casa, todos os dias, ao cair da tarde, egresso do escritório situado no porão. Ou depois do jantar, sentado com minha mãe no sofá de palhinha da varanda, como namorados, trocando notícias do dia. Os filhos guardavam zelosa distância, até que ela ia aos seus afazeres e ele se punha à disposição de cada um, para ouvir nossos problemas e ajudar a resolvê-los. Finda a última audiência, passava a mão no chapéu e na bengala e saía para uma volta, um encontro eventual com algum amigo. Regressava religiosamente uma hora depois, e tendo descido a pé até o centro, subia sempre de bonde. Se acaso ainda estávamos acordados, podíamos contar com o saquinho de balas que o paizinho nunca deixava de trazer.

Costumava se distrair realizando pequenos consertos domésticos: uma bóia de descarga, a bucha de uma torneira, um fusível queimado. Dispunha para isso da necessária habilidade e de uma preciosa caixa de ferramentas em que ninguém mais podia tocar. Aprendi com ele como é indispensável, para a boa ordem da casa, ter à mão pelo menos um alicate e uma chave de fenda. Durante algum tempo andou às voltas com o velho relógio de parede que fora de seu pai, hoje me pertence e amanhã será de meu filho: estava atrasando. Depois de remexer durante vários dias em suas entranhas, deu por findo o trabalho, embora ao remontá-lo houvesse sobrado umas pecinhas, que alegou não fazerem falta. O relógio passou a funcionar sem atrasos, e as batidas a soar em horas desencontradas. Como, aliás, acontece até hoje.

Tinha por hábito emitir um pequeno sopro de assovio, que tanto podia ser indício de paz de espírito como do esforço para controlar a perturbação diante de algum aborrecimento.

— As coisas são como são e não como deviam ser. Ou como gostaríamos que fossem.

Este pronunciamento se fazia ouvir em geral quando diante de uma fatalidade a que não se poderia fugir. Queria dizer que devemos nos conformar com o fato de nossa vontade não poder prevalecer sobre a vontade de Deus – embora jamais fosse assim eloqüente em suas conclusões. Estas quase sempre eram, mesmo, eivadas de certo ceticismo preventivo ante as esperanças vãs:

— O que não tem solução, solucionado está.

E tudo que acontece é bom — talvez não chegasse ao cúmulo do otimismo de afirmar isso, como seu filho Gerson, mas não vacilava em sustentar que toda mudança é para melhor: se mudou, é porque não estava dando certo. E se quiser que mude, não podendo fazer nada para isso, espere, que mudará por si.

Às vezes seus princípios pareciam confundir-se com os da própria sabedoria mineira: esperar pela cor da fumaça, não dar passo maior do que as pernas, dormir no chão para não cair da cama. Os dele eram mais singelos:

— Mais vale um apertinho agora que um apertão o resto da vida.

— Negócio demorado acaba não saindo.

— Dinheiro bom em coisa boa.

— Antes de entrar, veja por onde vai sair.

Um dia me disse, ao me surpreender tentando armar um brinquedo qualquer com mãos desajeitadas:

— Meu filho, tudo que é bem feito se faz com os dedos, não com as mãos.

Tenho tido ocasião ao longo da vida de observar como é procedente este seu ensinamento. A mão é grossa, pesada, insensível. Se não fossem os dedos de nada serviria, a não ser para dar bofetadas. Os dedos são refinados, sensitivos, e a eles devemos tudo o que é bem feito e acabado: do mais requintado trabalho manual às mais complicadas operações, da mais fina sensação do tacto à mais terna das carícias.

— Se o cafezinho foi bom, melhor não aceitar o segundo: será sempre pior que o primeiro.

