Centro Juvenil de Ciência promove interação social para educação complementar

quinta-feira, 3 agosto, 2017

Foto: Amanda Oliveira/GOVBA
No Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Salvador (CJCC), jovens matriculados na rede estadual de ensino desfrutam de uma educação pouco convencional, sempre no turno oposto à escola. A atividade prática estimula o estudo da teoria, e torna o que antes era distante mais presente na vida do estudante. Um exemplo são as oficinas de robótica. Em equipe, os participantes colocam a mão na massa e são incentivados a buscarem o conhecimento teórico sempre que encontram algum desafio. Disciplinas como matemática, física e química, considerados o pesadelo de muitos estudantes, já não assustam mais.
“Em um turno, eles estudam no ensino regular. Aqui, que não é obrigatório, os jovens vêm porque se sentem motivados a aprender. Para qualquer problema que encontram durante as dinâmicas, eles são orientados e estimulados a buscar bagagem teórica para solucionar e se desenvolver”, explica o coordenador estadual do CJCC, Iuri Rubim.
A estudante Bruna Santos Machado, de 17 anos, é uma das participantes do curso de robótica. A inventora ajusta os últimos detalhes de Niltinho, um robô criado para participar da Campus Party Bahia – a maior experiência tecnológica do mundo, que desembarca na Arena Fonte Nova, em Salvador, entre os dias 9 e 13 de agosto. Moradora de Mussurunga, Bruna corta a cidade para não perder nenhuma aula. Para a estudante, a oficina é uma oportunidade de impulsionar o futuro.
“Sempre gostei de tecnologia. Quando conheci a robótica, me apaixonei. Aprendo muito aqui no Centro, e esse conhecimento deve me dar suporte quando entrar na universidade”, afirma.
Entre as opções oferecidas no CJCC estão cursos na área de Tecnologia, como o de Game Design com Modelagem 3D e o curso de Criação de Aplicativos, através do qual os estudantes têm a possibilidade de aprender e experimentar a criação de jogos e sistemas por meio da utilização de softwares. Áreas como Ciência, Fotografia, Literatura, Inglês e Dança também fazem parte. Um dos mais procurados está o curso de Piloto Virtual. A oficina amplia o acesso dos estudantes à Tecnologia e à Inovação, contribuindo para o desenvolvimento de diferentes habilidades, como o raciocínio lógico e a criatividade. Da cabine de avião instalada no CJCC, o estudante aprimora o aprendizado de disciplinas como Física, Geografia, Matemática e Inglês.
“Comecei a gostar de avião com um jogo de vídeo game. Mas ainda era algo distante. Hoje tenho muito claro de que quero trabalhar voando de avião. Isso foi bom porque me mostrou um caminho a seguir. Até a matemática, que via como inimiga, estou me dedicando mais”, garante o jovem Ruan Ramos, de 17 anos.
A sala de papietagem, técnica de colagem de papel, também é disputada. O trabalho em grupo resulta em esculturas, instrumentos musicais e até armas medievais, todas feitas de papel. As armaduras também prometem encantar o público da Campus Party. “Todo mundo participa. Tudo começa com uma ideia e todo mundo se empolga quando começa a ganhar formato. Vamos fazer uma apresentação, como uma batalha entre gladiadores na Campus Party Bahia. Uma batalha de brincadeira”, afirma a estudante Ane Beatriz Rocha, 18 anos.