Polícia Federal cumpre mandados na casa de Cunha, de ministros e na Câmara

Celso Pansera, Henrique Eduardo Alves e Edison Lobão também são alvo

A busca na residência de Cunha foi autorizada pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Entre os itens que foram apreendidos pela PF na casa de Eduardo Cunha está o seu celular.

A presença de ministros e ex-ministros do PMDB entre os alvos da operação desta terça-feira deixa ainda mais delicada a posição do partido no governo, ainda mais levando-se em consideração a posição independente do PMDB do Senado com relação ao PMDB da Câmara.

0721

Alvos

Também foram alvos de mandados a chefe de gabinete de Eduardo Cunha, Denise Santos, e o ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Fábio Ferreira Cleto, indicado por Cunha (PMDB-RJ) para o cargo, e que foi recentemente exonerado pela presidente Dilma Rousseff.

A polícia ainda cumpriu mandado de busca e apreensão em endereços relacionados aos deputados federais Aníbal Gomes (PMDB-CE), Eduardo da Fonte (PP-PE) e Aureo (SD-RJ).  O prefeito de Nova Iguaçu e ex-deputado Nelson Bornier (PMDB), aliado de Cunha, também é alvo da ação.

A PF também cumpriu mandados em endereços relacionados ao ex-deputado Alexandre Santos (PMDB-RJ); Aldo Guedes que, segundo as investigações, seria ligado ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, falecido em 2014; doleiro Lúcio Funaro; Altair Alves dos Santos que, segundo o lobista Fernando Baiano, recebeu RS 1,5 milhão para repassar a Cunha; e Djalma Rodrigues de Souza. Mandados também foram cumpridos no Ceará e no Rio de Janeiro, em endereços relacionados ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

Outro mandado foi cumprido na sede do PMDB em Alagoas, relacionado ao inquérito do senador Fernando Collor (PTB-AL).

A Procuradoria Geral da República também pediu ao STF que autorizasse busca e apreensão na residência do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), mas o ministro Teori Zavascki negou.

Na operação deflagrada nesta terça-feira foram expedidos 53 mandados de busca e apreensão, referentes a sete processos da Lava Jato, todos relacionados a políticos com foro privilegiado no STF. O objetivo é evitar que investigados destruam provas. Os mandados foram cumpridos no Distrito Federal (9), em São Paulo (15), Rio de Janeiro (14), Pará (6), Pernambuco (4), Alagoas (2), Ceará (2) e Rio Grande do Norte (1).

Se havia uma presunção de rompimento do PMDB com o governo, os últimos acontecimentos tornam ainda mais irreconciliáveis a posição do vice-presidente Michel Temer com o PMDB do Senado.

Catilinárias

O nome da operação – Catilinárias – faz referência a discursos célebres do cônsul romano Cícero contra o senador Catilina, que planejava tomar o poder e derrubar o governo republicano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s