Como tudo mais nessa vida: uma viagem, uma mulher: não repetir, pois a emoção jamais será a mesma da primeira vez. E não desanimar, pois se nascemos nus e estamos vestidos, já estamos no lucro. Nada neste mundo é cem por cento perfeito. Se contamos com mais de cinqüenta por cento, também já estamos no lucro. Quando conseguimos o que é apenas bom, naturalmente devemos continuar aspirando o melhor, se possível – mas perfeição absoluta, só Deus. E creio que Seu Domingos, homem íntegro, reto e temente a Deus, hoje em Sua companhia, não consideraria sacrilégio comentar, naquele seu jeito ladino:

— E assim mesmo, olhe lá…

Seus conselhos eram de tamanha simplicidade que tinham a força de provérbios nascidos da voz do povo: nada como um dia depois do outro, um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar, tudo tem seu tempo. Fosse ele influenciado por leituras piedosas, poderíamos mesmo detectar, aqui e ali, vestígios de inspiração bíblica: tempo de semear, tempo de colher…

— É o que nos acontece.

Há uma diferença sutil entre admitir que as coisas são como são, não como deviam ser, e reconhecer que é o que nos acontece. Aqui, o comentário não pretendia refletir a impossibilidade de modelar (com os dedos) os fatos de acordo com a nossa vontade, mesmo que esta esteja certa. Exprime antes a humilde aceitação da nossa precária condição humana, como frágeis criaturas de Deus. Procura se solidarizar com a desgraça alheia, como a dizer que também estamos sujeitos a ela, somos todos irmãos na mesma atribulação. É o que nos acontece.

Portanto, alegremo-nos! Uma amiga minha, que não o conheceu, busca nele se inspirar quando afirma, sempre que se vê diante de algum contratempo:

— Antes de mais nada, fica estabelecido que ninguém vai tirar o meu bom humor.

Acabei levando esta disposição de minha amiga às últimas conseqüências: o mais importante é não perder a capacidade de rir de mim mesmo. Como Cartola e Carlos Cachaça naquele samba, às vezes dou gargalhadas pensando no meu passado.. . E cada vez acredito mais no ensinamento recebido não sei se de meu pai ou diretamente de Confúcio, segundo o qual há várias maneiras de realizar um desejo, sendo uma delas renunciar a ele. Como adverte outro sábio, se desejamos obstinadamente alguma coisa, é melhor tomar cuidado, porque pode nos suceder a infelicidade de consegui-la.

Tudo isso que de uns tempos para cá vem me vem ocorrendo, às vezes inconscientemente, como legado de meu pai, teve seu coroamento há poucos dias, quando eu ia caminhando distraído pela praia. Revirava na cabeça, não sei a que propósito, uma frase ouvida desde a infância e que fazia parte de sua filosofia: não se deve aumentar a aflição dos aflitos. Esta máxima me conduziu a outra, enunciada por Carlos Drummond de Andrade no filme que fiz sobre ele, a qual certamente Seu Domingos perfilharia: não devemos exigir das pessoas mais do que elas podem dar. De repente fui fulminado por uma verdade tão absoluta que tive de parar, completamente zonzo, fechando os olhos para entender melhor. No entanto era uma verdade evangélica, de clareza cintilante como um raio de sol, cheguei a fazer uma vênia de gratidão a Seu Domingos por me havê-la enviado:

Só há um meio de resolver qualquer problema nosso: é resolver primeiro o do outro.

Com o tempo, a cidade foi tomando conhecimento do seu bom senso, da experiência adquirida ao longo de uma vida sem maiores ambições: Seu Domingos, além de representante de umas firmas inglesas, era procurador de partes — solene designação para uma atividade que hoje talvez fosse referida como a de um despachante. A princípio os amigos, conhecidos, e depois até desconhecidos passaram a procurá-lo para ouvir um conselho ou receber dele uma orientação. Era de se ver a romaria no seu escritório todas as manhãs: um funcionário que dera desfalque, uma mulher abandonada pelo marido, um pai agoniado com problemas do filho — era gente assim que vinha buscar com ele alívio para a sua dúvida, o seu medo, a sua aflição. O próprio Governador, que não o conhecia pessoalmente, certa vez o consultou através de um secretário, sobre questão administrativa que o atormentava. Não se falando nos filhos: mesmo depois de ter saído de casa, mais de uma vez tomei trem ou avião e fui colher uma palavra sua que hoje tanta falta me faz.

