Contas de Cunha bloqueadas na Suíça tinham US$ 5 milhões

Presidente da Câmara cancelou viagem à Itália após as denúncias

Em nota, a PGR diz que Eduardo Cunha não pode ser extraditado para a Suíça, por ser brasileiro nato. “O instituto da transferência de processo é um procedimento de cooperação internacional, em que se assegura a continuidade da investigação ou processo ao se verificar a jurisdição mais adequada para a persecução penal”, informou a Procuradoria.

Nesta quarta-feira, o advogado de Cunha, Antonio Fernando de Souza, disse que desconhece a investigação na Suíça. “A defesa do deputado Eduardo Cunha desconhece qualquer procedimento investigatório realizado naquele país. Por tal razão, está impedida de tecer comentários acerca dos supostos fatos noticiados”

Presidente da Câmara desistiu de viajar para a Itália após as denúncias
Presidente da Câmara desistiu de viajar para a Itália após as denúncias

Após a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmar que Eduardo Cunha tem contas na Suíça, o presidente da Câmara desistiu da viagem que faria à Itália  para participar do Fórum Parlamentar Itália-América Latina e Caribe. Ele justificou o cancelamento, afirmando que pretende comparecer ao casamento do senador Romero Jucá (PMDB-RR), no sábado, e negou que a desistência esteja relacionada com a denúncia. “Não tem nada a ver com nada”, afirmou.

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse nesta quinta-feira (1º) que não teme qualquer perda de apoio político diante das denúncias envolvendo seu nome na Operação Lava Jato. O peemedebista já foi alvo de pelo menos cinco delações premiadas. Perguntado sobre a informação divulgada ontem (30) pela Procuradoria-Geral da República (PGR), de que foram encontradas quatro contas bancárias em seu nome e de parentes na Suíça, Cunha resumiu: “Não estou atrás de apoio”.

>> Procuradoria da Suíça diz que banco levantou suspeita sobre Cunha

>> Cunha diz que não teme perda de apoio político após denúncias de contas na Suíça

Cunha manteve a mesma postura em relação a denúncias recentes envolvendo a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Deixa eles responderem às denúncias”, afirmou, acrescentando que qualquer opinião emitida “partidarizaria o discurso”.

>> Cunha diz que atuará no STF para promover a verdade sobre as denúncias

Como permanecerá em Brasília no fim de semana, Cunha disse que pode aproveitar para analisar mais “um ou dois dos pedidos de impeachment”. Ontem, foi publicado o indeferimento de três dos 13 pedidos apresentados contra a presidente Dilma Rousseff, por não atenderem aos requisitos formais. A Câmara é responsável por analisar se os pedidos de denúncia por crime de responsabilidade são  admissíveis.

Cunha negou existência de contas em paraísos fiscais durante depoimento à CPI da Petrobras

No dia 12 de março deste ano, em depoimento à CPI da Petrobras, Eduardo Cunha negou a existência de contas na Suíça. Na ocasião, o peemedebista foi questionado pelo deputado Delegado Waldir (PSDB-GO) sobre a existência de contas em algum paraíso fiscal. Cunha negou: “Não tenho qualquer tipo de conta em qualquer lugar que não seja a conta que está declarada no meu imposto de renda”, disse.

Nosso comentário:  É o começo do fim, resta saber se ele sai de mansinho ou cai atirando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s