Isidório conclama candidatos a não irem para debate na TV Bahia: ‘Neto nos desrespeitou’

por Francis Juliano / Bruno Luiz
Isidório conclama candidatos a não irem para debate na TV Bahia: ‘Neto nos desrespeitou’

Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A ausência do candidato à reeleição ACM Neto (DEM) no debate desta quinta-feira (22), transmitido pela TVE, continua sendo o assunto mais comentado da noite e municiando críticas dos adversários ao democrata. O Pastor Sargento Isidório (PDT), por exemplo, sugeriu, em discurso exaltado, um desafio: que os candidatos não compareçam ao debate realizado pela TV Bahia, em protesto ao não comparecimento de Neto ao programa desta quinta. “O que o faraó está pensando? Que ele é um ser supremo? É assim que ele diz que é do gueto, se não tem coragem de sentar com os outros, que são iguais a ele? Não cabe mais essa tirania, esse quase coronelismo. O que ele fez aqui foi um desrespeito com todos nós, com todos os profissionais de imprensa. Não podemos ter um novo Saruê [em referência ao coronel interpretado por Antônio Fagundes na novela Velho Chico], Saruê tem que ficar na Globo. O povo de Salvador foi desrespeitado pela sua excelência, pela sua insolência”, ironizou Isidório. Ainda durante seu discurso inflamado, o pedetista afirmou que vai discutir com a coordenação de campanha se deve ir ou não ao debate na emissora da família Magalhães. “Ouvirei meu coordenador, meu vice Bassuma, minha família. Se depender de mim, ele ficará sentadinho no trono dele. Ou ele se retrata e comparece nas outras emissoras, ou não devemos adentar aquela oligarquia”, bradou.
Após debate, Fábio defende legalização da maconha e ataca Neto: ‘Se acovardou’

Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
Um dos mais contundentes críticos da gestão do candidato à reeleição ACM Neto (DEM) no debate da TVE desta quinta-feira (22), o candidato Fábio Nogueira (PSOL) voltou a atacar o democrata em entrevista coletiva após o programa. Ele acusou o atual prefeito, ausente no debate, de se “acovardar” e não prestar à população contas de sua gestão. “Ele precisa justificar como seu patrimônio mais que dobrou em 4 anos, prestar contas de como o PDDU foi aprovado, sem consulta popular. Prestar contas da forma como o plano de educação foi aprovado, com agressão ao vereador Hilton Coelho. Uma série de questões que dizem respeito a falta de investimentos em saúde, educação, transporte. Ele precisa prestar contas do que fez no cargo”, criticou. O socialista voltou a defender a legalização da maconha e a criticar o que chamou de “guerra às drogas” como política de segurança da gestão de Neto. “O prefeito ACM Neto fez nada pela segurança. Ele propõe militarização da Guarda, que é irresponsável. O custo da guerra às drogas é muito alto. Só produz mortes, é desastrosa. A questão das drogas é de saúde pública, não é de polícia”, bradou. Ele ainda destacou que o PSOL traz uma “alternativa independente” de política. “Defendemos servidor público, meio ambiente, questões caras à população, buscando combater desigualdades e governando com diálogo direto com a população”, afirmou.
Do Bahia Noticias

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s