Resta apenas evocá-la, como faço agora, para me servir de consolo nas horas más. No momento, ele próprio está aqui a meu lado, com o seu sorriso bom.

FELIZ DIA DOS PAIS.


Os 80 anos de Clara Nunes são festejados com discrição injusta diante do legado da cantora

13/08/2022

CULTURA

Posted on 12 de agosto de 2022

COMMENTS

Homenagens estão concentradas em Caetanópolis, cidade natal da artista mineira projetada na década de 1970 como luminosa voz do samba após titubeante início de carreira.

Se não tivesse saído precocemente de cena aos 40 anos, vítima fatal de complicações de aparentemente simples cirurgia de varizes, Clara Francisca Gonçalves (12 de agosto de 1942 – 2 de abril de 1983) poderia estar festejando hoje o 80º aniversário de vida.

Clara Francisca Gonçalves foi a luminosa cantora mineira imortalizada com o nome de Clara Nunes em discografia que, a partir de 1971, ganhou impulso e relevância.

Clara veio ao mundo no mesmo ano de 1942 que legou ao Brasil Caetano Veloso, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Nara Leão (1942 – 1989), Nei Lopes, Paulinho da Viola e Tim Maia (1942 – 1998). Diferentemente destes grandes nomes, o 80º aniversário da cantora está sendo celebrado com injusta discrição pelo Brasil.

As únicas comemorações se concentram em Caetanópolis (MG), cidade natal da mineira – município que há 80 anos se chamava Cedro (MG) e era distrito de Paraopeba (MG).

Haverá a reabertura do museu Memorial Clara Nunes – com a inauguração da exposição Quando vim de Minas, batizada com o nome do samba do compositor Xangô da Mangueira (1923 – 2009) lançado por Clara em álbum de 1973 – e a realização da 17ª edição do Festival Cultural Clara Nunes, com programação que destaca show de Diogo Nogueira, filho de João Nogueira (1941 – 2000), parceiro de Paulo César Pinheiro na composição de vários sambas popularizados na voz de Clara.

Tais festejos são significativos, mas era preciso uma comemoração de âmbito nacional para fazer jus à dimensão do legado de Clara Nunes.

Mesmo sem ter nascido no mundo do samba, a cantora se converteu ao gênero com sinceridade a partir da bem-sucedida estratégia de marketing criada em 1971 pelo radialista e produtor musical Adelzon Alves para tentar dar a Clara a popularidade e o prestígio que a cantora vinha perseguindo em vão desde a segunda metade dos anos 1960, década em que a artista estreou na gravadora Odeon com o esquecível álbum A voz adorável de Clara Nunes (1966).

Houve lampejo de sucesso no segundo álbum, Você passa eu acho graça (1968), mas Clara somente encontrou um rumo e uma turma a partir do quarto álbum, Clara Nunes (1971), arquitetado por Adelzon.

A partir de então, a discografia da artista resultou impecável, com destaque para álbuns consagradores como Alvorecer (1974), Claridade (1975), Canto das três raças (1976), As forças da natureza (1977) e Guerreira (1978). Todos esses álbuns – assim como os posteriores Esperança (1979), Brasil mestiço (1980), Clara (1981) e o derradeiro Nação (1982) – resistem muito bem ao tempo.

E, se estes discos conservam em 2022 o viço da época dos respectivos lançamentos, é porque Clara aliou a luminosidade da voz a um repertório de qualidade atemporal, selecionado conjuntamente com Adelzon Alves e – a partir de 1976 – com Paulo César Pinheiro, produtor dos sete últimos álbuns da cantora.

Em que pese o titubeante início de carreira, Clara Nunes marcou época na música brasileira ao longo dos anos 1970, atingindo vendas expressivas para o mercado fonográfico brasileiro a partir do álbum Alvorecer (1974), disco em que aparece na capa com a imagem estilizada de baiana que sublinhou a afro-brasilidade entranhada no repertório da cantora.

Mais lembrada nos 70 anos do que nos 80, Clara Nunes reluz na música do Brasil como uma voz de ouro do ABC do samba sem ter se restringido ao gênero. Outros ritmos do Brasil mestiço – sobretudo gêneros musicais de Minas Gerais e do Nordeste – também aparecem na discografia áurea da cantora, voz de uma nação em época musicalmente feliz.

Clara Nunes, na imagem cristalizada na memória de quem viveu no Brasil entre 1971 e 1983 — Foto: Reprodução / Capa de disco

Por G1

http://www.interiordabahia.com.br

Conto de Areia

Clara Nunes

É água no mar, é maré cheia ô
mareia ô, mareia
É água no mar…

Contam que toda tristeza
Que tem na Bahia
Nasceu de uns olhos morenos
Molhados de mar.

Não sei se é conto de areia
Ou se é fantasia
Que a luz da candeia alumia
Pra gente contar.

Um dia morena enfeitada
De rosas e rendas
Abriu seu sorriso de moça
E pediu pra dançar.

A noite emprestou as estrelas
Bordadas de prata
E as águas de Amaralina
Eram gotas de luar.

Era um peito só
Cheio de promessa era só
Era um peito só cheio de promessa (2x)

https://b05ae9d374d8f3c4892afa6515862b8e.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Quem foi que mandou
O seu amor
Se fazer de canoeiro
O vento que rola das palmas
Arrasta o veleiro
E leva pro meio das águas
de Iemanjá
E o mestre valente vagueia
Olhando pra areia sem poder chegar
Adeus, amor

Adeus, meu amor
Não me espera
Porque eu já vou me embora
Pro reino que esconde os tesouros
De minha senhora

Desfia colares de conchas
Pra vida passar
E deixa de olhar pros veleiros
Adeus meu amor eu não vou mais voltar

Foi Beira-Mar, foi Beira-Mar quem chamou
Foi Beira-Mar ê, foi Beira-Mar (2x)

https://www.vagalume.com.br/clara-nunes/conto-de-areia.html


Morre o cantor Zelito Miranda aos 66 anos, ‘Rei do Forró Temperado’

12/08/2022

HISTÓRIA

Posted on 12 de agosto de 2022

COMMENTS

O cantor Zelito Miranda morreu na madrugada desta sexta-feira (12), aos 66 anos, vítima de problemas no pulmão. O forrozeiro passou mal, por volta das 5h, e foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu antes de chegar ao hospital.

O sepultamento será realizado na tarde desta sexta, no cemitério Bosque da Paz, às 16h30, e será aberto ao público e fãs do artista, considerado um dos grandes nomes do forró na Bahia e “eleito” como “Rei do Forró Temperado”.

Zelito deixa a esposa Telma Miranda, maior parceira de sua vida, e as filhas Clarice, que espera a sua primeira neta, e Luiza.

Zelito Miranda
Diferente, irreverente e autêntica, foi assim que começou e foi assim que seguiu a carreira do forrozeiro Zelito Miranda, o Cabeludo, como era conhecido e como gostava de chamar os amigos.

Nascido no município de Serrinha, a 175km de Salvador, foi um artista multifacetado. Embora sua intimidade com o triângulo tenha começado ainda na infância, aos oito anos de idade, Zelito trilhou por vários caminhos, das artes plásticas, ao teatro, ao cinema até chegar a música e ao forró.

Começou na música na música “um pouco depois”, aos 27 anos. Antes, fez parte da cultura alternativa de sua cidade, foi ator por 10 anos, é escritor e flertou com a MPB, o rock e tocou no Novos Bárbaros, grupo que fez sucesso nos trios elétricos na efervescente década de 80 na capital baiana.

Gravou o primeiro disco com um repertório daquilo que ele chama de MPN (Música Popular Nordestina) mas os pedidos de shows e gravações em forró foram, aos poucos, fazendo com que o artista assumisse a herança de Gonzagão como sua carreira.

Dessa influência do rock, da MPB e da experiência em trio elétrico, ficou conhecido como o “Rei do Forró Temperado”, um som que preserva a sonoridade do gênero, mas se permite a novos instrumentos, arranjos e melodias.

Pioneiro nos ensaios do gênero nordestino nas casas noturnas da capital baiana, há 26 anos, o “Rei do forró temperado” se dedicou a arte de misturar elementos do mais autentico forró pé-de-serra a o que há de mais moderno e cosmopolita.

Com um DVD e 12 Cd’s gravados, Zelito Miranda foi o grande anfitrião do projeto que levou de janeiro a junho, milhares de pessoas ao Parque da Cidade.

O “Forró no Parque com Zelito Miranda e convidados”, tinha 12 anos e ocorria uma vez por mês, nas manhãs de domingo, com a participação de vários artistas da música brasileira. Seu último palco foi o Pelourinho.

Zelito faleceu com 40 anos de carreira e mais de 200 músicas no currículo, defendia cultura e a tradição do forró. (Fonte: BNews).

http://www.interiordabahia.com.br


Moraes diz que atos reforçam solidez da democracia e do sistema eleitoral

11/08/2022

BRASIL

O ministro Alexandre de Moraes, que assumirá o comando do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) na próxima semana, afirmou nas redes sociais que a Faculdade de Direito da USP “foi palco de importantes atos em defesa do Estado de Direito e das instituições”, nesta quinta-feira (11).

Segundo o ministro, que também é integrante do STF (Supremo Tribunal Federal), esses atos reforçam “o orgulho na solidez e fortaleza da democracia e em nosso sistema eleitoral, alicerces essenciais para o desenvolvimento do Brasil”.

Moraes assume a presidência do TSE na terça (16), em substituição ao ministro Edson Fachin.

Ele se graduou e leciona na Faculdade de Direito da USP. Embora sua presença fosse esperada no ato que leu a carta pela democracia em São Paulo, o ministro não esteve no local.

Folhapress/ Política Livre


Atos pela democracia ocorrerão nesta quinta em 50 cidades de todos os estados do Brasil

11/08/2022

Reuters / Ueslei Marcelino
.Credit…Reuters / Ueslei Marcelino

Por JORNAL DO BRASIL com Agência Estado

  • Publicado Quinta, 11 de agosto de 2022 às 06:00

Os atos pela democracia marcados para esta quinta (11) ocorrerão em 50 cidades brasileiras de todos os Estados e no Distrito Federal, a maioria em faculdades de Direito de universidades públicas e privadas. A manifestação se estenderá ao exterior, em Amsterdã, e cidades dos Estados Unidos, como Nova York.

A carta em defesa da democracia, dos tribunais superiores e do Estado Democrático de Direito, organizada pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), é uma resposta aos ataques sistemáticos feitos pelo presidente e candidato à reeleição pelo PL, Jair Bolsonaro, ao sistema eleitoral brasileiro.

Em São Paulo, a Faculdade de Direito, no centro, terá dois atos. Às 10h, será realizada a leitura do manifesto Em Defesa da Democracia e Justiça, apoiado por mais de cem entidades da sociedade civil e empresariais de diversos setores, como Fiesp, Febraban, Fecomércio-SP, centrais sindicais, OAB São Paulo, USP, Unicamp, Cebri, WWF, Greenpeace, Iedi, Abdib, PróGenéricos e Fundação Fernando Henrique Cardoso.

Às 11h, haverá a leitura da Carta às Brasileiras e aos Brasileiros – Estado Democrático de Direito Sempre. A carta conta com aproximadamente 900 mil assinaturas. Além de juristas e advogados, empresários e artistas devem participar dos atos na USP. Telões serão colocados no Largo de São Francisco, em frente à Faculdade de Direito, sob a expectativa de grande participação popular.

“Queremos provocar uma convulsão de cidadania, uma eclosão dessa corrente do bem que quer estabilidade e quer que a nossa democracia vingue, seja respeitada, amadureça e que a vontade soberana do povo que vai ser expressada nas urnas seja rigorosamente respeitada por todos e quaisquer partícipes”, afirmou a advogada Raquel Preto, integrante do grupo de trabalho da Diretoria da Faculdade de Direito da USP que organiza as manifestações.

No Rio, além da leitura da carta no mesmo horário, está prevista uma manifestação em defesa do processo eleitoral, contra cortes na educação e contra o governo Bolsonaro na Candelária, no centro do Rio, às 16h.

Além da USP, a carta será lida nas faculdades de Direito das seguintes universidades: Universidade Federal do Piauí, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Unesp Botucatu, Unipampa, Universidade Federal do Amazonas, Universidade de Brasília, Universidade Federal de Ouro Preto, Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, PUC- Rio, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal da Bahia, Universidade Rural do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Pará, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Unifor (Fortaleza), Unicamp, Universidade Federal de Uberlândia. Também será lida por coletivos feministas do Rio e na Casa do Jornalista, em Belo Horizonte.


‘Eu e Ciro Gomes vamos mostrar ao Brasil que só a educação transforma’, diz Ana Paula

11/08/2022

“No nosso plano de governo estamos encarando o tema com seriedade”, disse a vice-prefeita

Redação

Foto: Matheus Morais/bahia.ba
Foto: Matheus Morais/bahia.ba

Após ser anunciada como candidata a vice-presidente na chapa encabeçada por Ciro Gomes (PDT), a vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos, aumentou a frequência nas redes sociais. Na manhã desta quinta-feira (11), a gestora afirmou, por meio do Twitter, que “só a educação transforma e que ela é o grande vetor”.

“É impossível falar de mudanças no país sem destacar a importância de valorizar os estudantes brasileiros. Precisamos entender de que forma eles vivem e para onde estão caminhando neste mundo. A ideia é pensar um Brasil inteligente e disruptivo, construído através da educação. Por isso, no nosso plano de governo estamos encarando o tema com seriedade”, disse Ana Paula.

A vice-prefeita recebe Ciro Gomes, nesta quinta-feira (11), em Salvador. Eles começarão o dia recebendo as bençãos na tradicional Igreja do Senhor do Bonfim. Ambos participarão da missa às 7h30.

A dupla do PDT também visita o santuário de Santa Dulce dos Pobres, e o bairro da Felicidade, no Subúrbio Ferroviário, onde encontrarão um grupo de mulheres empreendedoras.

Bahia.Ba


Rosa Weber é eleita próxima presidente do STF e promete ‘soberania do regime democrático’

10/08/2022

Foto: Carlos Alves Moura
Ministra Rosa WeberCredit…Foto: Carlos Alves Moura

Por JORNAL DO BRASIL com Agência Estado

  • Publicado Quarta, 10 de agosto de 2022 às 16:49

Weslley Galzo – Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) elegeram nesta quarta-feira, 10, Rosa Weber para o cargo de presidente da Corte pelo próximo biênio. A escolha do magistrado que assumirá a Presidência é protocolar. Weber recebeu 10 votos dos colegas e, em seu breve discurso pós-eleição, prometeu defender “a soberania do regime democrático”.

A ministra assumirá o controle do Supremo num momento delicado na relação com o Planalto por ocasião das manifestações bolsonaristas de sete de setembro. A tradição no tribunal prevê que o chefe do Poder Judiciário sempre será o ministro com mais tempo de casa e que ainda não tenha assumido o cargo.

“Nós sabemos todos que ato de eleição em tribunais para cargos da administração são atos de rotina. Isso, todavia, não ofusca de forma alguma a simbologia desse momento. Apenas, a meu juízo realça o que realmente importa, que é a instituição Supremo Tribunal federal”, disse Rosa Weber.

O tribunal também elegeu o ministro Luís Roberto Barroso para o cargo de vice-presidente, atualmente ocupado pela ministra e futura presidente. A posse dos ministros será realizada três dias após a data prevista, em 9 de setembro. O objetivo do remanejamento da cerimônia é distanciar a troca de comando no Supremo das manifestações convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para o feriado de sete de setembro.

“O exercício desse cargo trata-se de um imenso desafio, mas eu vou buscar desempenhá-lo com toda a serenidade e com a certeza do apoio de vossas excelência que para mim será fundamental. E sempre na defesa da integridade e da soberania da constituição e do regime democrático”, afirmou.

A próxima presidente do Supremo terá um mandato mais curto do que o dos seus antecessores que, via de regra, permanecem no cargo por dois anos. O motivo da gestão mais breve é a aposentadoria de Weber, que ocorrerá em outubro do ano que vem, quando a ministra completará 75 anos. Os magistrados da Suprema Corte são aposentados compulsoriamente quando chegam a essa idade.

“Isso também não impede que eu me sinta sensibilizada, a despeito da tradição secular ou de décadas do Supremo, no sentido de escolher para este cargo sempre o ministro mais antigo que ainda não ocupou o posto. Mas isso, essa tradição, que é salutar, não ofusca, inibe, prejudica o fato de eu estar absolutamente sensibilizada pelo voto de confiança de vossas excelência”, disse a ministra em seu discurso.

http://www.jb.com.br

Desiderio Bispo de Melo
Estaremos todos juntos!
Venha fazer parte da história!Encontro!11 de agosto, às 10h
Faculdade de Direito da USP
Largo de São Francisco, 95

estadodedireitosempre.com





Bahia: Professores do Estado cobram pagamento do FUNDEF.

10/08/2022

A APLB-Sindicato convocou os trabalhadores e trabalhadoras em Educação da Rede estadual de ensino para uma paralisação com manifestação, nesta quarta-feira (10/08), às 9 horas, em frente à Secretaria de Educação do Estado, no Centro Administrativo da Bahia – CAB. O objetivo é pressionar o governo do estado pelo pagamento dos Precatórios do FUNDEF. 

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

Neste momento dezenas de professores se concentram em frente a Secretaria Estadual da Educação. Com um carro de som, os manifestante se revesam no microfone exigindo que o governo do estado cumpra a lei e pague o que é devido aos educadores.

fonte: APLB/BA


‘Se você está desiludido, nos conheça e nos procure’, diz Ana Paula Matos

10/08/2022

“As pessoas que são realmente de bem precisam ocupar os espaços públicos”, acrescentou a vice-prefeita

Redação

Foto: Reprodução, redes sociais/Ciro Gomes
Foto: Reprodução, redes sociais/Ciro Gomes

A vice-prefeita de Salvador e candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes (PDT), Ana Paula Matos (PDT), participou da live do presidenciável no Youtube, o ‘Ciro Games’, na noite desta terça-feira (9). Durante o bate-papo com Ciro, Ana Paula comentou sobre o momento político brasileiro e destacou sua parceria com o ex-governador do Ceará.

“O primeiro passo para a política melhorar é acreditar. Se você identifica que nossa proposta de governo é pensando no melhor do país, nesse momento eu te convido a participar dessa discussão. As pessoas que são realmente de bem precisam ocupar os espaços públicos. Se você conhece pessoas boas, se no seu coração tem bons propósitos, por que não tem na política? A discussão é: quem representa esse país? Se você está desiludido, nos conheça e nos procure. Aqui tem gente boa e preparada. Você vai voltar a ter esperança no Brasil”, disse a gestora.

A vice-prefeita da capital baiana foi anunciada como vice do candidato Ciro Gomes na última sexta-feira (5), após reunião da Executiva nacional do PDT, em Brasília.

A indicação da pedetista foi feita pelo presidente da legenda na Bahia, deputado federal Félix Mendonça Júnior, durante a convenção que oficializou a candidatura de Ciro, que aconteceu no dia 20 de julho, na capital federal.

Nesta quinta-feira (11), Ciro e Ana Paula estarão em agenda, em Salvador. Eles começarão o dia recebendo as bençãos na tradicional Igreja do Senhor do Bonfim. Ambos participarão da missa às 7h30. Haverá uma coletiva de imprensa às 8h30, na parte externa da basílica.

Do Bahia.Ba


Fachin na última sessão como presidente do TSE: ‘a democracia verga mas não quebra’

10/08/2022

No dia 16, Alexandre de Moraes toma posse na presidência da Corte

Foto: Antonio Augusto/TSE
Edson Fachin ficou pouco tempo no TSE enfrentando as investidas de Bolsonaro contra as urnas eletrônicasCredit…Foto: Antonio Augusto/TSE

Por JORNAL DO BRASIL

  • Publicado Quarta, 10 de agosto de 2022 às 08:47

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, participou hoje (9) da última sessão no comando da Corte. Na semana que vem, Fachin será sucedido pelo ministro Alexandre de Moraes, cuja posse está marcada para 16 de agosto.

Durante discurso de despedida, Fachin apresentou um relatório de sua gestão e destacou que as principais medidas tomadas durante seu mandato foram a busca pela paz e segurança das eleições, o combate à desinformação durante o processo eleitoral, além da defesa da democracia.

“Ao longo dos últimos 175 dias, os afazeres desse tribunal foram direcionados a busca por paz e segurança nas eleições gerais de 2022, o que se deu por meio do diálogo, da estruturação do combate à desinformação, da busca de eficiência na gestão do processo eleitoral, da promoção da transparência eleitoral da integridade e da diversidade”, afirmou.

Fachin também defendeu enfaticamente a democracia e disse acreditar que as eleições de outubro ocorrerão em clima de paz.

“Tenho a certeza inabalável que a democracia se verga, mas não se dobra, nem quebra com as fake news. Tenho ainda mais certeza que em outubro próximo, o povo brasileiro elegerá com paz, segurança e transparência um terço do Senado, 513 deputados federais, mais de mil deputados estaduais e 27 governadores”, concluiu.

Com a posse de Moraes, a vice-presidência do TSE será ocupada pelo ministro Ricardo Lewandowski. (com Agência Brasil)


Fim da novela: Zé Ronaldo vai apoiar ACM Neto para o governo e deve coordenar a campanha

09/08/2022

POLÍTICA

Posted on 9 de agosto de 2022

O ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo (União Brasil) fechou hoje apoio ao correligionário ACM Neto, depois de ter ameaçado romper e apoiar o candidato do PT a governador, Jerônimo Rodrigues.

Zé Ronaldo deve disputar uma cadeira na Câmara Federal

Na negociação, fez parte a confirmação da candidatura dele a deputado federal. Apesar de ter entabulado conversações com o PT, com o objetivo de ocupar um espaço nacional, José Ronaldo recuou depois que lhe foi exigido abrir mão de concorrer à Prefeitura de Feira de Santana em 2024.

Mas, segundo informações chegadas à redação do Interior da Bahia, Ronaldo pode ser o coordenador geral da campanha de ACM Neto ao governo do Estado, conforme vinha sendo avaliado pelo jornalista Evandro Matos no “Jornal da Manhã” da Rádio Jacuipe.

Trabalharam ativamente pela permanência de José Ronaldo no grupo de ACM Neto o pai dele, ACM Júnior, o ex-governador Paulo Souto e o deputado federal Arthur Maia (União Brasil).

http://www.interiordabahia.com.br

Nosso comentário:

Uma decisão sábia, digna dos grandes lideres, pesou os interesses da sua base na decisão. Ao decidir pelo coletivo a Bahia ganhou, e Zé não perdeu.


%d blogueiros gostam disto: